Análise | Volvo XC40 T5 Plug-In Hybrid pode tornar sua vida muito melhor

Por Felipe Ribeiro | 12 de Julho de 2020 às 10h00
Felipe Ribeiro/ Canaltech

A estreia da Volvo entre as análises de automóveis no Canaltech não poderia ser melhor. Um produto que alia hoje o que é o maior desejo dos consumidores brasileiros, os SUVs, com a eficiência e o zelo com o meio ambiente que um carro eletrificado por ter – neste caso, um híbrido plug-in.

O XC40 T5 Plug-In Hybrid R-Design é uma tentativa da Volvo em competir com modelos como Audi Q3, BMW X1 e Mercedes GLA 200 e ter o mesmo sucesso que seu irmão maior faz, o XC60. A grande questão, porém, é como convencer o cliente que tem o perfil desses automóveis e que dificilmente abre mão do conforto e confiabilidade dos alemães.

Ainda teremos os referidos modelos germânicos em nossos testes, mas mesmo com o pouco tempo em que tivemos com o XC40 híbrido, fica claro que o produto da montadora sueca tem predicados suficientes não apenas para enfrentar esses SUVs de luxo de igual para igual, mas também de superá-los em diversos aspectos, sobretudo, na segurança e, principalmente, claro, no consumo. Afinal, estamos falando de um híbrido.

 Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

Bem-vindo à Escandinávia

Ao entrar na cabine do XC40 em sua versão topo de linha, a sensação é próxima a de estar na sala da sua casa. Os materiais utilizados para o acabamento deste SUV são de uma qualidade absurda e, apesar da sobriedade que a Volvo faz questão de passar, é inevitável não se encantar com tudo o que te cerca. Vale mencionar que o XC40 é o SUV de entrada da marca, ou seja, a coisa ainda melhora nos demais veículos.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

Algo, porém, que chama muito a atenção é o estilo minimalista adotado pela Volvo e algumas coisas que foram pensadas para dar aos passageiros uma sensação de conforto ainda maior. A começar pelos bancos de camurça, que, mesmo em dias um pouco mais quentes, te deixam respirar e, no meu modo de ver, são muito mais elegantes do que os de couro – embora ainda tenham partes com o material presentes e à mostra.

Voltando ao minimalismo, a montadora sueca praticamente eliminou os botões da sua vida dentro do XC40, restringindo-os apenas ao volante e ao comando de mídia, inteligentemente localizado em um posicionamento que não atrapalha nem o condutor e nem o passageiro. Todos os comandos de climatização e demais funções do carro podem ser feitas pela tela multimídia de 9 polegadas, mas que descrevermos mais à frente.

Há, também, alguns outros mimos que nos surpreenderam de maneira positiva, como o teto solar panorâmico e, a cerejinha do bolo em meio aos frufrus do carro: cromoterapia. Mesmo que a Volvo não tenha destacado isso em seus materiais, o esmero que o pessoal da marca teve com esse item, que parece escondido, é de se elogiar. As luzes de cortesia do XC40 podem ser customizadas e selecionadas de acordo com o clima ou o seu humor, podendo ficar vermelhas, verdes, roxas, amarelas, brancas e laranjas. Isso já pode ser visto em alguns modelos da Mercedes, por exemplo, mas foi bom ver a Volvo, conhecida por sua sobriedade, apostar em algo assim.

Tudo é possível...

Poucos produtos, em qualquer que seja o mercado, fazem tudo com perfeição. Claro que o XC40 em sua versão híbrida não é perfeito, mas ele tenta – e quase consegue. E isso vai desde seu desempenho para lá de satisfatório, até seu consumo de combustível e modos de condução.

O XC40 em sua versão híbrida plug-in traz o novíssimo motor T5 Engine FWD, composto por dois propulsores: um elétrico, de 82cv e outro turbo, movido à gasolina, e que gera bons 180cv. Com tudo funcionando junto, temos um SUV capaz de despejar 262cv de potência, com 42,5 kgf/m de torque.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

O que impressiona no XC40 é sua competência em qualquer que seja o modo de condução, que foi dividido em quatro opções (mais uma em que você mesmo customiza):

Hybrid: Uso cotidiano. Utilização combinada do motor elétrico e combustão otimizando potência e consumo de combustível.

Pure: Condução econômica. 100% de uso do motor elétrico, baixo consumo e emissão zero. Indicado para uso urbano.

Power: Condução esportiva. Potência e torque máximo disponível com respostas mais rápidas do acelerador e trocas de marcha Sport com foco em performance.

