Google é multado em R$ 900 milhões por bloquear customizações do Android

Google é multado em R$ 900 milhões por bloquear customizações do Android

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 14 de Setembro de 2021 às 12h53
Denny Müller/Unsplash

Duas semanas após aprovar um projeto de lei que barra taxas das lojas de apps oficiais, a Coreia do Sul aplicou uma pesada multa no Google por atitude monopolista. A Comissão de Comércio Justo do país anunciou a sanção de US$ 177 milhões (cerca de R$ 900 milhões) na controladora da empresa de Mountain View, a Alphabet, por abuso do seu poder de mercado no Android.

A punição foi baseada nos contratos assinados pelo Google com fabricantes de telefones que os proibiam de lançar versões modificadas do seu sistema operacional. Esse acordo teria dado à companhia vantagem anticompetitiva e garantiu seu domínio monopolizador no mercado de softwares móveis.

O Google é acusado de proibir modificações do Android por meio de um acordo com fabricantes de celulares (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Em 2013, a Samsung teria sido forçada a retroceder nos seus planos de lançar um relógio inteligente com uma versão alterada do Android. A fabricante de dispositivos tinha planos de criar o smartwatch com sistema modificado, como faz nos seus aparelhos com a One UI, mas precisou desistir em razão do contrato. Segundo a Agência Reuters, a multa é a nova maior já aplicada pelo órgão regulador do país asiático.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O Google declarou à Reuters que pretende apelar da decisão, que também proíbe a Big Tech de assinar qualquer acordo semelhante no futuro. Assim, as companhias fabricantes de dispositivos poderão embarcar suas modificações em telefones, tablets e relógios sem vinculação direta aos serviços do Google.

A chamada "Lei Anti-Google" da Coreia do Sul já está em vigor por lá, o que significa que nenhum desenvolvedor precisa depender da Play Store para oferecer pagamentos. Eles podem criar seus próprios sistemas ou até inserir links para concluir as compras pelo navegador, com suporte do PayPal ou similar, o que causava suspensão e banimento da loja de apps antes.

O que será que a gigante do software livre deve fazer a partir de agora? Haverá algum tipo de reação para impedir que outras nações sigam os rumos da Coreia do Sul? Deixe sua opinião nos comentários.

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.