Netflix transmitirá filmes até mesmo via lentes de contato inteligentes

Por Redação | 01 de Março de 2017 às 11h56

Durante uma palestra no Mobile World Congress (MWC) na última segunda-feira (27), o CEO da Netflix, Reed Hastings, disse que o serviço de streaming está pronto para se adaptar a qualquer nova tecnologia de visualização de vídeo que surgir em 10, 20 ou 50 anos.

Hastings seguiu dizendo que a empresa não está focando em criar conteúdo de vídeo original especificamente para um tipo de tela ou tamanho de exibição. Em vez disso, as produções priorizam uma narrativa que não seja influenciada pelo tamanho da tela ou do dispositivos adotado pelo usuário.

"Se a realidade virtual decolar, nós nos adaptaremos a isso, se isso se tornar lentes de contato com poderes incríveis, nós nos adaptaremos a isso", disse o executivo. "Daqui a cinco ou 10 anos, a qualidade da Netflix em todos os dispositivos será incrível."

Apesar da ideia de assistir seus filmes ou séries prediletos diretamente em uma lente de contato parecer surreal, vale lembrar que muitas pessoas duvidaram do potencial e até mesmo da existência de vídeos em realidade virtual.

Além disso, empresas como Sony, Samsung e Google já estão de olho nessa possível evolução e até mesmo registraram patentes de lentes de contato inteligentes. A Sony, por exemplo, está tentando criar uma lente de contato que funciona como uma câmera digital.

Isso é tão Black Mirror

O fato da Netflix se mostrar disposta a seguir as novas tendências tecnológicas é algo realmente importante para o público. No entanto, era inevitável falar em um assunto como lentes de contato inteligentes sem que a série Black Mirror fosse citada.

"Charlie Brooker é um cineasta britânico que fez Black Mirror para nós", disse ele. "Em Black Mirror, ele conta muitas estranhas e maravilhosas especulações sobre tecnologia. Isso inclui usar lentes de contato que têm toda a informação do mundo", disse Hastings.

O executivo diz ainda que o que é incrível sobre a tecnologia é que é muito difícil de prever. "O que fazemos é tentar aprender e se adaptar, ao invés de apenas tentar se comprometer com a visão do que vai acontecer. Somos muito flexíveis e aprendemos à medida que avançamos."

Via Tech Radar

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.