Off-Road: Para condução em terrenos fora de estrada entre 20 e 40 km/h.

Individual: O motorista escolhe as suas preferências de condução.

Utilizamos o carro para o nosso dia a dia e em diversas situações de trânsito. Por mais potente e torcudo que ele seja, a impressão que nos deu é que o XC40 foi feito e pensado para o conforto, e não tanto para a esportividade. Não que ele seja um carro insosso (muito pelo contrário), mas guia-lo requer um certo requinte e zelo. E isso pode ser explicado justamente pelos modos de condução que descrevemos acima.

Quando o utilizamos no modo hybrid, o sistema do carro sempre privilegia o modo elétrico, fazendo com que o consumo de combustível seja espetacular, beirando os 25km/l. Isso, porém, deixa o carro muito mais manso, o que praticamente te obriga a ter uma condução mais serena e pautada na economia. Neste modo, inclusive, o motor à combustão só entra em ação mesmo quando pisamos fundo e ultrapassamos um “limitador de giro”, posicionado no cluster principal. Por esse motivo, o motorista precisa prestar atenção na autonomia e fazer valer os demais modos de condução para ter uma experiência completa com o XC40 Hybrid.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

Agora, se você quer mesmo experimentar todo o poderio que o XC40 Hybrid tem e não liga muito para o consumo, selecione o modo Power, que vai fazer com que a eletrônica do SUV “permita” ele despeje toda a potência e torque disponíveis. Para ser sincero, utilizamos esse modo prioritariamente na estrada, já que viajando em linha reta e sem a necessidade de mudanças de velocidade, dá para se divertir um pouco e testar os demais recursos tecnológicos que o carro possui justamente para esse tipo de situação.

Ainda falando na relação desempenho/ consumo, caso você fique sem bateria e precise rodar com o motor à combustão sempre no comando, o XC40 fica mais “pesado” e beberrão. Por isso, para desfrutar 100% deste automóvel, o recomendado é ter um comportamento mais cotidiano, pautado no equilíbrio e na sobriedade.

até ser 100% elétrico

Por ser um híbrido plug-in, o XC40 Hybrid te permite percorrer até 47 quilômetros com apenas uma carga de bateria. Isso, na cidade, é basicamente o mesmo que ir e voltar do trabalho sem gastar uma gota de gasolina. O problema por aqui, claro, fica restrito à infraestrutura das cidades quando falamos em carros elétricos.

No entanto, a Volvo garante que mesmo que você carregue o XC40 em sua casa, com o cabo que já o acompanha, seu aumento na conta de luz não deve ultrapassar os 30%. Para isso, porém, programe-se: para carregar o SUV por completo na tomada de casa, são necessárias 8 horas. Em uma estação de carregamento rápido, porém, esse tempo cai para algo em torno dos 50 minutos, em nossos testes.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

É bom lembrar que também é possível carregar o Volvo XC40 com o próprio motor à combustão, simplesmente apertando o modo charge, localizado no sistema do carro. Caso você também queira poupar sua bateria, há o modo “hold”, que usa o motor elétrico apenas em caso de extrema necessidade.

Ele te doutrina

A fama dentro do mercado automotivo é de que os carros da Volvo são os mais seguros do mundo. Por mais que o XC40 seja um dos modelos de entrada da montadora, não dá para negar que ele é completaço quando falamos de equipamentos e sistemas de segurança, e isso, claro, faz com que tenhamos ainda mais zelo para guia-lo por nossas ruas, mesmo sabendo que, em caso de necessidade, estaríamos muito bem protegidos.

O conjunto de radar e câmera integra sistemas como o Pilot Assist que, com o Controle de Cruzeiro Adaptativo (ACC), mantém a velocidade e uma distância predefinida do veículo à frente, corrigindo a direção para manter o carro na faixa (até 130 km/h).

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

Além disso, o SUV é equipado com o City Safety, um sistema de frenagem automática; o LKA, um sistema de alerta de mudança de faixa com assistente de direção; o HSA, que é um assistente de partida em aclives; o HDC, que auxilia em descidas; e, para completar, os alertas de colisão dianteiro e traseiro. Já o Chassi Sport reforça os aspectos exclusivos da versão R-Design, que ainda traz sistema de alerta de ponto cego (BLIS) com Cross Traffic Alert.

Durante nossos testes, ficamos impressionados como esses sistemas atuam e em situações das mais variadas e de modo ativo. É claro que recursos como o ACC e os alertas de colisão, que já vimos em outros veículos, inclusive, são importantes, mas, algo que realmente chamou a atenção no XC40 é em como o freio é seu aliado em todos os momentos do passeio.

