Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Xiaomi anuncia sistema operacional HyperOS, sucessor da MIUI

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Outubro de 2023 às 09h27

Link copiado!

Reprodução/Xiaomi
Reprodução/Xiaomi
Tudo sobre Xiaomi

Após rumores sobre a troca da MIUI para um sistema próprio, a Xiaomi finalmente revelou o HyperOS, novo sistema operacional dos celulares da fabricante chinesa. O sistema vai fazer a sua estreia com o lançamento da linha Xiaomi 14 e vai ser distribuído globalmente para demais modelos em 2024.

O anúncio foi feito pelo CEO da empresa, Lei Jun, em sua conta no X (antigo Twitter). Os boatos sobre o fim da interface MIUI mencionavam um sistema chamado MiOS, mas é provável que a marca tenha mudado o nome devido a um conflito de patentes na China.

Continua após a publicidade

O vice-presidente global da Xiaomi, Alvin, também recorreu ao X para dar alguns detalhes sobre o que vem por aí. Ele reforçou que a arquitetura do sistema foi reescrita e ressaltou uma nova era de “hiper performance, fluidez e conectividade entre smartphones e AIoT (Inteligência artificial das Coisas).

Ainda não é possível saber muitos detalhes sobre o HyperOS, como o visual ou os recursos próprios. Lei Jun usou a rede social Weibo para destacar a estrutura do sistema em si, que ainda mantém uma base do Android e combina com o sistema Vela, desenvolvido pela própria empresa. Segundo o Gizmochina, o Vela é um software de IoT desenvolvido pela própria fabricante.

A cara nova dos celulares da empresa chinesa só deve ser divulgada no lançamento do Xiaomi 14, que pode ocorrer no final de outubro.

Fim da linha para a MIUI

O anúncio representa o fim da interface MIUI, feita com base no Android, após 13 anos de existência. Curiosamente, a Xiaomi confirmou a MIUI 15 em agosto deste ano, mas os planos mudaram.

Ainda é necessário aguardar mais informações oficiais sobre o HyperOS, mas é provável que utilize o Android Open Source Project (AOSP), versão de código aberto do sistema do robozinho, para desenvolver a maior parte das funções. A Huawei segue um caminho parecido com o HarmonyOS, por exemplo.

Continua após a publicidade

Fonte: Gizmochina