Zoom interrompe compartilhamento de dados com o Facebook

Por Felipe Demartini | 30 de Março de 2020 às 12h54

Após um final de semana de críticas, o Zoom liberou uma atualização para seu aplicativo no iOS e deixou de compartilhar os dados de seus usuários com o Facebook. No update, o código que realizava o envio dos dados para permitir a exibição de publicidade direcionada não existe mais, com a empresa afirmando que essa característica estava ligada ao uso da função de login por meio das credenciais da companhia.

Em comunicado oficial, a empresa responsável pelo software de telepresença afirmou que o uso de ferramentas do Facebook tem a ver com a implementação de uma maneira mais “conveniente” de seus usuários acessarem a plataforma. A remoção dos códigos de compartilhamento de dados não implica na remoção do recurso de entrada, que continua ativo e funcionando normalmente.

Apesar disso, a funcionalidade passa a ser utilizada por meio do navegador e não mais diretamente pelo app do Zoom. A ideia é que agora todo o processo seja feito diretamente nos servidores da própria rede social, com uma análise identificando que o Zoom não mais envia dados a ela após essa ação, ou mesmo caso ela não seja utilizada para entrar na plataforma.

Função de login no Zoom pelo Facebook continua funcionando, mas de forma diferente, após denúncia de compartilhamento indevido de dados com a rede social (Imagem: Reprodução/Mari Capetinga)

Os problemas, afirmou uma reportagem do site Motherboard, que denunciou a questão na última semana, eram dois. Primeiro, o fato de o Zoom enviar à rede social também os dados daqueles que não são usuários do serviço nem de seu recurso de login. Em segundo lugar, a ausência de informações sobre esse compartilhamento nos termos de uso do aplicativo, algo que, inclusive, é obrigatório de acordo com as regras do kit de desenvolvimento do próprio Facebook.

Ainda em comunicado, o Zoom afirmou que nenhuma informação pessoal de seus usuários, como usernames, e-mails ou números de telefone, era compartilhada com o Facebook (ou qualquer terceiro que seja). A empresa confirmou apenas que dados como detalhes do dispositivo usado, versão do sistema operacional, operadora de telefonia e horário acabaram sendo enviados aos servidores da rede social de forma anônima e de maneira que não é possível identificar o utilizador de forma direta. Na denúncia original, o Motherboard também falava em localização, mas tal aspecto provavelmente está relacionado ao reconhecimento do fuso.

Nas normas de seu SDK, a rede social pede clareza dos responsáveis por softwares no uso de informações pessoais dos usuários e o envio disso para terceiros. O Facebook requer que as partes envolvidas sejam identificadas, bem como discriminadas as informações coletadas, mas o Zoom não fazia nenhum dos dois, com os termos de uso indicando apenas que certa telemetria da utilização do software de conferência seria obtida e compartilhada, sem dar maiores detalhes.

A companhia termina seu pronunciamento oficial sobre o assunto afirmando que as informações coletadas não eram necessárias para seu funcionamento e pediu desculpas aos utilizadores pelo que taxou como um deslize. Segundo o Zoom, os dados que estavam sendo coletados e enviados a terceiros não eram necessários ao funcionamento da aplicação e, justamente por isso, o código que realizava esse trabalho foi removido.

A facilidade de uso e simplicidade no login, muito por conta do próprio recurso de entrada pelo Facebook, transformou o Zoom em um preferido das pessoas durante esse período de isolamento social, seja para fins de trabalho ou apenas para matar a saudade de pessoas queridas. A empresa viu seus números de utilização crescerem vertiginosamente, com o escrutínio relacionado à segurança, claro, acompanhando tudo isso.

Fonte:  Vice Motherboard

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.