Review Porsche Panamera 4S e-Hybrid | Relação entre humano e máquina no auge

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 01 de Maio de 2022 às 09h00
Ivo Meneghel/ Canaltech

Quando lançado em 2009, o Porsche Panamera veio para ser o sucessor espiritual do Porsche 989, protótipo de sedan de turismo que teve apenas uma unidade produzida em 1991 e que colocaria a montadora de Stuttgart como referência nesse segmento.

Para chegar a um produto que pudesse ter seu DNA e, ao mesmo tempo, apresentar uma alternativa aos concorrentes pesados de sua época, a Porsche teve que fazer muitas pesquisas e entender o que um potencial cliente poderia querer em um sedan desse tamanho.

O Porsche Panamera 4S e-Hybrid (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Passados os anos e o sucesso absoluto de mercado, hoje o Panamera pode ser considerado um dos melhores carros já feitos pela Porsche em todos os tempos. Aqui temos conforto, esportividade, potência de sobra e um acréscimo importante: a eletrificação. O carro foi um dos primeiros da marca a receber motorização híbrida em todas as suas versões.

A experiência com o Panamera 4S e-Hybrid foi sublime e já dá para adiantar: poucos carros conseguem se unir tanto ao motorista quanto este sedan, elevando a relação entre ser humano e máquina a níveis estratosféricos.

Prós

  • Desempenho
  • Consumo
  • Luxo
  • Conforto
  • Dirigibilidade
  • Design

Contras

  • Porta-malas
  • Ausência de alguns equipamentos

Conectividade e Segurança

Com preço beirando os R$ 800 mil (sem opcionais), era de se esperar que o Porsche Panamera 4S e-Hybrid fosse bem equipado no aspecto tecnológico e de segurança. Mas, mesmo com um pacote recheado, sentimos falta de alguns itens que estão presentes em alguns concorrentes e até modelos dentro da Porsche.

Falando inicialmente de segurança, temos aqui um carro munido de 10 airbags, controles de estabilidade e tração, indicador de fadiga e sistema de permanência em faixa, itens que estão presentes de série nesta versão. Sentimos falta, porém, de recursos como a frenagem automática e o alerta de colisão frontal.

Central multimídia do Panamera é bem completa, mas falta Android Auto (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Mesmo sem ser extremamente completo nesse aspecto, não dá para dizer que o Panamera faz feio em segurança, afinal, conviver com um carro desse porte e desempenho te traz coragem para acelerar, mas o habitáculo foi pensado para te passar a sensação de proteção extrema.

Já no campo da conectividade, a central multimídia que equipava a unidade que avaliamos não contava com o Android Auto, com o espelhamento de celulares restrito o Apple CarPlay.

Painel do Panamera tenta manter a pegada "old school" (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Mesmo assim, o equipamento conta com ótima resolução, interface extremamente bem pensada e intuitiva, além de trazer praticamente todos os comandos que precisamos para controlar as diferentes funções do carro.

Há, também, um GPS nativo que pode ser atualizado over-the-air e que ajuda um pouco para quem for usuário de dispositivos Android. Todo o comando da central pode ser feito na tela touchscreen ou por meio do console central, que também traz os comandos de climatização e modificação do chassis.

Sistema de som é assinado pela Bose (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Para completar, de série, há um excelente sistema de som assinado pela Bose, um dos melhores que já pudemos avaliar no Canaltech, já que parece transformar a cabine do Panamera em uma verdadeira sala de música sobre rodas.

Modelo 2022 mais completo

A unidade do Porsche Panamera avaliada pelo Canaltech ainda não contava com importantes atualizações e opcionais que a versão 2022 do carro recebeu, sobretudo no campo da segurança.

O grande destaque fica por conta do assistente de visão noturna, que também está presente em outros modelos da marca. Esse recurso transmite uma imagem térmica infravermelha para o painel de instrumentos e fornece ao motorista informações além do alcance dos faróis.

Os pedestres detectados são destacados em amarelo. Os pedestres que estão muito próximos e animais de grande porte são destacados em vermelho e o motorista recebe um aviso visual e sonoro. Esse recurso funciona em conjunto com os faróis principais em LED com feixe de matriz, que também possuem a função de luz de marcação para pessoas.

Conforto e Experiência de uso

Sem surpresa alguma, é mesmo ao volante que o Porsche Panamera 4S e-Hybrid encanta e apaixona. E não é apenas por sua potência e velocidade, mas pelo modo como somos abraçados pelo carro e, em uma espécie de simbiose, somos um só nas ruas e estradas, com absoluto conforto e poder.

A sensação de pisar fundo e ver os 560cv e 76,5 kgf/m de torque serem despejados de uma só vez causa um certo cansaço depois de algumas vezes repetindo o exercício, tamanha a força desse monstro alemão. O 0 a 100, segundo nosso teste, foi de 3,8 segundos, o mais rápido já aferido pelo Canaltech.

Aerofólio do Posche Panamera não é mera estética (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Esse desempenho vem de uma mescla entre um ótimo motor 2.9 turbo V6 e o conjunto elétrico, que trabalham juntos com um câmbio automatizado de dupla embreagem de oito marchas. As trocas são tão rápidas e precisas que se tornam imperceptíveis.

