Conheça Rosie the Rocketeer, a “tripulante” a bordo cápsula Starliner

Conheça Rosie the Rocketeer, a “tripulante” a bordo cápsula Starliner

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 17 de Maio de 2022 às 12h30
Boeing

Um manequim apelidado de “Rosie the Rocketeer” será o único tripulante da cápsula Starliner, da Boeing, durante o teste Orbital Flight Test-2 (ou apenas “OFT-2”). Rosie estará no assento do comandante da nave no voo com destino à Estação Espacial Internacional, necessário para certificar que a Starliner está apta para realizar voos espaciais tripulados.

Rosie já havia voado na Starliner durante a missão OFT-1, na qual a Starliner foi lançada rumo ao laboratório orbital, mas não conseguiu chegar lá. Mesmo assim, o manequim cumpriu sua tarefa com sucesso, coletando dados de diferentes sensores que mostraram o impacto dos voos espaciais sobre o corpo dos tripulantes.

O manequim Rosie the Rocketeer, com trajes azuis e o lenço vermelho (Imagem: Reprodução/Boeing)

Após uma série de adiamentos, o boneco voará novamente com seu icônico traje espacial azul e cachecol vermelho. A escolha do "look" não é coincidência: na verdade, os trajes fazem referência a Rosie the Riveter, ícone de campanhas de recrutamento feminino nos EUA na época da Segunda Guerra Mundial.

Naquele período, milhões de homens norte-americanos estavam servindo em território estrangeiro, o que causou grande defasagem no número de trabalhadores no país. Foi assim que as mulheres foram recrutadas para assumir o trabalho em fábricas e outras instalações, produzindo munição e outros suprimentos de guerra.

Hoje, a figura de Rosie the Riveter é lembrada graças a diferentes pôsteres — como aquele que traz uma mulher com um traje azul e um lenço vermelho nos cabelos, acompanhado da frase “We Can Do It!” (“Nós podemos fazer isso”, em tradução literal).

A figura de Rosie the Riveter se tornou um ícone, e serviu de inspiração para o nome do manequim (Imagem: Reprodução/Department of Defense)

Vale lembrar que a célebre ilustração não representa a identidade original de Rosie: a “verdadeira” apareceu pela primeira vez na capa da revista The Saturday Evening Post, de 29 de maio de 1943; ali, estava a foto de uma mulher rebitadora com o nome Rosie gravado em uma lancheira. No fim, a campanha deu certo e trouxe milhões de mulheres para o trabalho — mas isso somente até 1945, ano em que os homens voltaram a ocupar suas posições originais.

De qualquer forma, o legado feminino irá acompanhar o manequim no espaço representado pelo cachecol, costurado e autografado por Mae Krier. Ela trabalhou em uma fábrica da Boeing entre 1943 e 1945 e construiu aeronaves B-17 e B-29, sendo, portanto, uma “Rosie da vida real”.

“Quando comecei há 30 anos o trabalho importante de conseguir o reconhecimento das nossas Rosies, nunca desisti”, disse ela, em um comunicado da Boeing. Krier irá doar também uma máscara facial que costurou.

Fonte: Via: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.