Intel Core i7-4770K: diga olá ao Haswell!

Por Pedro Cipoli

A quarta geração de processadores Intel foi anunciada há pouco tempo e traz um upgrade bastante significativo em relação à geração anterior, conhecida como Ivy Bridge. Comparecemos ao seu evento oficial de lançamento aqui no Brasil e vimos uma série de gráficos bonitos mostrando a superioridadade do Haswell, em especial os gráficos integrados, algo que nunca foi um ponto forte da Intel mas que chegou em níveis aceitáveis com a introdução dos HD Graphics 4000 da geração anterior.

Com o Haswell a Intel espera finalmente ser vista como uma opção para gamers e usuários de aplicações mais exigentes em relação aos gráficos, que agora se resumem basicamente em três modelos diferentes: Iris Pro, Iris e Intel HD 4600 – este último equipando o Core i7-4770K que recebemos para testes. Isso significa que os resultados que veremos aqui não terão todo o apelo da série Iris, e sim uma melhoria em relação aos gráficos Intel HD 4000, aliados a um upgrade na arquitetura do processador.

Como podemos ver abaixo o Core i7-4770K utiliza o mesmo processo de fabricação de 22 nanômetros do Ivy Bridge, o que já era de se esperar, já que esta quarta geração representa o "Tac" da Intel e traz melhorias de arquitetura e um clock mais alto.

CPU-Z Haswell

Abaixo temos poucos detalhes da GPU integrada, capaz de endereçar até 2176 MB da memória RAM instalada para vídeo. O Intel HD 4600 possui 20 unidades de execução (contra 16 do Intel HD 4000) rodando a 1250 MHz, mostrando que é um upgrade incremental em relação à geração anterior.

CPU-Z Haswell (GPU)

A Intel nos mandou uma máquina completa de testes, o que nos faz imaginar que este seja um modelo de referência da empresa para demostrar as novidades dessa nova geração. Confira as especificações:

  • Processador: Intel Core i7-4770K (4 núcleos rodando a 3,5 GHz e turbo 3,9 GHz com hyperthreading)
  • Placa de vídeo: Intel HD 4600 (integrada)
  • Memória: 8 GB DDR3 rodando a 1600 MHz single channel
  • Disco primário: SSD Intel Series 160 GB

É importante termos em mente que os componentes que trabalham com o processador (memória RAM e SSD) afetam o resultado final dos testes, tornando necessário isolar o resultado do processador e gráficos integrados sempre que possível.

Futuremark PCMark 7

O PCMark 7 realiza uma série de testes de desempenho, dividindo os resultados em categorias, como produtividade, entretenimento e assim por diante. Cada uma delas precisa de uma combinação diferente de processamento da CPU, memória RAM e placa de vídeo para alcançar a sua pontuação.

Neste teste, o Core i7-4770K se saiu muito bem com 6084 pontos e em todos os subscores, nos quais os destaques ficam para "Computação" (17422 pontos) e "Criatividade" (10254 pontos). Estes quesitos mostraram que essa nova geração possui processamento de sobra para a maioria das tarefas. Para termos uma ideia, a nova geração de APUs Richland A10-6800K também possui 4 núcleos rodando com frequências maiores (4,1 GHz e turbo de 4,4 GHz), e pontou menos da metade (2802 pontos) do alcançado em qualquer um dos subscores.

PCMark 7

Futuremark 3DMark 11

Desenvolvido pela Futuremark, o 3Dmark 11 mede a capacidade das máquinas de executar gráficos utilizando o DirectX 11 da Microsoft através de uma série de testes sintéticos. No resultado vemos o desequilíbrio entre CPU e GPU, em que o alto resultado alcançado nos testes de física (6833 pontos) não são acompanhados pelos gráficos Intel HD 4600 (290 pontos). Isso significa que em games nas configurações teste (1920x1080, vários filtros e efeitos ativados), a CPU terá um grande trabalho para sustentar um FPS acima de 30.

3DMark 11 - X

No modo "Performance" (1280x720, vários filtros e efeitos desativados), a GPU alcançou um resultado cerca de 3 vezes maior (1104 pontos), mostrando que é capaz de sustentar mais de 30 FPS em games nestas configurações, mas ainda assim com uma boa ajuda da CPU.

