Primeiras impressões: Android 12 Beta refina o visual do sistema de modo inédito

Por Renato Santino | Editado por Douglas Ciriaco | 20 de Maio de 2021 às 12h30
Renato Santino/Canaltech

Nesta semana, o Google lançou a primeira versão beta pública do Android 12, disponível para os celulares da empresa e mais alguns modelos de fabricantes parceiras. A versão traz algumas das novidades reveladas durante o Google I/O e incrementos sobre as edições de preview fechadas para desenvolvedores, disponíveis desde fevereiro.

O Canaltech teve a oportunidade de experimentar o sistema operacional em um Pixel 3a XL para conhecer algumas das funções que já estão disponíveis para conhecer o que já está ativo e o que ainda está por vir. Confira as primeiras impressões a seguir:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Cara nova

Como usuário de longa data do Android, especialmente das linhas Nexus e Pixel desde sempre, já tive a oportunidade de experimentar várias atualizações do sistema operacional. Poucas delas provocaram tanto impacto inicial quanto o Android 12 na comparação com o 11.

O sistema traz uma renovação profunda em pontos estéticos que já aparecem quando o celular é ligado. A tela de digitação do código de bloqueio está diferente, com botões maiores e uma animação peculiar, que transforma o ícone em um quadrado quando pressionado.

O relógio na tela always-on do sistema, exibida enquanto o aparelho está em repouso, também passou por mudanças óbvias que fizeram com que os números ocupassem grande parte do painel ocioso.

Ao abrir o sistema, outras mudanças já ficaram óbvias. A cortina de notificações, junto das configurações rápidas, são as mais gritantes. Em vez de ícones que representam ideias como “ligar ou desligar o Bluetooth” ou “habilitar ou desabilitar o Wi-Fi”, o Android 12 traz botões enormes com texto que deixam bem claro o propósito de cada um — chega a ser um pouco exagerado.

O sistema é capaz de destacar quatro desses botões em um primeiro deslizar de dedo do topo da tela para baixo e, em uma segunda rolagem, é possível exibir até oito atalhos. É possível adicionar mais configurações rápidas, no entanto, e deslizar lateralmente para acessar outras páginas.

Android 12 traz reformulação visual em vários aspectos do sistema; botões, ícones e controle de volume se tornam maiores e espessos. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Chamou a atenção a nova área de configurações do Android, que também trouxe ícones maiores do que antes, inclusive no texto que indica o nome de cada função. Também passa um pouco de impressão de exagero.

A animação padrão do sistema operacional ao tocar algum botão também mudou. Se antes havia uma expansão radial uniforme, agora há um efeito granulado que se expande quando um elemento da interface é pressionado — um detalhe interessante, mas apenas um detalhe.

Por se tratar do primeiro beta, também há alguns recursos anunciados no Google I/O que não estão disponíveis até o momento. Um destaque da nova identidade visual Material You é a capacidade de o sistema se adaptar dependendo do plano de fundo selecionado, mas, por enquanto, o esquema de cores se mantém igual independentemente da imagem.

O que já está disponível é a escolha dos “Estilos”: a ferramenta oferece algumas configurações pré-determinadas de fontes, ícones e cores do sistema, mas é possível seguir um caminho personalizado se o usuário preferir algum outro esquema.

Sistema oferece opções de cores, formatos de ícones, fontes. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Outro ponto que chama a atenção é que agora todos os aplicativos quando abertos apresentam uma tela “splash”, que mostra o ícone do app em tela cheia enquanto tudo carrega em segundo plano.

Tela "splash" aparece ao abrir todos os apps; alguns têm imagens próprias, outros exibem apenas o ícone sobre um fundo escuro. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Também é chamativo o novo slider de volume, que se tornou visivelmente mais espesso e elíptico, o que parece um pouco exagerado, mas torna o controle do som mais preciso do que o mecanismo anterior, já que tem a espessura exata da ponta de um dedo.

Funcionalidades

Um dos recursos mais importantes do novo Android não está acessível até o momento. O Painel de Privacidade do sistema, que trará informações detalhadas sobre como os apps instalados no celular acessam dados dos usuários, só chegará no Beta 2, ainda sem data de lançamento.

