SpaceX quer levar Starship à órbita da Terra jé em julho deste ano

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 16 de Março de 2021 às 13h20
Reprodução/SpaceX

Ainda nesta semana, a SpaceX deve tentar realizar um teste de ignição estática com o protótipo SN11, do foguete Starship. Essa é a última etapa que falta para que a empresa possa avançar para a próxima fase de testes do protótipo, que envolve um voo relativamente curto. Enquanto isso, a SpaceX também estabeleceu internamente o prazo ousado de lançar o foguete Starship com o booster Super Heavy para a órbita da Terra em julho deste ano, mirando ali nos primeiros dias do mês.

Este prazo não é definitivo, pois existem chances reais de que este lançamento não ocorra em julho — mas, mesmo assim, a data implica que a empresa considera viável lançar o Starship para a órbita em apenas quatro meses. Na prática, isso também sugere que a SpaceX considera a margem de alguns meses pela frente será suficiente para realizar os testes com o propulsor Super Heavy, qualificar um projeto do Starship, realizar o lançamento orbital e entregar mais de 20 motores Raptor antes do fim do ano.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O protótipo SN11, que pode passar pelo teste de ignição estática ainda nesta semana (Imagem: Reprodução/@BocaChicaGal/Twitter)

O teste de alta altitude do SN11 será o quarto da série dos protótipos Starship. Com os voos de seus antecessores, melhorias já foram desenvolvidas e implementadas, e tornaram o veículo capaz de melhorar a performance dos motores Raptor, além de ter melhor controle durante a ascensão e a manobra feita antes de retornar para pousar. Depois do teste de voo com o SN11, a SpaceX vai avançar para os protótipos SN15, 16 e 17; em paralelo, também serão feitos testes com os protótipos BN1 ("Booster Number 1") e BN2, estes do poderoso propulsor Super Heavy.

Nos testes anteriores, o veículo SN8 conseguiu realizar a manobra com sucesso, mas acabou perdendo impulso e explodiu em uma enorme bola de fogo ao pousar. Já o SN9 teve problemas relacionados à ativação do motor, não conseguiu finalizar a manobra e teve um destino semelhante. Finalmente, o SN10 realizou todas as etapas do teste com sucesso, mas explodiu alguns minutos após tocar o solo. Para manter a agilidade do processo após cada lançamento, a SpaceX vem implementando rapidamente as melhorias nos protótipos. Ainda não há detalhes sobre as mudanças feitas no SN11 e Elon Musk, CEO da SpaceX, afirmou que ajustes múltiplos estão em andamento.

Apesar de ainda não estar claro o que são estes ajustes, uma mudança que provavelmente será feita para o pouso do SN11 é o uso de dois motores, ao invés de somente um. Isso será feito para conter uma possível perda de empuxo, além de aumentar a redundância durante a ativação dos motores para o pouso. Após lançar o SN11, a SpaceX irá avançar direto para o protótipo SN15, que também terá algumas mudanças de projeto e melhorias que, por enquanto, são desconhecidas — mas é possível que este foguete tenha um sistema de proteção térmica adicional.

Embora ainda não haja planos para o BN1 voar, ele será transportado para a realização de testes em solo e de ignição estática, para que seja possível obter dados antes do teste de voo do BN2. Imagens feitas por drones em fevereiro revelaram que a empresa já havia desenvolvido metade do primeiro protótipo do Super Heavy — é esperado que a campanha de testes do BN1 seja feita antes de o SN15 ser transportado para a plataforma, onde irá fazer os testes de voo.

Fonte: NASASpaceflight, Teslarati

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.