Filme "Steve Jobs" é retirado de cartaz em milhares de cinemas dos EUA

Por Redação | 09 de Novembro de 2015 às 14h09

Há pouco menos de um mês, o mais novo filme biográfico sobre Steve Jobs, intitulado apenas Steve Jobs, estreou nos cinemas norte-americanos, mas a produção não alcançou o sucesso esperado. Na verdade, o longa foi retirado de cartaz em 2.072 salas de cinema dos Estados Unidos após apresentar números considerados desastrosos no último fim de semana.

Os lucros obtidos pela produção apresentaram uma queda de 69% em relação ao fim de semana anterior, chegando a apenas US$ 823 mil. Para ilustrar melhor o cenário, o novo filme de James Bond (007 Contra Spectre) arrecadou US$ 73 milhões nas bilheterias durante o seu primeiro fim de semana em exibição. As projeções de bilheteria para a cinebiografia de Jobs giravam em torno de US$ 15 milhões a US$ 19 milhões para o fim de semana de estreia.

Alguns críticos e analistas de mercado atribuem o fracasso a alguns fatores, entre eles algumas supostas imprecisões apresentadas no longa. O próprio roteirista do filme, Aaron Sorkin, disse que as pessoas podem ter se enganado sobre o conteúdo da produção. "Não há fatos sobre Steve Jobs que foram distorcidos, pervertidos ou inventados, exceto isso: Steve Jobs não teve confrontos diretos com cinco pessoas a 40 minutos antes de cada lançamento de produto. Isso é vaidade de um escritor", disse.

As polêmicas acerca do conteúdo do filme foram discutidas por diversas personalidades, entre elas Jony Ive, o chefe de design da Apple, que afirmou não ter reconhecido a personalidade do ex-CEO da companhia no personagem vivido por Michael Fassbender. Tim Cook e a viúva de Jobs, Laurene Powell, também discordaram da produção antes mesmo de seu lançamento.

A cinebiografia de Steve Jobs estreia no Brasil apenas em 28 de janeiro de 2016.

Fonte: Cult of Mac

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.