Por ser um híbrido, seu funcionamento é bem silencioso quando utilizamos com o motor elétrico tomando as rédeas, mas é possível, ao acionar o motor a combustão, ouvir o escapamento esportivo, que certamente pode acordar a vizinhança.

A direção é elétrica, mas se adapta à velocidade do carro e ao modo de condução escolhido, que pode ser puramente elétrico, limitando o carro a uma velocidade de 140 km/h com 54km de autonomia; híbrido, proporcionando equilíbrio e um uso mais cotidiano; e os esportivos, que transformam essa máquina em uma besta — completamente controlável, é bom dizer.

O coração da fera (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

O consumo, quando usado o modo híbrido, proporcionou médias impressionantes, na casa dos 15km/l (sempre com gasolina). Mas, é possível até fazer médias melhores, a depender das condições de viagem e peso total do carro (a base é de 2.225kgs). É bom lembrar que o Panamera é um hibrido plug-in, ou seja, pode ser recarregado em tomadas ou postos de carga.

Além dos modos de condução, podemos ajustar a suspensão pneumática do Porsche Panamera para a nossa necessidade e gosto pessoal. Há três níveis: um mais baixo, outro mais centralizado e outro um pouco mais elevado. Entretanto, mesmo no modo mais rente ao chão, o carro passava pouco das imperfeições do solo para a cabine, algo impressionante considerando um esportivo.

Suspensão é grande trunfo do Panamera (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

E esse, talvez, seja o grande trunfo desse sedan. Ao contrário de outros esportivos de luxo, o Panamera é extremamente amigável e gostoso de guiar, mas sem deixar de lado a diversão e a esportividade. A experiência é muito agradável e pode atender até os motoristas mais tímidos.

Espaço interno

Falando especificamente do espaço interno, o Porsche Panamera é um 2+2, ou seja, apenas quatro passageiros viajam nele. Isso acontece porque a fileira traseira de bancos tem um enorme console central que abriga os controles de climatização e entretenimento, exclusivos para esse habitáculo.

Tem espaço, mas é mal utilizado (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Há muito conforto para todos e quatro adultos grandes viajam sem maiores problemas. O único pormenor talvez possa ser o porta-malas que, mesmo com bom volume (403 litros), é completamente ocupado pelo estepe (uma quarta roda de 20 polegadas) e o pacote de carregamento doméstico.

Os bancos são extremamente confortáveis e, como era de se esperar, envoltos em um couro de extrema qualidade e elegância.

"A suspensão pneumática é um dos maiores trunfos do Porsche Panamera"

— Felipe Ribeiro

Design e Acabamento

A Porsche conseguiu fazer um ótimo trabalho com o design do Panamera e isso é óbvio, já que manteve seu DNA tanto na dianteira quanto na traseira e “esticou” o carro para dar o porte necessário à categoria. Tudo muito harmonioso e agressivo, do jeito que um fã de Porsche pediria.

O carro ainda pode ter um aerofólio salientado caso o motorista o acione. Esse recurso, claro, além de melhorar a aerodinâmica, tira um pouco o formato predominantemente arredondado do bólido alemão.

O Porsche Panamera consegue ser agressivo e harmonioso (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

Já no acabamento, o luxo predomina e convive bem com a sobriedade genuinamente alemã. Não há superfícies com plástico duro à mostra e o painel traz linhas que passam a impressão de estarmos em um carro maior. O console central, por sua vez, tem um painel enorme com controles touch, aumentando a elegância e usabilidade.

A Porsche também se preocupou com os detalhes voltados à eletrificação e tratou de dar o seu tradicional toque verde em algumas partes do carro para lembrarmos que estamos em um modelo híbrido, como no nome “e-Hybrid” e nas pinças dos freios.

Cabine luxuosa do Porsche Panamera (Imagem: Ivo Meneghel/Canaltech)

E por falar em verde, é possível manipular as cores das luzes da cabine em diferentes tons, dependendo sempre do seu humor ou estado de espírito, algo que as montadoras premium adoram fazer.

Concorrentes

Podemos tratar como concorrentes do Porsche Panamera aqui no Brasil carros como BMW Série 7, Mercedes Classe E e Audi A7, que custam entre R$ 500 mil e R$ 800 mil, a depender da versão, já que essas montadoras aplicam roupagens e motorizações diferentes em cada um deles, como por exemplo a Mercedes e o time AMG, sua divisão esportiva.

Porsche Panamera 4S e-Hybrid: Vale a pena?

O Porsche Panamera pode ser considerado o sedan ideal para famílias mais abastadas e que não abrem mão de esportividade e conforto. Com motor visceral e poderoso, consumo digno de 1.0 e muita segurança, ele vale muito a pena, independentemente de sua versão.

O Porsche Panamera 4S e-Hybrid pode ser adquirido por preços que partem de R$ 750 mil, sem os opcionais. Há, porém, versões que custam a partir de R$ 650 mil.

No Canaltech, o Porsche Panamera 4S e-Hybrid foi avaliado graças a uma unidade da versão 2020 cedida gentilmente pela Porsche Brasil.