Toyota Prius movido a hidrogênio chegando em 2022? Calma que não é bem assim

Toyota Prius movido a hidrogênio chegando em 2022? Calma que não é bem assim

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 27 de Setembro de 2021 às 11h55
Reprodução/Best Car

A atual geração do Toyota Prius está prestes a ser aposentada e substituída por uma nova que tem sob o capô um motor a combustão, mas que queime hidrogênio. Uma reportagem da Forbes publicada em agosto revelou que a intenção da marca é adotar a novidade já em dezembro de 2022, mas a história evoluiu e a mudança, a princípio, não será tão radical assim.

A montadora japonesa confirmou que a 5ª geração do Prius deve mesmo ser apresentada no fim do ano que vem. No entanto, ela seguirá a fórmula de sucesso que atualmente está no carro, ou seja, apresentará uma versão remodelada e mais tecnológica do motor híbrido flex (a combustão associado a um elétrico). O diferencial dessa primeira fase da evolução será mais focada no design do Prius.

A presença de um motor a combustão movido a hidrogênio, no entanto, não está tão distante. Uma reportagem do site japonês Best Car lembrou que, recentemente, o próprio presidente da montadora, Akio Toyoda, apareceu na TV ao volante de um Prius construído nos mesmos moldes que estarão presentes no Corolla Sport.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

E quando ele chega?

Imagem: Reprodução/Best Car

A novidade em relação à matéria publicada pela Forbes no fim de agosto é justamente sobre quando o Toyota Prius movido a hidrogênio será disponibilizado ao público e, enfim, ganhará as ruas. De acordo com o Best Car, a previsão é para 2025.

A ideia da Toyota, segundo a imprensa local, é que o motor de combustão a hidrogênio no Prius PHEV seja adotado quando for possível andar “de mãos dadas” com a infraestrutura necessária para o reabastecimento desse tipo de carro. Esse, aliás, até hoje é apontado como um dos principais fatores que impedem os carros elétricos de emplacarem definitivamente em alguns mercados, sobretudo o Brasil.

Fonte: Inside EVs, Best Car

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.