Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Destaque da NASA: cometa, Lua e Júpiter são foto astronômica do dia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 29 de Abril de 2024 às 13h10

Link copiado!

Juan Carlos Casado (Starry Earth, TWAN)
Juan Carlos Casado (Starry Earth, TWAN)

Um trio de objetos maravilhou observadores na província de Girona, na Espanha. O fotógrafo Juan Carlos Casado registrou, de uma só vez, a beleza da Lua, de Júpiter e do cometa 12P/Pons-Brooks. O clique foi selecionado como foto destacada pela NASA nesta segunda-feira (29) em seu site Astronomy Picture of the Day.

O astro mais familiar na foto é, claro, a Lua, que foi registrada na fase crescente. No entanto, o restante do disco lunar está visível graças à luz solar refletida por nosso planeta. Este brilho é conhecido como Earthshine

Já Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar, aparece no canto superior esquerdo da foto. O planeta esteve visível no céu durante o mês de abril, mas somente durante o anoitecer; depois, ele desapareceu sob o horizonte por volta das 19h. 

Continua após a publicidade

Por fim, chegamos ao cometa 12P/Pons-Brooks. O “Cometa do Diabo”, como ficou popularmente conhecido, aparece sob a Lua com a cauda de poeira, mais curta, e a cauda de íons, mais alongada.

A imagem é uma composição feita a partir de diferentes fotos tiradas o mesmo lugar, com a mesma câmera. 

Cometa 12P/Pons-Brooks

O "Cometa do Diabo" leva cerca de 71 anos para orbitar o Sol, e já foi visto em suas visitas anteriores ao Sistema Solar interno. Seu núcleo mede cerca de 30 km, e assim como outros cometas, o 12P é feito de uma mistura de gelo, poeira e rochas. 

Quando se aproxima do Sol, o calor faz com que o gelo no interior do cometa sofra sublimação, indo do estado sólido ao gasoso. Desta forma, o gás escapa da superfície do cometa e leva poeira consigo, formando uma nuvem ao redor do núcleo e uma cauda que aponta para a direção oposta à do Sol. 

E, afinal, será que dá para ver este belo objeto no céu do Brasil? Bem, segundo Rodolfo Langhi, professor doutor do Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), o cometa ficou visível para quem está no norte e nordeste entre o fim de março e início de abril. 

Em maio, o cometa vai chegar à constelação Lepus, da Lebre. Ele vai ficar cada vez menos brilhante e aparece sempre perto do horizonte durante o anoitecer, o que significa que logo desaparece do nosso campo de visão, dificultando as observações.

Continua após a publicidade

Fonte: APOD