Honor pode sofrer o mesmo destino da Huawei e ser banida dos Estados Unidos

Honor pode sofrer o mesmo destino da Huawei e ser banida dos Estados Unidos

Por Bruno Bertonzin | Editado por Wallace Moté | 09 de Agosto de 2021 às 09h30
Divulgação/Honor

Um novo movimento na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pode, em breve, levar preocupações para as atividades comerciais da Honor. Isso porque um grupo de 14 políticos republicanos enviou uma solicitação para que o Departamento de Comércio do país adicione a recém-independente empresa à lista de restrições comerciais.

Para contextualizar, a Honor é uma ex-subsidiária da Huawei que se separou da gigante chinesa como uma forma de driblar as restrições norte-americanas — um movimento benéfico para os dois lados: enquanto a Huawei levanta uma boa quantidade em dinheiro para os anos vindouros, a Honor passa a ter autorização para negociar com empresas norte-americanas e, com isso, pode lançar seus smartphones com os serviços do Google e chips 5G da Qualcomm, por exemplo.

No entanto, parece que essa venda não foi o suficiente para dar tranquilidade para a Honor. De acordo com o relatório apresentado pelo grupo, a Honor ainda pode apresentar ameaças para a segurança norte-americana.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Divulgação/Honor)

Os políticos acreditam que os equipamentos e tecnologias do país podem ficar expostos ao Partido Comunista Chinês. Na carta, eles alegam que a separação das empresas foi um “esforço para escapar das políticas de controle de exportação dos EUA, destinadas a manter a tecnologia e o software dos EUA fora das mãos do Partido Comunista Chinês (PCC).”

Até o momento, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos não tomou uma decisão a respeito, mas o posicionamento inicial, apresentado por um porta voz do órgão, parece ser favorável para a decisão de banir a empresa. Em resposta, a entidade explica que constantemente faz revisões à lista de restrições para incluir possíveis ameaças.

Até o momento, não há nenhum posicionamento oficial da Huawei ou da Honor sobre o assunto. De qualquer forma, é pouco provável que algo mude de forma imediata, apesar de a Honor já ser um alvo em destaque para o Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Fonte: Android Headlines

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.