O que é um Overclock?

Por Ultradownloads
Overclock em um Intel Core i7 980 Extreme Edition para 4.7 GHz

Quando compramos um processador costumamos olhar sempre a quantidade de núcleos e a velocidade de operação que ele trabalha, e naturalmente escolhemos o que possui uma maior frequência de operação por associar um clock maior com melhor desempenho. Se a lógica é essa, então por que não aumentar essa velocidade "na marra"? O nome da técnica de aumentar o clock do processador é conhecida como Overclock, e permite obter uma performance superior às especificadas na fábrica.

Naturalmente um processador que saiu de fábrica projetado para trabalhar a 3.0 GHz terá um desempenho melhor se for colocado para trabalhar a 4.0 GHz, mas esse ganho não é diretamente proporcional ao aumento de velocidade. Existem fatores limitantes na proporcionalidade de aumento de desempenho, pois a quantidade de memória cache do processador continuará a mesma, o índice de acerto de operações por clock diminuirá e o resto dos componentes continuará a trabalhar na mesma velocidade.

Como o processador é de longe o componente mais rápido do computador, se o colocarmos para trabalhar com uma velocidade acima da especificada ele continuará dependendo da memória RAM, velocidade do chipset e discos rígidos. A CPU acaba sempre tendo que esperar uma operação que esteja sendo realizada nesses componentes terminar, ficando ociosa a maior parte do tempo, então o ganho de desempenho real acaba sendo menor do que parece à primeira vista.

Grande parte dos modelos encontrados no mercado atualmente podem tranquilamente trabalhar com um overclock de 10% com nas mesmas condições de refrigeração, mas porcentagens maiores do que esta requerem cuidado para não danificar o processador. Existem excelentes soluções de refrigeração que utilizam tecnologias de heatpipes e watercoolers para dar conta do aumento de temperatura, que é exponencial dependendendo da velocidade que se pretende alcançar.

Praticantes de overclock, ou overclockers, tentam alcançar a maior velocidade possível em que o processador ainda trabalhe com estabilidade. Alguns modelos são desenvolvidos especialmente para atender a esse público, conhecidos como Black Edition (AMD) ou Extreme Edition (Intel). Estas linhas são desenvolvidas para aguentar condições extremas e por isso são vendidos a preços consideravelmente maiores.

AMD Bulldozer FX-8150 Black Edition

Por mais que estejamos acostumados a pensar em overclock como uma técnica exclusiva de processadores, placas de vídeo, memórias RAM e até chipsets onboard também podem ser colocados para trabalhar em uma velocidade maior. Estes componentes precisam de um cuidado muito maior, pois são mais sensíveis a variações em suas voltagens de operação, sendo muito mais passíveis de danos do que o processador pois suas estruturas de refrigeração são menos "flexíveis" do que as utilizadas em processadores.

Ao realizar um overclock, é importante não tentar uma variação de clock muito grande logo de início (indo de 3.3 GHz para 5.0 GHz em uma tacada só, por exemplo) mas sim testar várias velocidades diferentes, subindo aos poucos, para ver se o processador é capaz de suportar esse aumento. Refrigeração é essencial, pois o dissipador utilizado deverá ser capaz de aguentar os componentes trabalhando com 100% de sua capacidade por longos períodos de tempo para ser capaz de proteger os componentes a longo prazo.

Watercooler Corsair H100, capaz de aguentar níveis mais altos de overclock

Existem dois programas que são bastante eficientes ao realizar testes de estresse: AIDA64 e OCCT. Caso o computador desligue sozinho ou apresente qualquer tipo de instabilidade, o esquema de overclock utilizado deve ser revisto para que os componentes trabalhem com segurança.

Já realizou algum overclock? Conte-nos o aumento de performance que conseguiu!

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.