Análise | Polo Beats anda muito, tem ótimo sistema de som, mas peca nos detalhes

Por Felipe Ribeiro | 18 de Maio de 2020 às 10h57
Volkswagen Divulgação
Tudo sobre

Volkswagen

Saiba tudo sobre Volkswagen

Ver mais

Lançado em 2017, o Volkswagen Polo chegou para, naquele momento, competir diretamente com o também recém-lançado Fiat Argo, quando ambos elevavam o patamar dos carros compactos no Brasil com bom espaço interno, itens tecnológicos de série em várias de suas versões e motores bem interessantes, principalmente o TSI da montadora alemã, que transformara seu mais novo carro, na época, no mais competente da categoria.

Mas, claro, tudo isso cobra o seu preço e, por mais que a Volkswagen tenha apelidado o Polo de “novo Golf”, o compacto premium está longe – bem longe – de chegar perto do seu irmão maior quando pensamos em nível de produto, mesmo ele sendo um carro bem interessante.

A versão testada pelo Canaltech foi a Beats, que é baseada no modelo topo de linha Highline. O diferencial deste produto, além do design, é seu equipamento de som da marca Beats, que deixa o carro um verdadeiro canhão quando pensamos em qualidade sonora. Porém, apesar de bem equipado e gostoso de dirigir, algumas coisas dentro do Polo incomodam demais.

Sonzera pura

O pacote Beats foi desenvolvido pela Volkswagen em conjunto com os especialistas em áudio da BeatsAudio com foco em um público mais jovem, não apenas pelos apetrechos sonoros, mas também pela aparência. Seu sistema premium de som conta com 300 watts e amplificador digital de 8 canais, divididos em quatro alto-falantes, dois tweeters e um subwoofer com ajustes especiais, que tornam a experiência das músicas no veículo muito divertida e agradável, mesmo com o volume no talo.

Também é possível fazer ajustes finos no equalizador que a Beats disponibiliza, mexendo nos agudos e graves com base no estilo musical, além do balanço para as diferentes zonas do carro.

Em nossos testes, ao contrário do que vimos em outros sistemas de som, o Beats se comporta de maneira competente em quase todos os estilos musicais, mas é impossível não destacar como ele vai bem com um bom e velho metal das antigas, com todos os instrumentos ecoando de maneira limpa e cristalina.

Desempenho de hatch médio

Como falamos acima, o Polo foi lançado com a ideia de ser um veículo capaz de entregar aos consumidores desempenho, conforto e equipamentos de um carro de categoria superior – e não dá para dizer que ele falhou. Seu motor 1.0 turbo TSI de 128cv (no etanol) e 20 kgf/m de torque torna o carrinho muito gostoso de dirigir, ágil toda vida, com boas retomadas, aceleração esperta e consumo atraente, com 11,4 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada com gasolina e 7,9 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol. Tudo isso, claro, acoplado a um excelente câmbio automático de seis velocidades.

Imagem: Volkswagen

A direção elétrica é bem calibrada e deixa o carro “na mão” em quase todos os momentos, principalmente em manobras essencialmente bruscas e que exigem agilidade do motorista. Na estrada, o Polo também se comporta muito bem, não deixando a desejar em momento algum, mesmo com o chamado “turbo lag” aparecendo em alguns momentos.

Seu rodar não é tão macio quanto de concorrentes como o Fiat Argo, pois sua suspensão é um pouco mais dura e transmite mais os solavancos da cidade grande para dentro da cabine. O isolamento acústico, porém, é aceitável e chega a ser melhor que o dos novos Onix e HB20.

A posição de direção tem ajuste apenas de altura, mas nada que atrapalhe a experiência, pois o posicionamento do banco do motorista foi bem pensado e passa uma sensação de segurança e domínio bem importantes.

A qualidade do Polo enquanto automóvel é notória e escancara a decisão acertada da Volkswagen em trazer um projeto global para o Brasil. Os detalhes, porém, podem fazer você repensar em ter um, sobretudo levando em consideração seu preço elevado.

Bem equipado, mal-acabado

Uma das características que faz o Polo transmitir a sensação de que é um carro de categoria superior é seu pacote de equipamentos. Sistema de som à parte, o sistema multimídia do carro, somado ao seu pacote de segurança, o tornam um produto muito atrativo.

