Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Qual Mercedes-Benz elétrico vale mais a pena?

Por| Editado por Jones Oliveira | 09 de Fevereiro de 2024 às 09h30

Link copiado!

Felipe Ribeiro/Canaltech
Felipe Ribeiro/Canaltech

A Mercedes-Benz tem uma ótima linha de carros elétricos à venda no Brasil. São sete diferentes modelos que se dividem em algumas categorias e buscam atrair públicos bem distintos. 

Canaltech já teve a oportunidade de testar alguns desses carros e fez a cobertura completa desses lançamentos, desde o início da ofensiva elétrica da montadora alemã, inaugurada no começo de 2020, com o Mercedes-Benz EQC.

Com isso em mente, o Canaltech vai te ajudar a descobrir qual desses carros elétricos da Mercedes-Benz vale mais a pena comprar. Como de costume, vamos considerar muitos fatores para essa escolha, deixando de lado as diferenças óbvias de preço e focando mais na experiência.

Continua após a publicidade

Como entender a linha de elétricos da Mercedes-Benz?

A Mercedes-Benz tem uma estratégia bem clara com relação aos seus modelos elétricos, mas que podem ser divididas em duas fases. Na primeira fase, a montadora alemã aproveitou as plataformas já existentes em diversos carros e os adaptou para a motorização zero emissão, como são os casos de EQA, EQB e EQC. Já na segunda fase, surgem carros mais modernos e pensados desde o zero como opções elétricas, casos de EQE e EQS. O segredo, de novo, está na plataforma, como a EVA, pensada para veículos elétricos de alto nível.

Preste bem atenção nisso pois essas diferenças serão determinantes para que você escolha bem o seu Mercedes elétrico. Sendo assim, vamos começar já colocando aqui os dados de preço, autonomia e potência de todos esses carros:

Mercedes-Benz - Carros elétricos
ModeloAutonomia (ciclo WLTP)Potência e TorquePreço
EQA496km190cv e 39,2 kgf/mR$ 480.900
EQB472km190cv e 39,2 kgf/mR$ 502.900
EQC450km408cv e 76 kgf/m R$ 693.900
EQE645km245cv e 56 kgf/mR$ 707.900
EQE SUV553km245cv e 56 kgf/mR$ 689.900
AMG EQS580km658cv e 96,8 kgf/m - 761cv e 104,01 kgf/m (com pacote Dynamic Plus)R$ 1.399.990 (R$ 1.799.990 com todos os opcionais)
EQS SUV672km360cv e 57,1 kgf/mR$ 998.900

Falta motor, sobra autonomia

Algo que detectamos nos testes com a maior parte dos carros elétricos da Mercedes é o desempenho apenas suficiente. Casos como do EQB e do EQA, que deveriam dar volume à montadora e colocá-la em uma posição mais competitiva nas vendas, mostram que a escolha pelo powertrain equivocado atrapalha — e muito.

Continua após a publicidade

Os motores desses dois modelos, vale dizer, não é ruim, mas concorrentes entregam mais potência por quase o mesmo preço, como o Volvo XC40. O propulsor de 190cv e 39,2 kgf/m de torque vai bem no uso urbano, mas sentimos falta de fôlego em alguns momentos na estrada. Além disso, a construção desses dois modelos em específico tirou um pouco da dirigibilidade conhecida da Mercedes, dando a clara impressão de que a adaptação não saiu como o planejado.

Em compensação, todos os carros da marca que são elétricos, inclusive o EQA e o EQB, possuem ótima autonomia. E aqui, fica escancarada a maior preocupação da Mercedes quando pensamos em modelos elétricos: eficiência energética. No uso urbano, seja qual for a escolha, você estará bem servido.

O Mercedes EQE, por exemplo, tem autonomia oficial de 645km com uma bateria completa. É mais do que muitos carros a combustão a venda no Brasil. E tudo isso vem acompanhado de muito luxo, conforto e tecnologia, apesar de, também, vir com um motor que parece subdimensionado para esse modelo. Aqui, assim como no EQE SUV, temos 245cv e 56 kgf/m. Pelo preço e pela proposta do carro, uns 400cv estariam de bom tamanho.

Continua após a publicidade

Se você quiser mais desempenho, terá que partir para a linha com final S, ou seja, o EQS SUV e o AMG EQS 53. Aqui sobra desempenho e autonomia, mas o dinheiro gasto também terá aumento proporcional. No caso do SUV, recém-lançado por aqui, são quase R$ 1 milhão para 360cv e 57,1 kgf/m. O desempenho é bom, mas há opções pela metade do preço e que entregam até mais do que isso. Aqui, o diferencial será mesmo o chamamos aqui de "fator Mercedes", que engloba a autonomia, tecnologia embarcada e o luxo extremo.

Então, pensando em todos os mundos possíveis, a escolha mais óbvia entre todos os carros elétricos da Mercedes acaba sendo o EQC. Mesmo sendo o mais antigo deles (a plataforma é a mesma do Classe C de 2014), ele consegue aliar bem os itens de "perfumaria" e o powertrain competente. São 408cv e 76 kgf/m, mais a autonomia de 450km. Isso sem falar no ótimo espaço interno e no design futurista. 

Por que o Mercedes-Benz EQC é o que mais vale a pena?

Continua após a publicidade

Nós ressaltamos que o preço não seria tão determinante na escolha do Mercedes elétrico que mais valia a pena, então vamos nos ater somente ao que o carro entrega. Nesse caso, o EQC ainda é o mais equilibrado, mesmo sendo, de longe, o projeto mais antigo.

O ótimo conjunto composto pelo porte do carro, bateria e motor vai agradar a maioria dos clientes que estão em busca de um modelo elétrico premium. Há, claro, o luxo característico da Mercedes e o conforto que poucas montadoras conseguem entregar. Seria a nossa escolha caso tivéssemos dinheiro infinito? Não. Mas, claro, quando as cifras começam a rolar e a equação de compra começa a ser feita, difícil ignorar.