Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Experimento que demonstrará corte de metal em órbita é lançado pela SpaceX

Por| Editado por Rafael Rigues | 25 de Maio de 2022 às 17h00

Link copiado!

SpaceX
SpaceX

O experimento Outpost Mars Demo-1, uma demonstração de tecnologia da Nanoracks e Voyager Space que demonstrará o corte de metais em órbita com um braço robótico, foi lançado nesta quarta-feira (25) a bordo de um foguete Falcon 9, da SpaceX. O lançamento fez parte da missão Transporter 5, que levou “de carona” dezenas de pequenos satélites.

A missão faz parte do programa de estações espaciais da Voyager Space, que tem o objetivo de transformar estágios superiores de foguetes lançadores em plataformas espaciais habitáveis. Nesta demonstração, o braço robótico desenvolvido pela empresa Maxar irá usar um atuador com uma ferramenta de corte girando a alta velocidade, para derreter e cortar peças metálicas sem gerar resíduos.

Continua após a publicidade

Tanto o braço robô quanto as três peças de metal usadas na demonstração estão posicionados no interior de uma única carga útil, e há sensores térmicos e câmeras prontos para coletar dados e monitorar o experimento. Se tudo correr bem, o procedimento deverá ser realizado cerca de nove minutos após o lançamento do Falcon 9 e não deverá durar mais que 10 minutos.

Enquanto o Falcon 9 continua em sua trajetória ao redor da Terra para liberar os demais satélites, o experimento seguirá preso ao foguete, transmitindo dados para estações em solo. Algumas horas após o lançamento, o estágio superior do veículo lançador irá acionar seus motores para reentrar na atmosfera, onde será queimado junto da carga útil Mars Demo-1.

A Nanoracks, juntamente com a Voyager Space e Lockheed Martin anunciaram um projeto conjunto, voltado para a construção de uma estação espacial privada na órbita baixa da Terra. A Nanoracks será a principal responsável pela fabricação do complexo, e a Voyager Space ficará responsável pelo investimento e estratégia; por fim, a Lockheed Martin será a fabricante e integradora técnica da estação.

Fonte: Voyager Space; Via: Spaceflight Now