Sonda OSIRIS-REx tem sua missão estendida e vai visitar o asteroide Apophis

Sonda OSIRIS-REx tem sua missão estendida e vai visitar o asteroide Apophis

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 26 de Abril de 2022 às 12h10
NASA

A missão OSIRIS-REx, da NASA, será estendida para visitar o asteroide Apophis após trazer à Terra amostras do asteroide Bennu, no fim do ano que vem. A possibilidade de extensão já era analisada pela agência espacial há algum tempo, mas foi somente nesta segunda-feira (25) que a NASA confirmou a missão "OSIRIS-APEX".

No fim de 2020, a sonda OSIRIS-REx coletou amostras do asteroide Bennu, armazenando-as em um contêiner. Ele deverá ser ejetado da nave durante uma passagem pela Terra em setembro de 2023 e pousar no deserto de Utah, nos Estados Unidos. Depois, a nave irá seguir em uma trajetória que a levará rumo ao asteroide Apophis, uma rocha de aproximadamente 340 m de diâmetro.

A OSIRIS-REx coletou amostras do asteroide Bennu em 2020 (Imagem: Reprodução/NASA/Goddard/University of Arizona)

Em 2029 o Apophis se aproximará da Terra, ficando a apenas 32 mil km do nosso planeta. A sonda deverá chegar ao asteroide um pouco após sua passagem, e ficará em seus arredores por 18 meses. Desta vez a nave não deverá coletar amostras, mas irá realizar uma manobra em que acionará seus propulsores para ejetar rochas da superfície do asteroide e expor o material subterrâneo, ajudando os cientistas a saber mais sobre suas propriedades.

Lori Glaze, diretora da divisão de ciência planetária na NASA, observa que a investigação da missão estendida não será isenta de riscos. É que a trajetória que a sonda irá seguir durante a OSIRIS-APEX irá levá-la para aproximadamente meia unidade astronômica do Sol, sendo que cada unidade representa a distância entre nossa estrela e a Terra.

Na prática, isso significa que a sonda ficará muito mais próxima do nosso astro do que foi pensado originalmente para a visita a Bennu. Por isso, ela destacou que será necessário um “trabalho de engenharia significativo” para garantir que os sistemas da sonda consigam sobreviver a tal aproximação antes de chegar a Apophis.

Visita a Apophis e outras extensões

A visita a Apophis não é por acaso: este asteroide é de grande interesse científico devido a suas futuras aproximações da Terra. Por algum tempo, elas foram motivo de preocupação sobre um possível impacto contra nosso planeta. Este cenário já foi descartado, mas mesmo assim, as aproximações do Apophis representam oportunidades para estudos de sua composição e de como a atração gravitacional de nosso planeta poderá afetá-lo durante a passagem.

Imagens do asteroide Apophis, quando estava a aproximadamente 17 milhões de km da Terra (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech and NSF/AUI/GBO)

Dani DellaGiustina, investigadora principal adjunta, comenta que, durante a aproximação de 2029, o asteroide estará a apenas 10% da distância média entre a Terra e a Lua. “As pessoas na Europa e na África vão conseguir vê-lo a olho nu”, disse. “Ficamos maravilhados em saber que a missão foi estendida”. Com a extensão, o projeto deverá custar mais US$ 200 milhões ao longo de nove anos.

A OSIRIS-REx é uma de um total de oito missões de ciência planetária que foram estendidas após uma análise de sondas que já haviam completado suas missões primárias, como o rover Curiosity, o lander InSight e a sonda Mars Reconnaissance Orbiter (todos em Marte), entre outras.

Fonte: University of Arizona; Via: SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.