Outros recursos importantes de privacidade também estão previstos apenas para a próxima versão de testes. Entre eles estão os indicadores de acesso ao microfone e câmera, que aparecerão na barra de status a fim de detectar comportamentos inadequados quando algum app estiver usando essas informações. Também não está disponível até o momento os botões alternadores que interrompem totalmente o acesso de apps a esses recursos, o que pode trazer uma tranquilidade adicional.

O que está disponível no Beta 1 é um recurso para quem não quer compartilhar exatamente sua localização com apps. Até agora, o Android tinha controles de fornecer sua posição precisa ou não a fornecer; a versão 12, no entanto, cria uma opção intermediária: oferecer uma localização mais ampla, que mostre uma informação aproximada sobre onde você está sem revelar essa informação de forma exata.

Android 12 permite fornecer uma localização aproximada para apps em vez de oferecer sua posição exata. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Outro recurso ligado à privacidade que já está disponível, mas infelizmente não foi possível experimentar durante esse primeiro momento foi clonado do iOS 14. Agora, apps que acessam a área de transferência para ver o conteúdo que o usuário copiou são denunciados, o que deve ajudar a descobrir quem estiver abusando da confiança do público para visualizar informações sensíveis.

Novidades menores

Com os principais recursos ainda indisponíveis, restou experimentar algumas novidades menores. Uma das mais interessantes foi a capacidade de descer a cortina de notificações a partir de um gesto na barra de navegação do Android, que fica na parte inferior do display. Isso é especialmente útil em um cenário em que as telas dos celulares ficam cada vez maiores, o que torna o acesso ao topo do painel desconfortável.

A tela Recentes, que mostra lado a lado todos os apps abertos no celular, traz uma novidade interessante, que facilita a utilização do Google Lens para realizar leitura, tradução ou buscas do conteúdo no painel. É uma forma de tornar a ferramenta mais acessível, já que seus recursos ainda são desconhecidos por uma base enorme de usuários do Android.

Pressionar o botão "Selecionar" na janela de Recentes faz o Google Lens escanear a tela, o que facilita buscas e tradução do que estiver na tela do app. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Bugs

Por se tratar da primeira versão beta publicamente acessível, é mais do que esperada a ocorrência de bugs. Um dos problemas enfrentados durante os testes foi a inconsistência da vibração ao tocar na tela para digitar, por exemplo, ou para utilizar a barra de navegação. Em alguns momentos o efeito é ativado, em outros, não.

Da mesma forma, um bug bastante recorrente faz com que a tela fique temporariamente congelada. Após pressionar o botão de energia para desligar e reativar o painel, a tela de bloqueio é exibida sobre o painel em que o sistema havia travado, criando uma confusão enorme no display.

Android 12 vai à loucura em alguns momentos, e tela de bloqueio às vezes se mescla ao restante da interface do sistema. (Imagem: Renato Santino/Canaltech)

Há algumas questões esperadas de desempenho, alguns engasgos, mas nada que inviabilize o uso, pois isso se trata de um beta e a versão final do Android 12 não será lançada antes de agosto. Não é uma experiência recomendável para a maioria, mas também está longe de figurar entre os piores betas já lançados pelo Google. Em termos de bateria, não houve uma diferença significativa na autonomia do celular.

Conclusão

Infelizmente, muitas das novidades mais legais do Android 12 ainda não estão disponíveis para teste, então a maior parte das impressões acumuladas até o momento são ligadas à estética. Incomodou um pouco o modo como o Google deixou de lado sutilezas em prol de ícones, botões e elementos de interface em geral maiores, mais espessos e menos delicados.

Por outro lado, o Android 12 Beta traz opções de personalização que, apesar de ainda não estarem totalmente funcionais, já mostram um caminho claro para o sistema operacional, mais colorido e único. A capacidade de mudar as fontes padrão da plataforma e formatos de ícones é algo que o Google pode explorar bem, como já fazem tantas fabricantes Android com suas próprias skins.

No fim, o sistema traz promessas importantes em termos de privacidade, que sempre foi um ponto de desvantagem para o Android na comparação com o iOS e que permitiu à Apple se apresentar como a opção número 1 para quem se importa com seus dados e com o que é feito com eles.

No entanto, o Android ainda não foi capaz de igualar alguns dos recursos vistos no concorrente, que inclusive criaram desconforto em apps que dependem da coleta de grandes volumes de informações pessoais. Fica a dúvida se o Google teria a capacidade de implementar medidas tão agressivas, visto que anúncios direcionados ainda são o ganha-pão da companhia.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.