Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Meteoro explode em Minas Gerais e é visto em pelo menos 4 estados brasileiros

Por| Editado por Patricia Gnipper | 17 de Janeiro de 2022 às 11h07

Link copiado!

BRAMON
BRAMON

Um meteoro brilhou nos céus de Patos de Minas, Uberlândia, entre outras cidades do Triângulo Mineiro, sendo registrado também por câmeras em São Paulo e outros estados. O fenômeno ocorreu na noite de sexta-feira (14) e, de acordo com relatos de moradores, o objeto veio da direção oeste. Ainda não há informações sobre as dimensões da rocha espacial que adentrou a atmosfera.

A passagem do objeto foi registrada por câmeras da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON) e do Clima ao Vivo em Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Distrito Federal. De acordo com informações da BRAMON, o objeto pode ser considerado um bólido — este é o nome dado meteoros de grandes dimensões, que demoram para se queimar na passagem pela atmosfera terrestre. Além do brilho, a passagem deles costuma ser acompanhada por um estrondo.

Abaixo, você confere registros do meteoro:

Continua após a publicidade

Após analisar as imagens, a BRAMON concluiu que a rocha começou a brilhar quando estava a 86,6 km de altitude na região da zona rural de Uberlândia. Depois, ela seguiu a 43,7 mil km/h e percorreu mais de 100 km em 9 segundos. O meteoro desapareceu a 18,3 km de altitude, entre os municípios de Perdizes e Araxá, ainda em Minas Gerais.

Renato Las Casas, ex-coordenador do grupo de astronomia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explica que toneladas de material espacial vêm para o nosso planeta diariamente. “Nos últimos anos, temos mais câmeras registrando os fenômenos”, disse ele. “A grande maioria dos meteoros não sobrevive à queda e se pulveriza”.

Esses meteoros ocorrem quando algum fragmento de rocha espacial atravessa a atmosfera da Terra, viajando a velocidades tão altas que eles comprimem e aquecem os gases à frente, criando uma bolha de plasma luminoso — por isso, o fenômeno acaba conhecido como “bola de fogo”. Geralmente, os objetos responsáveis pelas bolas de fogo não sobrevivem intactos à passagem pela atmosfera terrestre. Eles podem se queimar por completo ou algum pedaço deles pode atingir a superfície — neste caso, o que sobra do meteoro é um meteorito.

Moradores do Triângulo Mineiro relataram ter ouvido uma explosão, seguida de paredes e janelas tremendo. Tanto os sons quanto os tremores vêm da onda de choque gerada pelo meteoro, ao atravessar as camadas mais baixas da atmosfera, onde a resistência do ar é maior e fragmenta a rocha. Por isso, é possível que haja meteoritos em solo, formados por fragmentos que resistiram à passagem atmosférica. Caso algum possível meteorito seja encontrado, é importante buscar um especialista para confirmá-lo. Até surgiram relatos nas redes sociais de que haviam encontrado o meteorito restante do meteoro de Minas Gerais — e que o objeto já estaria à venda na internet —, mas a veracidade disso ainda não foi confirmada.

Fonte: BRAMON; Via: O Tempo