O que é um e-SIM e como ele vai descomplicar o mundo dos smartphones

Por Redação | 20 de Julho de 2015 às 10h43

A Apple e a Samsung estão negociando com algumas das principais operadoras de telefonia móvel a adoção de um cartão SIM universal. A novidade daria aos consumidores a opção de mudar de fornecedor e plano de telefonia sem ter que solicitar um novo SIM card – um processo que muitas vezes pode demorar um pouco e ainda demandar uma taxa.

Rumores indicam que as negociações estão em um estágio avançado e devem afetar a Inglaterra e os Estados Unidos, com as operadoras AT&T, Deutche Telekom, Etisalat, Hutchinson Whampoa, Orange, Telefonica e Vodafone como as possíveis parceiras inicias.

Apesar da novidade soar como algo muito interessante, algumas dúvidas sobre o assunto ainda pairam no ar, como o que é exatamente um e-SIM? O que ele realmente vai oferecer de diferente? O que ele realmente vai oferecer de diferente? Vamos esclarecer alguns pontos sobre esse assunto.

O que é e-SIM?

O termo "e-SIM" refere-se a um novo padrão que está sendo promovido pela GSMA (Sistema Global para Comunicações Móveis, em português), a associação que representa as operadoras de telefonia em todo o mundo. Ele virá em forma de SIM card integrado, que permanece dentro do telefone e não precisa ser removido – algo que os fabricantes de dispositivos eletrônicos também têm interesse em adotar para outros aparelhos que podem ser integrados à Internet das Coisas.

O e-SIM seria compatível com todas as operadoras de telefonia, o que significa que um usuário pode optar por mudar de operadora com um simples telefonema, evitando a visita às lojas físicas ou online para comprar um novo chip. Basicamente, todas as informações serão editáveis no chip, o que irá dispensar a troca física durante o tempo que o usuário desejar.

O e-SIM será o mesmo para todos os fabricantes?

A premissa básica para o e-SIM é que ele seja completamente padronizado entre os fabricantes, embora a Apple já tenha uma opção semelhante atualmente – o Apple SIM funciona nos Estados Unidos e no Reino Unido e permite que os consumidores assinem planos de dados móveis com qualquer operadora que desejar diretamente no menu de configurações do aplicativo do SIM. É provável que a Apple continue com sua própria versão de SIM, desde que ele seja tecnicamente compatível com as normas estabelecidas pela GSMA para o e-SIM.

Quando ele será lançado?

Infelizmente, como o e-SIM vai exigir um novo tipo de hardware, a novidade não deve começar a aparecer em dispositivos móveis durante, pelo menos, um ano. A padronização das especificações técnicas ainda não foi finalizada. Talvez um iPhone 7 ou Galaxy S7 possa vir equipado com um e-SIM.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.