China cria "cópia" do helicóptero Ingenuity para explorar Marte

China cria "cópia" do helicóptero Ingenuity para explorar Marte

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 01 de Setembro de 2021 às 20h40
NSSC

A China parece estar trabalhando em seu próprio projeto de aeronave para explorar outros mundos, nos mesmos moldes do helicóptero Ingenuity, da NASA, que está em Marte. No final de agosto, o país anunciou que três projetos do programa Projeto de Incubação do Laboratório Nacional de Ciências Espaciais foram aceitos. Uma publicação do National Space Science Center (CNSSC), da Academia Chinesa de Ciências (CAS), mostra um deles: um protótipo de “drone marciano" com dois rotores.

O drone em questão é o Projeto 1 apresentado, e a publicação mostra uma foto do protótipo posicionado em uma mesa com uma breve descrição que propõe equipá-lo com um espectrômetro, que seria usado para escanear as formações geográficas da paisagem de Marte. Assim, ele foi desenvolvido para fornecer novos meios para a exploração do planeta por parte da China, que poderá ter mais recursos para fotografar e analisar a paisagem de Marte em missões futuras lançadas para lá.

Bian Chunjiang, investigador do Laboratório Principal de Tecnologias de Informação Electrônica para Sistemas Espaciais Complexos, da Academia Chinesa de Ciências, teve a ideia de criar um drone enquanto a China ainda estava na etapa de planejamento de missões para explorar Marte. Essas discussões ocorreram em 2016 para desenvolver uma missão que seria lançada por volta de 2020, e que teria uma nave no céu do planeta e robôs explorando sua superfície. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Ele percebeu que um rover poderia ter problemas em alguns aspectos da empreitada, como restrições em suas viagens, velocidade baixa de deslocamento e alcance menor de detecção, e se perguntou se seria possível produzir um sistema de detecção multiespectral capaz de voar por Marte e servir de guia para o rover. Assim, em 2019, Chunjiang elaborou o projeto do "drone de Marte" e se candidatou ao Projeto de Incubação do Laboratório Nacional de Ciência Espacial, da Comissão Municipal de Ciência e Tecnologia de Pequim. O projeto foi oficialmente aceito. 

Chunjiang explica que o drone tem um pequeno sistema de detecção multiespectral, que pode funcionar como um navegador para um rover que estiver por lá, que teria ainda mais eficiência em explorar o planeta. O drone criado seria capaz de registrar imagens da superfície de Marte em um raio de centenas de metros, e poderia até definir as características da superfície com precisão. “Com o micro-espectrômetro, o drone pode sondar rochas e materiais da superfície de Marte para detectar a possível presença de água, matéria orgânica e outros materiais que possam indicar sinais de vida”, explicou.

Além de coletar imagens, o drone poderia também viajar por algumas centenas de metros em um único voo. Para isso, o protótipo apresentado mostra uma aeronave com hélices paralelas, cada uma com 1,4 m de comprimento. Ele tem quatro “pernas” mecânicas que o sustentam, e sua “barriga” poderia ser equipada com um computador e baterias. De acordo com Chunjiang, o drone pesa 2,1 kg com o espectrômetro e poderia alcançar altitudes de 5 m a 10 m, ficando no ar durante três minutos por voo. O drone não teria painéis solares, e sua alimentação seria feita pelo rover  através de um sistema de carregamento sem fios. 

Registro da superfície de Marte feito pelo rover Zhurong, da China, que está explorando Marte atualmente (Imagem: Reprodução/CNSA)

O projeto de pré-investigação já foi aceito e avaliado como “fornecedor de possíveis meios para a subsequente exploração da China em Marte” e, por enquanto, servirá para ajudar o país a verificar a viabilidade técnica da ideia. Por isso, Chunjiang destacou que ainda há muito trabalho pela frente: “por exemplo,  a 'vida' do projeto deve ser de pelo menos alguns meses ou até mais de um ano", explicou, ressaltando que a aeronave precisará vencer algumas intempéries, como as temperaturas baixas de Marte, tempestades de poeira e mais. "Os próximos cinco a seis anos serão uma fase de investigação: esperamos superar esses problemas técnicos e permitir que o drone leve a próxima missão de exploração de Marte".

Em um primeiro olhar, fica evidente que o protótipo lembra o helicóptero Ingenuity, resultado de longos anos de trabalho das equipes da NASA para testar tecnologias para voar em outros mundos. Toda essa dedicação trouxe frutos, já que o pequeno helicóptero é um grande sucesso e vem superando as expectativas a cada voo — o último foi realizado no início de setembro e, durante esta empreitada, o Ingenuity voltou a explorar uma região que pode ser interessante para a equipe do Perseverance. Como a China tem vários planos para Marte, ver o país trabalhando em uma aeronave própria para explorar este nosso vizinho não é algo surpreendente — lembrando que o país pousou o rover Zhurong por lá com sucesso em sua primeira missão interplanetária. Além disso, a China já revelou também que tem planos para lançar missões tripuladas para o Planeta Vermelho no futuro, para firmar a presença humana.

Fonte: Futurism, NSSC, South China Morning Post, ScienceNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.