Dentro do Volvo, o pedal de freio é quase como se fosse um ser independente, que “ajusta” seu modo de dirigir e te doutrina, por assim dizer. É bom lembrar que em todos os testes do Canaltech nós conduzimos todos os carros, dos mais simples aos mais equipados, com o máximo de cuidado, mas, cada um tem um modo específico de conduzir, e isso pode ser evidenciado naquilo que podemos chamar de “hora certa de pisar no freio”.

Uns deixam para fazer isso mais próximos ao veículo da frente, já outros adotam um estilo mais conservador, parando desde muito longe. O XC40 acaba com todos esses problemas e te “avisa” quando você deve começar a frenagem dando alguns “tapas” no pedal. Isso, além de educar o motorista, torna a condução muito mais segura.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

Outro dos recursos que também chamou a atenção foi o sistema de auxílio para permanência em faixa. Diferente do que vimos em carros como o Toyota Corolla Hybrid e o Hyundai HB20 Diamond Plus, o Volvo XC40, além de te alertar sobre possíveis saídas de trajetória, te recoloca no lugar para o caso de uma distração. Isso é possível, claro, graças ao conjunto de câmeras e sensores que o SUV possui, o que confere uma condução muito mais segura.

Sei que já falamos sobre isso no Canaltech, mas não custa nada reforçar: por mais que os veículos – sobretudo o XC40 – estejam cada vez mais seguros e com tecnologias semiautônomas de condução, tudo, tudo deve estar ao comando do motorista, que deve sempre estar atento ao que acontece dentro e fora do veículo.

Completam os itens de segurança os sete airbags, câmera de ré com alta resolução, retrovisores rebatíveis eletronicamente, porta-malas com tampa automática, chamada de assistência emergencial Volvo on Call (concierge), indicador de fadiga, faróis direcionais, controles de estabilidade, controle de tração, conjunto óptico em LED e o leitor de placas de velocidade.

Som de cinema

Vale destacar, também, o sistema de infotenimento do Volvo XC40 Hybrid, que é assinado pela conceituada Harman/Cardon. Dentro do SUV, ao fazer o uso dos 600W de potência espalhados pelos 13 alto-falantes, a impressão é de estarmos na sala de um cinema, tamanha a qualidade e imersão do áudio, seja qual for o tipo de música - algo que, com toda a certeza, nossa editora Luciana Zaramela aprovaria com sobras.

Imagem: Felipe Ribeiro/ Canaltech

O sistema de infotenimento ainda possui uma bela central multimídia de 9 polegadas e que é posicionada de modo vertical. Apesar de ter todas as informações possíveis e ser extremamente rápida e completa, ao usarmos o Android Auto ou o Apple Car Play, esses sistemas aparecem em um tamanho um pouco reduzido, o que pode frustrar algumas pessoas. Em contrapartida, caso você abra mão de espetar seu smartphone no XC40, há GPS Nativo e muitíssimo bem atualizado e a possibilidade de outras fontes de som, com conexão Bluetooth e USB.

É bom destacar, também, o cluster principal de 12,3 polegadas, que exibe, no centro, o caminho que você está percorrendo no GPS e, nas laterais, informações como média de consumo total, velocidade, conta giros e demais tecnologias do carro. O ponto negativo por aqui é que a parte central só pode exibir o GPS e não podemos reorganizá-la, como é possível fazer no Audi e-Tron, por exemplo, ou no Volkswagen Polo.

Veredicto

Desnecessário dizer se o Volvo XC40 T5 Hybrid Plug-In R-Design vale a pena. Lindo, competente, luxuoso e equipado, esse SUV sueco tem tudo para bater de frente com os alemães em todos os aspectos possíveis. Com um maior investimento da Volvo no mercado brasileiro, a tendência é de que este produto tenda a ganhar cada vez mais participação e aquecer ainda mais o segmento de SUVs compactos premium.

A possibilidade de ser conduzido apenas no modo elétrico é um dos pontos pelos quais, talvez, esse SUV possa vir a ser o queridinho do segmento. Afinal de contas, rodar com segurança, conforto e ainda economizar em idas ao posto de gasolina, são um chamariz e tanto.

A versão testada pelo Canaltech, a XC40 T5 Hybrid Plug-In R-Design, é a topo de linha da gama e sai por R$ 245.950.

O XC40 T5 Hybrid Plug-In R-Design utilizado para essa análise foi gentilmente cedido ao Canaltech pela Volvo Cars Brasil.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.