Guia: o que você precisa saber antes de comprar um carro elétrico

Guia: o que você precisa saber antes de comprar um carro elétrico

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 15 de Maio de 2021 às 09h00
Felipe Ribeiro/ Canaltech

Os carros elétricos são a meta principal da maioria das montadoras para a próxima década. Várias dessas empresas já planejam tornar a maioria do seu portfólio totalmente eletrificado ou, ao menos, com uma hibridização pesada com modelos plug-in. Desse modo, é inevitável que ganhemos muitas opções de compra e os preços comecem a cair.

A popularização dos carros elétricos depende, claro, de inúmeros fatores, como a infraestrutura das cidades para possibilitar o carregamento rápido das baterias, incentivos governamentais para que o mercado possa ter um ambiente fértil para o crescimento desse segmento e por aí vai. Contudo, há muitas pessoas interessadas na compra desses carros, que estão, sim, tendo um aumento considerável no número de vendas no Brasil — dadas as devidas proporções.

Com isso em mente, o Canaltech preparou um guia básico com o que você precisa saber antes de comprar um carro elétrico.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Atenção com a autonomia

Antes de escolher qual veículo elétrico você vai escolher, atente para o que é o mais vital para determinar qual é o melhor modelo para o seu uso: a autonomia. Por via de regra, os carros elétricos disponíveis no mercado brasileiro são bem completos, com muitos equipamentos de segurança, tecnologia e acabamento refinado, já que são considerados veículos premium dentro do portfólio das marcas.

Então, com isso em mente, foque suas atenções para a autonomia.

Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech

Hoje, em nosso mercado, temos diversas opções, mas com funcionamentos que variam um pouco entre si. Dentro das análises que tivemos aqui no Canaltech, o modelo que melhor se encaixou dentro desse quesito foi o Chevrolet Bolt, já que apresentou um sistema equilibrado de uso da energia, carregamento rápido e regeneração por meio da energia cinética.

Mas é bom deixar claro que a capacidade dos carros elétricos vendidos aqui, sejam eles mais urbanos ou esportivos, é bem parecida, ficando na marca de 300 a 400 quilômetros em circuito misto estrada/cidade.

Prepare-se para carregar a bateria

Tendo em mente a autonomia de seu carro elétrico, preste atenção em como você fará para torná-lo realmente eficiente e nunca mais precisar se preocupar com postos de combustível e o preço absurdo deles.

Todos os carros elétricos são vendidos com cabos para carregamento doméstico, que, em média, com a energia de nossas casas e em tomadas 220V aterradas, recarregam os veículos em aproximadamente 20 horas. Mas, claro, há outras opções mais eficientes — e mais caras, dependendo do que você escolher.

Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech

Cidades como São Paulo, por exemplo, já possuem uma boa gama de opções para o carregamento da bateria desses veículos com estações de recarga rápida em ruas, shoppings, supermercados e concessionárias. Para achá-los, as próprias montadoras, ao vender os carros, te indicam os melhores locais, isso sem falar nos inúmeros aplicativos que te auxiliam, como o PlugShare e o NextCharge, para citar alguns. Nesses casos, o carregamento completo é feito em apenas uma ou duas horas.

Mas a melhor opção, com certeza, é com a instalação de uma wallbox em sua casa. Caso você tenha um cabeamento aterrado em sua garagem, é possível fazer a instalação sem maiores problemas, o que ajudará bastante na hora de manter o carro sempre com bateria para as atividades.

Imagem: Nissan

As montadoras costumam oferecer suas próprias wallboxes na hora de vender o veículo, casos de Nissan e Chevrolet, por exemplo. O preço varia bastante, podendo chegar a R$ 15 mil. Mas há, também, inúmeras fabricantes que oferecem esse produto, com preços variando entre R$ 4 mil e R$ 20 mil, dependendo da potência.

Em média, em uma wallbox, podemos carregar 100% da bateria de um carro elétrico em oito horas. Sendo assim, ao chegar em casa, você pode ir dormir e pegar o carro totalmente carregado pela manhã. Se o seu carregamento for semanal, por exemplo, o aumento na conta de luz será baixo, algo na casa dos R$ 30, dependendo de sua localidade.

Planeje seus itinerários

Nem todas as pessoas conseguem instalar uma wallbox em casa, seja por conta da amperagem e fiação, seja porque o condomínio ou o prédio não permitem. Mas, se mesmo assim você quer ter um desses, é bom se planejar para utilizá-lo de modo a não ficar sem bateria.

Com 400 quilômetros de autonomia é possível utilizar um carro elétrico sem maiores problemas, até mesmo se você fizer viagens curtas. Isso porque esses automóveis contam com sistemas de regeneração por meio da energia cinética que propicia um pouco mais de carga no dia a dia.

Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech

Mas, mesmo assim, pense bem seu itinerário e se planeje marcando pontos de recarga rápida em seu mapa.

Escolha o carro certo

Com tudo o que cerca o carro já definido, é hora de escolher o melhor modelo para você, certo? Por isso, preste bem atenção antes de abrir a carteira, porque, sim, eles são bem caros.

Modelos como o novo Renault Zoe, o Nissan Leaf e o Chevrolet Bolt, os mais famosos presentes no Brasil, ultrapassam os R$ 200 mil. Por isso, é bom observar bem o que cada um tem de vantagem para escolher a melhor opção. Além disso, o tamanho deles varia bastante, bem como a potência e outros itens, como de segurança e entretenimento.

Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech

Há, também, os carros elétricos considerados de luxo, como o Audi e-Tron e o Jaguar i-Pace, que custam mais do que R$ 400 mil e que te entregam desempenho de superesportivo.

Seja como for, ter um carro elétrico ainda é um desafio em solo brasileiro, mas, por outro lado, é um caminho sem volta. Com as montadoras investindo cada vez mais em modelos atrativos e tecnológicos, é possível que, um dia, essas opções se popularizem globalmente, o que pode fazer com que seus preços caiam.

É esperar para ver.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.