Crítica Trem-Bala | Novo filme de ação com Brad Pitt é violentamente divertido

Crítica Trem-Bala | Novo filme de ação com Brad Pitt é violentamente divertido

Por Natalie Rosa | Editado por Jones Oliveira | 03 de Agosto de 2022 às 21h30
Sony Pictures

Trem-Bala, o novo filme do diretor de Deadpool 2, David Leitch, chega aos cinemas prometendo muita ação e comédia em um thriller eletrizante. E a promessa, felizmente, foi mais do que cumprida.

Assistindo ao trailer de Trem-Bala, você pode imaginar se tratar de mais um longa de ação, com cenas de violência desnecessárias e histórias absurdas. O filme até conta com um pouco disso, mas entrega um roteiro interessante, divertido e momentos que fixam nossos olhos na tela ao longo de duas horas de duração.

Atenção: esta crítica pode conter spoilers de Trem-Bala!

Em Trem-Bala, Brad Pitt é Ladybug (Imagem: Divulgação/Sony)

O filme se passa em um trem-bala (claro) que está viajando de Tóquio para Kyoto, um trecho que dura, aproximadamente, 2 horas e 15 minutos. Neste percurso está Ladybug, o novo nome de serviço do criminoso protagonista interpretado por Brad Pitt. Só que o bandido não é o único "fora da lei" a embarcar no veículo.

No mesmo trem-bala estão outros assassinos escolhidos para outras missões. No entanto, ao longo da viagem, eles vão descobrindo que suas tarefas estão relacionadas de alguma forma, e tudo isso acontece de maneira bem caótica.

Personagens

O gênero de ação e violência cai muito bem para Brad Pitt, que depois de brilhar em Era Uma Vez em... Hollywood, filme do diretor Quentin Tarantino, ganhou mais uma chance de explorar o seu talento dentro desta temática. O personagem Ladybug não poderia estar em melhores mãos.

O assassino nos diverte com seu desejo de deixar a vida tóxica e cheia de negatividade de lado, em uma decisão que lembra a premissa da série Barry, da HBO. Enquanto cumpre a missão contra a sua vontade, Ladybug divaga frequentemente sobre ser uma pessoa azarada, ou que atrai o azar.

Em busca de uma vida mais tranquila, protagoniza diálogos divertidos e clichês sobre positividade que são desconexos da realidade do que está acontecendo naquele trem. Sem querer, Ladybug mata diversas pessoas e fica extremamente indignado por isso tudo estar acontecendo.

A interação com os outros personagens, tão interessantes quanto, também é crucial para que Ladybug conquiste com seu carisma. Em meio a muito sangue, socos, chutes, facadas, tiros e envenenamentos,Trem-Bala consegue divertir com diálogos irônicos e impecáveis, enquanto ostenta lutas muito bem coreografadas para um veículo em movimento.

Além de Brad Pitt, o filme destaca a ótima interpretação dos atores Aaron Taylor-Johnson (Tangerine), Joey King (Prince), Brian Tyree Henry (Lemon), Andrew Koji (Kimura), Bad Bunny (Wolf), entre outros que complementam o elenco.

O filme é baseado em um livro japonês (Imagem: Divulgação/Sony Pictures)

Roteiro

Apesar de todo o caos apresentado em Trem-Bala, não é difícil entender a história e ligar os pontos das conexões entre os personagens e um único chefe do crime. O roteiro do longa é bem amarrado e traz um ótimo exemplo de como contar histórias.

A trama escolhe apresentar os personagens de forma individual ao longo dos minutos, tática que também ajuda o espectador a se situar nos acontecimentos e não se perder com tanta coisa em curso. Apesar de ser uma produção violenta e com matanças no melhor estilo Kill Bill, por exemplo, Trem-Bala acerta nos diálogos estrategicamente irônicos.

A escolha do humor, nesta história que é baseada no livro Maria Beetle, do Japão, é extremamente inteligente. Assim, fica mais fácil abordar o absurdo de diversas formas do que se fosse em uma produção criada para ser levada a sério. E justamente por não ter essa obrigação, Trem-Bala consegue ser genial e, sim, ser levado a sério pela qualidade apresentada.

Um dos pontos mais altos do humor é referenciar do começo ao fim a animação infantil Thomas e Seus Amigos, da década de 1980, que conta a história de uma locomotiva falante. O desenho tem como premissa, segundo a sinopse oficial, falar sobre amizade, respeito e companheirismo, e tudo isso é visto em Trem-Bala e faz bastante sentido no final.

Visual

Por fim, Trem-Bala também acerta na estética impecável, poluída por inúmeros objetos e colorida, já conhecida em produções que abordam o Japão e sua capital. O filme traz bastante neon, luzes e personagens japoneses que ilustram as cabines do trem-bala.

O longa, portanto, marca todos os itens de uma lista hipotética do que um filme precisa a nossa atenção do início ao fim: ótimo elenco, excelente roteiro e com atrativo visual. Diferente de muitas produções de ação, o novo filme de Brad Pitt se consagra como uma trama que merece a atenção em 2022 para não ser mais esquecido.

Trem-Bala chega oficialmente aos cinemas de todo o Brasil no dia 5 de agosto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.