Missão chinesa Tianwen-1 revela suas primeiras fotos de Marte em alta definição

Missão chinesa Tianwen-1 revela suas primeiras fotos de Marte em alta definição

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 05 de Março de 2021 às 11h50
Reprodução/CNSA

Nesta semana, a agência espacial chinesa China National Space Administration (CNSA) publicou as primeiras imagens em alta definição de Marte, feitas pela missão Tianwen-1. A sonda, que está orbitando o Planeta Vermelho desde fevereiro, fez duas imagens em preto e branco e uma colorida, que mostram as diferentes formações geológicas que existem por lá.

A Tianwen-1 chegou ao planeta em 10 de fevereiro e segue na órbita enquanto faz registros e análises da superfície marciana para buscar o melhor lugar para pousar seu rover. Segundo informações da CNSA, as duas imagens em preto e branco têm resolução de 7 metros e foram feitas pela câmera de alta definição do orbitador, quando se encontrava a cerca de 350 km de altitude da superfície do planeta.

A maior cratera de impacto registrada nasimagens pode ter mais de 600 m de diâmetro (Imagem: Reprodução/CNSA)

Composta por um orbitador e um módulo de aterrissagem, que guarda um rover em seu interior, a missão deverá se manter por mais alguns meses na órbita atual, enquanto busca o melhor lugar para liberar sua cápsula de pouso. Enquanto isso, todas as sete cargas úteis a bordo do orbitador serão ativadas gradualmente enquanto a sonda fica na órbita, para realizar tarefas científicas e observar as formações geológicas e o clima de Utopia Planitia, onde o rover deverá ser pousado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Trata-se de uma grande planície no interior de Utopia, a maior bacia de impacto que conhecemos no Sistema Solar. A região tem algumas crateras e fendas e possui geologia plana e suave, o que a torna um local seguro para o pouso do rover — que, se acontecer com sucesso, será o sexto rover a pousar em Marte. Além disso, alguns cientistas acreditam que houve fluxos de lama por lá no passado, de modo que a área pode ter guardado água em seu interior.

A outra imagem de Marte em alta resolução feita pela sonda (Imagem: Reprodução/CNSA)

O rover que irá explorar Utopia Planitia pesa cerca de 240 kg, possui seis rodas, quatro painéis solares e pode se mover a 200 m/h na superfície de Marte. O veículo, que ainda não tem nome, está equipado com seis instrumentos científicos; entre eles, há uma câmera de espectros múltiplos, um radar capaz de penetrar no solo e um instrumento de medidas climáticas, e o veículo deverá trabalhar por três meses no Planeta Vermelho.

A Tianwen-1 foi uma das três missões lançadas em julho do ano passado para aproveitar o momento de maior proximidade entre Marte e a Terra, que ocorre a cada dois anos, e já voou por 224 dias e mais de 470 milhões de quilômetros. No momento, ela se encontra a 212 milhões de quilômetros de distância da Terra. Esta foi a primeira missão independente que a China lança com destino a Marte, e deu início ao programa de exploração planetária do país.

A imagem colorida do polo norte de Marte, feita por outa câmera do orbitador (Imagem: Reprodução/CNSA)

Além da Tianwen-1, foram lançadas no mesmo mês a Hope Mars, dos Emirados Árabes, e a Mars 2020, dos Estados Unidos. A sonda árabe chegou a Marte em 9 de fevereiro para passar dois anos orbitando o planeta, enquanto realiza estudos climáticos e faz um mapeamento global dele. Já a missão da NASA pousou o rover Perseverance na cratera Jezero em 18 de fevereiro para realizar estudos em busca de possíveis bioassinaturas que, se existirem, indicam a ocorrência de formas de vida microbianas no passado marciano.

Fonte: Xinhua, CNSA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.