O céu (não) é o limite | Asteroide por perto, explosão na SpaceX e muito mais!

Por Patrícia Gnipper | 06 de Março de 2021 às 20h00
urikyo33/Pixabay/JAXA/NASA Spaceflight

A primeira semana do mês de março está chegando ao fim, e vocês já sabem: com o fim de uma semana, chega o "resumão" do Canaltech, trazendo as notícias espaciais mais quentes do momento em uma síntese que leva poucos minutos para ser "devorada".

Vamos lá!

Asteroide polêmico passou perto

(Imagem: Reprodução/urikyo33/Pixabay)

Na sexta-feira (5), o polêmico asteroide Apophis fez uma aproximação com a Terra. Polêmico porque ele ficou conhecido como "aquele" que poderia colidir com a Terra em 2029 — mas, fiquem tranquilos, pois cálculos orbitais mais apurados foram feitos desde sua descoberta, em 2004, e hoje sabemos que as chances de isso acontecer são ínfimas.

Com cerca de 340 metros de largura, o 99942 Apophis é o que astrônomos chamam de “objeto próximo à Terra” (NEO, na sigla em inglês), mas sua distância durante sua passagem nesta semana foi de 0,11 unidades astronômicas (uma unidade astronômica é equivalente à distância média entre a Terra e o Sol), ou 44 vezes a distância entre a Terra e a Lua.

Saiba mais sobre o asteroide Apophis; clique aqui.

SpaceX consegue pousar protótipo do Starship — mas ele explodiu em seguida

Após dois protótipos anteriores do foguete Starship terem explodido ao tocar o solo, o SN10 obteve o pouso bem-sucedido tão aguardado por todos — tanto pela SpaceX, quanto pelos entusiastas do assunto. É um tremendo avanço rumo à versão final do veículo espacial reutilizável, que levará cargas e humanos a destinos como a Lua e Marte. Contudo, sete minutos após pousar, o SN10 acabou "voando" de novo; desta vez, em uma enorme explosão.

De qualquer maneira, o veículo alcançou cerca de 10 km de altitude e sua descida controlada, finalizada com o pouso suave, foi um verdadeiro sucesso. Vale lembrar que esses testes são justamente o momento em que erros devem acontecer, para que a empresa consiga contorná-los em protótipos subsequentes rumo a uma versão final estável e segura.

Clique aqui para saber mais sobre a explosão do SN10.

Asteroide estudado por sonda japonesa tem água e compostos orgânicos

A amostra do asteroide sendo coletada por uma agulha de vidro (Imagem: Reprodução/ISAS-JAXA)

A missão japonesa Hayabusa enviou uma sonda ao asteroide Itokawa em 2005, chegando lá cinco anos depois com o objetivo de recolher amostras do objeto, trazendo-as à Terra. Agora, ao analisar o material mais a fundo, cientistas britânicos descobriram existir água e compostos orgânicos naquele material.

Esta é a primeira vez que tais compostos, que podem ter ajudado no surgimento da vida na Terra, foram identificados em um asteroide. E isso é importante, pois entender as reações que ocorreram com a água líquida é essencial para os cientistas saberem mais sobre o surgimento e evolução da vida a partir de compostos orgânicos, aprendendo mais sobre como a vida floresceu em nosso planeta. E é aí que entra o papel dessas missões que trazem amostras de objetos espaciais datados do início da formação do Sistema Solar, aqueles que preservam esses compostos tal qual eles se apresentavam nos primórdios da Terra.

Entenda melhor essa história clicando aqui.

Bilionário japonês busca oito pessoas para viagem à Lua

View this post on Instagram

A post shared by #dearMoon (@dearmoonproject)

Em 2018, a SpaceX anunciou que o bilionário japonês Yusaku Maezawa seria a primeira pessoa comum a dar uma voltinha ao redor da Lua em 2023, com o então foguete chamado BFR, que foi então renomeado como Starship. Na época, Maezawa reservou oito assentos na espaçonave e, agora, está convidando pessoas para se juntarem a ele nessa viagem fantástica.

Inicialmente, ele queria que seus convidados fossem artistas, mas houve uma mudança de planos/ Agora, ele ampliou os seus critérios e quer que seus passageiros sejam quaisquer pessoas que consigam alcançar grandes feitos na vida ao ir para o espaço: “se você for para o espaço, você pode fazer algo ainda maior e melhor?”, disse.

Se tudo der certo, essa será a primeira vez que humanos vão para a órbita lunar desde 1972 — já que o retorno de astronautas da NASA à Lua está previsto para a partir de 2024.

Ficou interessado? Clique aqui para saber mais.

Missão chinesa mostra fotos de Marte em alta resolução

A maior cratera de impacto registrada nasimagens pode ter mais de 600 m de diâmetro (Imagem: Reprodução/CNSA)

A sonda Tianwen-1, que está orbitando Marte enquanto busca o melhor local para pousar seu rover, também está fotografando o Planeta Vermelho — e a agência espacial chinesa já divulgou suas primeiras imagens em alta resolução.

As fotos foram tiradas quando o orbitador se encontrava a cerca de 350 km de altitude da superfície marciana. O pouso do rover está previsto para acontecer no mês de maio.

Clicando aqui, você vê mais imagens e detalhes a respeito.

Furacão espacial é observado pela primeira vez

Ilustração do furacão na alta atmosfera terrestre, acima do Polo Norte (Imagem: Reprodução/Qing-He Zhang/Universidade de Shandong)

Pela primeira vez, um furacão espacial foi observado na alta atmosfera da Terra. O fenômeno é bem parecido com a estrutura dos furacões que todo mundo conhece, aqueles que ocorrem na baixa atmosfera terrestre, mas esse furacão espacial é formado por plasma e, em vez de chover água, chovem elétrons.

Usando os dados da observação, foi possível criar uma imagem 3D da massa rodopiante de plasma, com cerca de um quilômetro de largura e centenas de quilômetros acima do Polo Norte.

Saiba mais sobre essa novidade; clique aqui.

Leia também:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.