Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

CEO da OpenAI não acredita em produtos como AI Pin e Rabbit R1

Por| Editado por Wallace Moté | 02 de Maio de 2024 às 16h14

Link copiado!

Reprodução/Rabbit
Reprodução/Rabbit

Embora os smartphones tenham se popularizado pela praticidade de uso multitarefa, o mundo da tecnologia tem visto um crescimento de gadgets dedicados à inteligência artificial (IA) como o Humane AI Pin e o Rabbit R1. E embora a OpenAI (criadora do ChatGPT) possa estar planejando um dispositivo próprio desenhado por Jony Ive, o CEO da empresa diz acreditar que o futuro da IA não requer este tipo de produto.

Sam Altman revelou em entrevista ao MIT Technology Review que gadgets de IA são empolgantes, mas enfatizou: "não acho que será necessário um novo hardware” apenas para lidar com inteligência artificial.

O executivo reforça a ideia do público geral de que esse tipo de aplicativo deve existir facilmente na nuvem, permitindo acesso com os equipamentos que você já possui sem precisar adquirir novos.

Continua após a publicidade

Apesar disso, Altman diz estar interessado em ver gadgets para inteligência artificial, mas que ele próprio não seria adequado para enfrentar o desafio: “sou um amador que ama isso, mas está muito além da minha expertise“.

Isso podia ser um app

Embora tenham preços muito diferentes e visuais igualmente distintos, o AI Pin e o Rabbit R1 são construídos com o mesmo objetivo: oferecer um novo método de interação com a inteligência artificial de forma independente do smartphone.

Assim, ambos os produtos oferecem uma câmera para que a IA possa visualizar o ambiente e responder de forma mais precisa ao que o consumidor perguntar, e se baseiam muito mais na voz do que em texto para realizar ações.

O AI Pin da Humane fracassou na sua estreia com péssimas análises graças às decisões da empresa em ofertar o equipamento a preço alto de US$ 699 (cerca de R$ 3.600), exigência de assinatura mensal de US$ 24 (quase R$ 120) e uma IA lenta (com respostas que costumam demorar 10 segundos) em um produto visualmente interessante, mas inacabado com problemas de aquecimento e bateria.

Já o Rabbit R1 se destaca pelo visual diferenciado e preço menor de US$ 199 (cerca de R$ 1 mil) sem necessidade de assinatura, tendo IA ligeiramente mais veloz e métodos mais fáceis de controle da interface graças à tela em vez de um projetor e botões físicos e giratórios.

Continua após a publicidade

Ainda assim, ambos os produtos representam o início de uma potencial nova era de equipamentos de inteligência artificial que, no final, poderiam ser revertido apenas em um aplicativo para Android e para iOS. O Rabbit R1, inclusive, foi desmascarado como um aplicativo rodando no Android.

OpenAI e Jony Ive em busca de um novo produto

Embora Sam Altman tenha dito que não vê necessidade de hardware específicos para IA, a OpenAI estaria trabalhando com o ex-chefe de design da Apple, Jony Ive, para apresentar um dispositivo da empresa.

Continua após a publicidade

Fundada em 2019 por Ive, a empresa de design LoveForm estaria preparando a contratação de Tang Tan, recente chefe de design do iPhone, para trabalhar no futuro projeto da OpenAI.

Até agora sabemos que a colaboração envolve mais de 1 milhão de dólares em investimento e que a OpenAI e Jony Ive estão à procura de mais investimento.

Não sabemos se o dispositivo da marca seria um smartphone completo ou algo mais compacto semelhante aos gadgets de IA como o AI Pin, nem mesmo quando o equipamento pode chegar às lojas.

De qualquer forma, novidades devem surgir no decorrer do ano sugerindo detalhes de design, preço e previsão de lançamento do tão misterioso produto — se é que ele sairá do papel.

Continua após a publicidade

Fonte: MIT Technology Review