Pulseirinha inteligente monitora temperatura e aglomeração nas escolas

Por Nathan Vieira | 23 de Setembro de 2020 às 20h40
Divulgação/Positivo

A reabertura das escolas ainda é uma questão verdadeiramente delicada, que inclusive já chegamos a apresenter em uma matéria em que conversamos com profissionais da saúde e da educação para entender esse imapcto. No entanto, foi com isso em mente que a unidade de tecnologias educacionais da Positivo Tecnologia aprimorou a pulseira inteligente Schood. Agora, o wearable passa a medir temperatura e monitorar aglomeração.

A tecnologia em questão funciona da seguinte maneira: a partir de um sensor térmico posicionado na entrada da escola, acontece a leitura da temperatura de cada aluno, professor ou funcionário, que é mostrada no visor do Schood e registrada no banco de dados do usuário, proporcionando, inclusive, um controle da variação da temperatura corporal. Cada escola vai tomar as providências de acordo com os próprios protocolos sanitários, quando tiver casos de medição superior a 37,8 graus.

A aferição térmica é uma recomendação associada, ou seja, é válida quando combinada com outras medidas preventivas à disseminação do vírus, como o uso de máscara e o distanciamento mínimo de 1,80 m e de capacidade reduzida para controle de acesso a locais fechados.

Pulseira smart mede temperatura e monitora aglomeração (Imagem: Divulgação/Positivo Tecnologia)

Já quanto ao monitoramento de aglomerações: por geolocalização, a sala de controle do Schood emite um alerta se um número de usuários está reunido em uma sala de aula, por exemplo, e ali há uma quantidade de pessoas acima do pré determinado como seguro para o espaço. O controle permite que a escola gerencie o distanciamento e obtenha dados para elaboração de novos protocolos, medidas e estratégias para a retomada e a continuidade das aulas presenciais.

Exste ainda a função “Cantina”, que facilita as compras na cantina ao permitir pagamentos com créditos pré-pagos, sem a necessidade de uso de cédulas ou cartões, diminuindo o contato. Os adultos podem bloquear determinados lanches e guloseimas e estabelecer limites diários de compra.

Outro destaque de recurso disponível é o “Tô aqui!”, em que os alunos recebem notificações na pulseira quando os pais chegam para buscá-los. A pulseira inteligente fornece a localização de alunos e professores, assim como o tempo de permanência nas escolas. Além disso, envia notificações e alertas relacionados à segurança, como no caso de aproximação de alunos a áreas de risco. O Schood passou por uma fase de validação técnica e de desempenho em uma escola no Amazonas no primeiro semestre do ano passado.

Wearable na luta contra a COVID-19

Os wearables têm apresentado potencial para entrar na luta contra a COVID-19. Alguns estudos apontam a capacidade de detectar doenças infecciosas bem no início. Isso não quer dizer que um dispositivo possa realmente prever quem está infectado com coronavírus, mas já é um primeiro passo. Em meados do mês de abril, uma empresa norte-americana se uniu ao Rockefeller Neuroscience Institute (RNI) da Universidade de West Virginia para realizar um estudo voltado para acelerar a detecção precoce dos sintomas da COVID-19.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.