Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Guerra Civil | Qual a história do polêmico novo filme de Wagner Moura?

Por| Editado por Durval Ramos | 16 de Abril de 2024 às 19h05

Link copiado!

Divulgação/A24
Divulgação/A24

O estúdio A24 mudou a forma como escolhe seus novos projetos, apostando em produções mais próximas de blockbusters de Hollywood. O primeiro filme com essa nova diretriz é Guerra Civil, longa dirigido por Alex Garland (Aniquilação), que traz Kirsten Dunst e Wagner Moura no elenco.

O filme traz uma trama assustadoramente atual e realista, ainda que se passe em um mundo alternativo em que os Estados Unidos deixaram de levar a guerra para outros países e se viram como centro de um conflito interno.

Continua após a publicidade

O longa, que já estreou nos cinemas americanos, surpreendeu até mesmo os mais otimistas entusiastas do A24, faturando US$ 25,7 milhões no seu primeiro final de semana de exibição, se tornando a maior bilheteria de estreia do estúdio. 

Qual é a história de Guerra Civil?

O filme gira em torno de um grupo de jornalistas de guerra que viaja pelos Estados Unidos em meio à sua primeira guerra civil do país desde 1865. Os estados da Califórnia e Texas, contrariando todas as expectativas, deixam de lado suas diferenças para se unir contra um governo fascista que foi colocado no poder, dividindo o país com focos rebeldes em todo o seu território.

Em meio a esse conflito, conhecemos Lee Smith, uma famosa fotógrafa de guerra interpretada por Kirsten Dunst (Melancolia), e Joel, um jornalista vivido por Wagner Moura (Narcos) que pretende conseguir uma entrevista com o presidente dos Estados Unidos.

Acompanhados de um jornalista veterano, interpretado por Stephen Henderson (Duna) e uma jovem fotógrafa (Cailee Spaeny de Priscilla), o grupo viaja pelos Estados Unidos, registrando a realidade dos dois lados da guerra, da indiferença de alguns ao conflito e da intolerância cega de outros. E, obviamente, acabam sendo engolidos pelos extremos dessa polarização.

Polêmico em ano de eleições

Não parece ser por acaso que o estúdio A24 escolheu 2024 para a estreia de Guerra Civil, já que o filme chega aos cinemas americanos em um ano em que o país vem se vendo cada vez mais polarizado pela política interna e externa. 

Continua após a publicidade

Isso é apenas potencializado pela proximidade das eleições presidenciais, que tudo leva a crer que serão disputadas pelo atual presidente democrata Joe Biden e o candidato republicano Donald Trump, mesmo envolvido em vários processos legais. 

O filme, que no seu anúncio chamou atenção por parecer uma realidade um pouco forçada sobre uma nova guerra civil, se tornou perigosamente próximo da realidade após os acontecimentos do ataque ao Capitólio, em janeiro de 2021.

Novos grandes filmes do estúdio A24

Continua após a publicidade

Guerra Civil marca uma mudança no que o estúdio A24 realmente deseja ser nos próximos anos. Queridinho da crítica e do público cinéfilo, o estúdio se tornou sinônimo de produções prestigiosas ou de nicho, lançando filmes como Hereditário, Jóias Brutas, Aftersune Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo. Séries de TV, como Euphoria e The Curse também levam a “marca A24” consigo.

Porém, com a mudança constante da indústria do entretenimento, o estúdio optou por também seguir por novos caminhos, produzindo filmes mais caros e de maior apelo, podendo até mesmo entrar na dança de franquias que praticamente todos os estúdios tentam emplacar.

Guerra Civil é a primeira grande produção com essa diretriz, tentando se encaixar na faixa de blockbusters com orçamentos médios, que parecem ter sumido dos cinemas nos últimos anos. Com um orçamento de supostamente US$ 50 milhões, sua estreia de US$ 25,7 milhões aponta para um futuro interessante para o estúdio, que poderá entregar mais filmes de gêneros variados, mas para um público menos nichado.

Continua após a publicidade

Guerra Civil é dirigido e escrito por Alex Garland, o mesmo diretor de filmes como Ex-Machina e Aniquilação, além de ser roteirista de longas do diretor Danny Boyle, como A Praia e Extermínio

Pouco antes da estreia de Guerra Civil nos cinemas americanos, Garland revelou uma vontade de deixar de dirigir e se dedicar apenas ao seu trabalho como roteirista, já preparando terreno para o terceiro filme da franquia Extermínio, dirigida por Boyle e que pode ser novamente estrelado pelo ganhador do Oscar Cillian Murphy (Oppenheimer).

Guerra Civil estreia nos cinemas de todo o Brasil no dia 18 de abril.