Amazon planeja produto de Realidade Aumentada para casas inteligentes

Amazon planeja produto de Realidade Aumentada para casas inteligentes

Por Lupa Charleaux | Editado por Wallace Moté | 19 de Abril de 2022 às 14h40
Shutterstock

A Amazon é mais uma das grandes empresas de tecnologia que pode lançar dispositivos de Realidade Aumentada (AR) em breve. Conforme o Protocol, a gigante do e-commerce abriu vários cargos sênior para gerentes de programação, gerentes de produtos, designers, pesquisadores e tecnólogos especializados nesse campo.

“Você desenvolverá um conceito avançado de pesquisa de realidades mistas para um produto de consumo mágico, útil e novo para o mundo”, indica uma das descrições das vagas abertas nos últimos meses pela Amazon.

Em outro ponto, o perfil do cargo cita que o profissional estará envolvido em um projeto de dispositivo XR/AR. A posição ainda inclui o “desenvolvimento de códigos para protótipos iniciais por meio da produção em massa”.

A vaga de engenheiro de programação indica que a pessoa irá “conceber e desenvolver os softwares e a arquitetura-chave de um produto para casa inteligente”. Já a posição de designer UX exige que o candidato tenha “experiência em motion design, animação AR/VR e jogos”.

Novo produto de Realidade Aumentada da Amazon pode ser uma evolução do óculos Echo Frames (Imagem: Divulgação/Amazon)

Antigas patentes e conceitos

A Amazon possui uma linha de óculos inteligentes chamada Echo Frames, mas o projeto atual não inclui nenhum componente visual. Bem como, antes do conceito de Metaverso, a marca já havia registrado algumas patentes de óculos focados em entretenimento em 2013.

Aparentemente, a big tech estuda criar uma nova categoria de produto para casas inteligentes. Por exemplo, óculos AR/VR que se conectem a outros dispositivos com Alexa e forneçam imagens do que está acontecendo na residência.

Vale mencionar que algumas empresas costumam usar certos clichês nas descrições de cargos para esconder as reais finalidades do projeto. Então, a Amazon pode estar planejando outros produtos com conceito AR, como projetores, câmeras e sensores.

Anteriormente, a fabricante registrou patentes de projetores de teto que geram imagens interativas em mesas, paredes e outras superfícies. Além disso, a marca voltou a investir no mapeamento de projeções com o Amazon Glow, um gadget de videochamadas interativas destinado para crianças.

No entanto, a Amazon também tem um histórico marcado por certos fracassos ao entrar em mercados fora do seu campo de atuação. Um exemplo bem conhecido é o Fire Phone que trouxe prejuízo de US$ 170 milhões para a marca em 2014.

Amazon também pode estar investindo em novos produtos semelhantes ao projetor interativo Amazon Glow (Imagem: Divulgação/Amazon)

Mercado com fortes concorrentes

Desde a explosão do conceito de Metaverso, diversas grandes empresas de tecnologia estão investindo em dispositivos AR/VR. A Meta já tem em mãos o bem-sucedido headset Oculus Quest e planeja lançar os primeiros óculos AR ainda em 2022.

A Apple, o Google e o Snapchat também podem lançar os próprios headsets AR/VR entre 2023 e 2024. Enquanto isso, a Microsoft deve adicionar mais melhorias ao já consolidado HoloLens.

Por outro lado, nenhuma dessas companhias têm planos para outros formatos de dispositivos AR. Algo que pode ser uma vantagem para a Amazon no futuro, se adotar alguns dos conceitos patenteados.

Fonte: Protocol, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.