A central multimídia Discover Media com tela sensível ao toque de 8 polegadas tem a aparência de um tablet e eficiência mais do que suficiente, sendo muito responsiva e com excelente resolução. Além dela, a versão que testamos era equipada com o Active Info Display, uma tela de 10 polegadas localizada no cluster central e que pode ser vista em modelos mais caros do grupo, como o Audi e-Tron, testado pelo Canaltech. Importante ressaltar que a central multimídia do Polo é compatível com o Android Auto e com o Apple Car Play.

Imagem: Volkswagen

No quesito segurança, o veículo ganhou nota máxima do LatinNCap e é equipado com quatro airbags de série, controles de estabilidade e tração, sensor presencial para destravamento, sensor crepuscular, sensor de chuva, sensores de estacionamento traseiros e dianteiros, câmera de ré, comando de voz, detector de fadiga, espelho retrovisor interno antiofuscante automático (eletrocrômico), faróis com função “coming/leaving home”, luz de condução diurna em LED ao lado dos faróis de neblina, indicador de pressão dos pneus e Post Collision Brake, um sistema de segurança que para o carro após uma colisão.

Essa grande oferta de itens, porém, não é coerente com o que vimos no acabamento do carro. Grande diferencial do Polo Beats, o revestimento interno vermelho que cobre boa parte do painel incomoda um bocado quando estamos dirigindo sob o sol. Além de esquentar a cabine mais do que o normal, ele reflete os raios solares e atrapalha a condução. A qualidade dos materiais é outro ponto negativo. Foi possível ver algumas rebarbas nas portas e em outros locais do painel.

Esses detalhes até podem passar despercebidos pela maioria dos consumidores, mas os clientes mais exigentes certamente levarão isso em consideração antes de adquirir um Polo. É bom lembrar, porém, que a versão Highline sem o pacote Beats vem com revestimento em cinza claro e também possui esses problemas de reflexo e aquecimento, porém com efeito minimizado.

Imagem: Volkswagen

A aparência, no entanto, divide opiniões. Por ser uma versão especial, fica mais fácil de driblá-la, a não ser que você faça questão do pacote sonoro Beats (que, sim, faz diferença). No entanto, quando falamos em acabamento e nível de detalhamento, o Polo está mais para Gol do que para Golf.

Completam os itens de conforto e opcionais:

Partida do motor por botão no console central, controlador automático de velocidade de cruzeiro, ar-condicionado “Climatronic”, banco do passageiro dianteiro rebatível, descanso de braço dianteiro com porta-objetos e 2 portas USB para carregamento, porta-luvas refrigerado, faróis de neblina com função “cornering light” (luz de conversão estática), luz de condução diurna (DRL) em LED ao lado dos faróis de neblina, rodas de liga leve de 16”, sobretapetes e volante multifuncional revestido de couro com “shift paddles” e detalhes em preto brilhante na cabine.

Atraente sim, mas peca nos detalhes

O Volkswagen Polo Beats faz jus ao que pensamos como compacto premium. O carro é um dos mais completos da categoria, tem espaço interno que passa um certo conforto e, mesmo com um rodar um pouco mais duro do que rivais diretos, compensa com sua dirigibilidade agradável e com toque esportivo.

Seu sistema de som Beats é, sim, um atrativo considerável, pois torna a viagem no carro muito mais agradável e dá um ar de sofisticação ao veículo, mesmo que esse pacote, infelizmente, traga escolhas controversas de acabamento. Apesar de todo o seu aparato tecnológico, o Polo Beats peca nos detalhes e isso pode afastar consumidores mais exigentes.

Ter um Polo vale muito a pena, mas os concorrentes incomodam e agradam mais, sobretudo nos detalhes.

Preços (a partir de) e versões:

  • Novo Polo Sense 200 TSI 2020 (PcD) – R$ 69.990
  • Novo Polo 1.0 MPI 2020 – R$ 53.590
  • Novo Polo 1.6 MSI 2020 – R$ 61.150
  • Novo Polo 1.6 MSI AT 2020 – R$ 63.350
  • Novo Polo Comfortline 200 TSI AT 2020 – R$ 71.560
  • Novo Polo Comfortline Beats 200 TSI AT 2020 – R$ 74.580
  • Novo Polo Highline 200 TSI AT 2020 – R$ 76.990
  • Novo Polo Highline Beats 200 TSI AT 2020 – R$ 79.390

O Volkswagen Polo Beats utilizado para essa análise foi gentilmente cedido pela Volkswagen do Brasil ao Canaltech.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.