Xiaomi Band 7 é anunciada com tela maior e novos recursos de exercícios

Xiaomi Band 7 é anunciada com tela maior e novos recursos de exercícios

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 24 de Maio de 2022 às 11h14
Reprodução/Gizchina.it

Conforme havia anunciado, a Xiaomi oficializou nesta terça (24) a mais nova pulseira inteligente da marca, a Xiaomi Band 7. Além do novo nome, que segue a estratégia de abandonar o "Mi" iniciada com os smartphones da marca, o acessório traz algumas novidades de destaque, como tela maior e novas funcionalidades de saúde, ainda que não traga mudanças drásticas em comparação à sua antecessora.

Xiaomi Band 7 traz tela maior e novos recursos de saúde

O lançamento segue a estratégia adotada pela Xiaomi nas últimas gerações ao trazer mudanças tímidas, mantendo o design em formato de pílula e os recursos elogiados das antecessoras. Dito isso, a Xiaomi Band 7 oferece uma quantidade significativa de novidades, começando pela tela AMOLED de maiores dimensões.

O novo display conta com 1,62 polegada, contra 1,56 polegada da Mi Band 6, o que aumentaria a área de visualização em 25%, segundo a fabricante. A resolução também aumentou, indo de 480 x 152 pixels para 490 x 192 pixels, mas a densidade de pixels de 326 PPI é a mesma.

A Xiaomi Band 7 estreia com tela e bateria maiores, acompanhamento de eficiência dos exercícios pós-treino, interface repaginada e mais (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

A interface foi outro aspecto a receber uma repaginada, adotando ícones redesenhados, novas animações e gráficos reimaginados, bem como 100 novas watch faces customizáveis. Completam as mudanças visuais duas opções de cores inéditas: Camouflage, um tom de verde camuflado, como o nome sugere, e Fluorescent, em verde fluorescente.

É no interior da Band 7 onde estão as principais melhorias: acompanhando os mais de 120 modos de exercício, incluindo aeróbica e treinos de academia, a smartband agora traz sensores adicionais para medir a carga e os efeitos do treinamento.

Os componentes registrarão o tempo de recuperação, o consumo máximo de oxigênio e os efeitos aeróbicos e anaeróbicos, como o EPOC (excesso de oxigênio consumido pós-treino, em tradução livre), que dita o quão efetivos foram os exercícios, além de registrar continuamente a oxigenação do sangue (SpO2), alertando quando quedas abaixo de 90% forem detectadas.

No mais, a Xiaomi Band 7 ainda apresenta resistência a mergulhos em níveis de pressão de até 5 ATM, conta com bateria significativamente maior de 180 mAh, com promessa de até 14 dias de autonomia, e emprega NFC em um modelo dedicado. As más notícias ficam por conta da ausência de GPS ou Always-On Display, diferente do que apontavam os rumores.

Preço e disponibilidade

A Xiaomi Band 7 entra em pré-venda na China já nesta terça (24) e começa as vendas oficialmente no dia 31 de maio, com preços sugeridos de 249 yuan (~R$ 180) para o modelo padrão e 299 yuan (~R$ 215) para a variante com NFC, 10 e 20 yuan mais caras que a Xiaomi Mi Band 6 e Mi Band 6 com NFC, respectivamente.

Os "Early Birds" que adquirirem a smartband na semana de lançamento pagarão os mesmos preços da geração anterior — 239 yuan (~R$ 172) pela versão padrão, 279 yuan (~R$ 200) pela pulseira com NFC. Ainda não há detalhes sobre a estreia global do acessório.

Fonte: Gizchina.it (1, 2), Android Authority

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.