Publicidade

IA será tão revolucionária quanto o mouse, diz AMD

Por| Editado por Jones Oliveira | 19 de Agosto de 2023 às 10h30

Link copiado!

Divulgação/AMD
Divulgação/AMD
Tudo sobre AMD

Ferramentas de Inteligência Artificial vieram para ficar e serão responsáveis por transformar a indústria dos computadores como a conhecemos — pelos menos é o que a AMD disse acreditar em entrevista ao Canaltech. Através de soluções como o Ryzen AI, o acelerador embutido na nova família Ryzen 7040, recursos de IA devem turbinar não apenas a experiência de uso de profissionais, aprimorando a produtividade, como também dos usuários comuns.

Em maio, a AMD apresentou a linha Ryzen 7040 "Phoenix Point", composta de processadores voltados para notebooks ultrafinos e PCs portáteis, como o AYANEO SLIDE e o GPD Win Mini. Além de estrearem os núcleos Zen 4 no segmento mobile, as CPUs chamaram atenção pelos gráficos integrados baseados na microarquitetura RDNA 3, mesma das placas Radeon RX 7000, e pela inclusão do acelerador Ryzen AI.

Continua após a publicidade

Contando com tecnologia da Xilinx, lendária por ser reconhecida como a inventora do FPGA (o chip programável), o componente é dedicado ao processamento de recursos de Inteligência Artificial e chegou mostrando resultados promissores com implementações como o Microsoft Studio Effects Pack, um conjunto de efeitos para melhorar a qualidade de videoconferências. Com o Ryzen AI, o pacote entregou resultados bastante competitivos em relação a GPUs dedicadas, ao mesmo tempo em que consumia uma fração da energia, aspecto crucial para laptops.

O ponto mais interessante visto na apresentação da AMD feita no lançamento é que há planos mais ambiciosos para o acelerador integrado. Dito isso, não tivemos ainda um exemplo mais robusto das capacidades do chip. Questionado pela reportagem do Canaltech sobre isso, o Vice-Presidente Corporativo e Gerente Geral da divisão de Client (o consumidor final), David McAfee, destacou que esse é apenas o começo.

"Eu realmente acredito que, no decorrer dos próximos anos, com os investimentos que têm sido feitos no ecossistema de software por diferentes companhias, veremos a IA atingir inúmeros aspectos do que fazemos. Você já pode ver [esses investimentos] na área de videoconferência, você pode ver a Microsoft falando de tecnologias como o Copilot [o assistente de IA Generativa que será integrado ao Windows], que eu acredito ser outra forma de aprimorar a produtividade, [pode ver] a IA Generativa e o que ela está oferecendo para aplicações de criadores". — David McAfee, Vice-Presidente Corporativo e Gerente Geral de Client da AMD

O executivo aponta que a aceleração de IA também deve trazer benefícios aos games, não apenas em relação ao desempenho, com técnicas de upscaling, mas na forma como o jogador interage com o jogo. Fora isso, o Vice-Presidente reforçou que o portfólio da AMD terá soluções preparadas para Inteligência Artificial em todos os segmentos, desde data centers e grandes servidores com as linhas EPYC e Instinct, até dispositivos portáteis, como já é possível ver com o Ryzen AI.

Continua após a publicidade

Questionado se a marca de fato acredita que a IA veio para ficar, David McAfee enfatizou como alguns dos parceiros da gigante enxergam a tecnologia como divisora de águas para a indústria da computação, chegando a comparar seu impacto com o do mouse — o periférico revolucionou a maneira como interagimos com os PCs e foi peça fundamental na criação das interfaces gráficas.

"A Inteligência Artificial é, provavelmente, a tecnologia mais transformadora que vimos na computação em 20 anos. Conversando com vários de nossos parceiros, muitos deles dizem que a IA será tão revolucionária para a experiência do PC como o mouse foi muitos anos atrás. Ela tem a capacidade de mudar tantos aspectos de como você pensa e usa o seu PC, desde o que você faz para trabalhar, para jogar, para criar..." — David McAfee, Vice-Presidente Corporativo e Gerente Geral de Client da AMD