Boeing encontra anomalias e adia indefinidamente voo de teste da nave Starliner

Boeing encontra anomalias e adia indefinidamente voo de teste da nave Starliner

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 04 de Agosto de 2021 às 11h35
NASA

A nave Starliner, da Boeing, já passou por muitos problemas e, agora, terá que esperar mais ainda para ser lançada em novo teste não tripulado. O voo da missão Orbital Flight Test (OFT-2) aconteceria no dia 30 de julho, mas acabou adiado para o dia 3 de agosto. Contudo, quando faltavam algumas horas para o lançamento, a Boeing comunicou que a equipe da Starliner identificou alguns indicadores inesperados na válvula do sistema de propulsão da nave — e a empresa, junto da NASA, decidiu adiar o voo para investigar o que observaram. Ainda não há uma nova data para o lançamento da OFT-2.

A ideia era que a Starliner fosse lançada no fim de julho, mas o acionamento súbito dos propulsores do módulo russo Nauka alterou a orientação da Estação Espacial Internacional, de modo que o lançamento foi adiado para quarta-feira (3). Então, ao realizar alguns checagens no início desta semana, a equipe notou algumas diferenças nos indicadores do sistema de propulsão da Starliner. Agora, a Boeing está analisando a origem dos indicadores anormais de posição da válvula do sistema de propulsão.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Os engenheiros já descartaram algumas possíveis causas para o que observaram, incluindo erros de software. Mesmo assim, mais tempo será necessário para completarem a análise e, como resultado, a Boeing e a NASA decidiram não prosseguir com a oportunidade de lançamento desta semana. "Vamos deixar os dados liderarem o nosso trabalho", disse John Vollmer, vice-presidente e gerente de programa do Commercial Crew Program da Boeing. "Nossa equipe trabalhou intensamente para garantir a segurança e o sucesso da missão, e não vamos lançar até o nosso veículo mostrar desempenho nominal e nossas equipes estarem confiantes de que está pronto para voar", afirmou.

A nave seria lançada das instalações do Space Launch complex 41, com um foguete Atlas V. Com o ocorrido, ambos foram levados de volta para as instalações de montagem para passar por inspeções e testes que irão definir os próximos passos. Esta é a segunda vez que acontece uma mudança de planos com a Starliner e o Atlas V, que tiveram que deixar a base de lançamentos na última sexta-feira (30) devido às más condições climáticas. Por enquanto, ainda não há informações de quando haverá uma nova tentativa de lançamento. 

A Boeing desenvolveu a Starliner com apoio financeiro do Commercial Crew Program, da NASA, que incluiu também a SpaceX e a nave Crew Dragon — esta, que já é operacional e que, atualmente, está em sua segunda missão tripulada contratada pela NASA. Já a Boeing, em paralelo, ainda precisa mostrar que a Starliner é segura e está preparada para levar astronautas à ISS. No primeiro teste de voo realizado em 2019, a nave teve anomalias técnicas que a impediram de alcançar o laboratório orbital. Agora, resta esperar uma nova data para a OFT-2; se tudo correr bem na nova tentativa, a Starliner será acoplada à ISS, entregando alguns suprimentos e retornará para um pouso seguro alguns dias depois.

Fonte: Space.com, Boeing

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.