Zoom chega a 300 milhões de usuários, apesar dos problemas de privacidade

Por Diego Sousa | 24 de Abril de 2020 às 13h30
Zoom

Apesar de toda polêmica em relação à privacidade do Zoom nas últimas semanas – tendo seu uso proibido, inclusive, em empresas como Google e Tesla –, o app de videoconferências só viu sua base de usuários crescer. Segundo afirmou o CEO da empresa, Eric Yuan, em videoconferência nesta quinta-feira (24), o número de usuários alcançou a marca de 300 milhões em três semanas.

O aumento representa 50% mais usuários que o atingido desde o dia 1º de abril, quando tinha uma base de 200 milhões de usuários. Além disso, nesta quinta-feira (23), as ações do Zoom reportaram um crescimento recorde de 12%, fechando em US$ 168,24.

“Claramente, a plataforma Zoom está fornecendo um serviço incrivelmente valioso para nossos amados usuários durante este período desafiador”, disse Yuan. "Estamos emocionados e honrados por continuar conquistando a confiança de tantas empresas, hospitais, professores e clientes em todo o mundo", termina.

Ações necessárias

As iniciativas tomadas pelo Zoom para contornar os problemas de segurança tiveram um papel essencial para manter os bons números da empresa. Desde o surgimento dos casos, em março, a empresa parece ter se esforçado para deixar o aplicativo mais seguro e transparente, com ações como a criação de um conselho de segurança e a interrupção do compartilhamento de dados com o Facebook.

Além disso, nesta semana, o Zoom anunciou uma grande atualização com foco em melhorar a segurança do aplicativo. A principal inclusão ocorreu em seu sistema de criptografia, que ganhou suporte para o padrão AES GCM de 256-bit.

O lado ruim de ser popular

Em tempos nos quais uma das principais recomendações para conter o novo coronavírus é trabalhar de casa, apps de videoconferências viraram regra em milhares de empresas. E o Zoom foi um dos que mais se destacou nesse ramo, tornando-se o app número um de downloads em 141 mercados no iOS desde quando o surto da COVID-19 foi declarado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde.

No entanto, a explosão do Zoom trouxe consigo uma série de problemas relacionados à confiabilidade do serviço – desde hackers invadindo teleconferências para distribuírem malwares a conteúdos pornográficos e vazamento de dados de mais de 500 mil usuários – fizeram com que o app se tornasse sinônimo de vulnerabilidade e desconfiança.

O Zoom afirmou que continuará focando seus esforços para aprimorar a segurança dos usuários. As novidades da versão 5.0 já estão sendo implementadas, e o app pode ser baixado no site do serviço.

Fonte: TechRadar  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.