3DMark 11 - P

Futuremark 3DMark Vantage

Também desenvolvido pela Futuremark, o 3Dmark 11 mede a capacidade das máquinas de executar gráficos utilizando o DirectX 10 da Microsoft através de uma série de testes sintéticos (saiba mais sobre o 3Dmark Vantage). Nas configurações "Extreme" (resolução 1920x1200, filtros e efeitos no máximo), vemos novamente o desequilíbrio entre GPU e CPU, em que o desempenho do Intel HD 4600 foi ajudado fortemente pela CPU de quarta geração.

3DMark Vantage - X

Na configuração "High" (1680x1050, alguns filtros e efeitos ativados), o resultado é cerca de 50% maior, mas ainda assim insuficiente para segurar um game no máximo.

3DMark Vantage - H

Na configuração "Performance" (1280x1024, vários filtros e efeitos desativados), a pontuação é suficiente para que games nesta resolução não 'engasguem', mesmo com filtros e efeitos ativos.

3DMark Vantage - P

MAXON Cinebench 11.5

O Cinebench é um programa totalmente gratuito que testa a capacidade da máquina de executar gráficos OpenGL, disponibilizando o resultado em quantidades de frames por segundo (fps). Por se tratar de um modelo de quarta geração, ficamos bastante decepcionados pelo fato do Core i7-4770K não conseguir alcançar nem 30 frames por segundo, mas por ser um processador voltado para o consumidor, os 8,14 fps em CPU são um ótimo resultado.

CINEBENCH

Luxmark 2

O Luxmark é um programa de código aberto multiplataforma que testa a capacidade da placa de vídeo de executar gráficos OpenCL, e, quanto maior a pontuação, melhor e mais poderosa é a máquina neste quesito. Abaixo temos o resultado isolado do Intel HD 4600, que não surpreende nem decepciona, mostrando níveis aceitáveis de execução de gráficos OpenCL.

Luxmark 01

Quando CPU e GPU são colocadas para trabalhar juntas, o resultado é bem superior, mostrando que a CPU é realmente o maior atrativo dessa geração.

Luxmark 02

Conclusão

Encontramos o Intel Core i7-4770K à venda com um preço médio de R$ 1250, um valor alto, como é típico nos primeiros meses do lançamento de um novo modelo. A conclusão que temos aqui é um pouco delicada: de um lado temos uma CPU bastante poderosa, capaz de deixar qualquer power user bastante satisfeito, mas por outro temos uma GPU que não acompanha o processador e que é basicamente uma atualização do Intel HD 4000, sendo, apesar de tudo, bastante básica.

Quem possui um Core i7 de terceira geração dificilmente verá o Haswell como um upgrade significativo, ainda mais considerando a mudança de soquete, que exige uma nova placa-mãe. Por se tratar de um modelo de última geração, ele não foca em custo-benefício, mas sim em extrair poder de fogo de cada MHz do processador. No entanto, gamers ainda terão que correr para uma placa de vídeo dedicada para jogar no máximo. O A10-6800K da AMD que testamos há pouco tempo não oferece o poder de CPU do 4770K, mas se sai melhor nos gráficos, mesmo custando a metade do preço.

Para quem está montando uma máquina de última geração, o Core i7-4770K passa ser uma excelente opção para o dia a dia, mas aplicações gráficas ainda exigirão uma placa dedicada. Para decodificação de vídeo, o recurso QuickSync se sai bastante bem, sendo uma opção para quem quer assistir filmes de alta resolução (mesmo em 4K) consumindo pouca energia. Entretanto, é melhor esquecer o Intel HD 4600 para games no máximo ou aplicações gráficas.

Vantagens

  • Poder inquestionável de CPU;
  • Com exceção de jogos e aplicações gráficas, o Intel HD 4600 integrado dispensa uma placa dedicada;
  • Melhorias de arquitetura que aumentam a eficiência por clock.

Desvantagens

  • Preço alto;
  • A mudança de soquete encarece o upgrade;
  • Os gráficos Intel HD 4600 são incapazes de agradar aos gamers que exigem um mínimo de 60 fps e filtros e efeitos ativados.
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.