Apple deixa de faturar quase R$ 17 bilhões com cópias do AirPods, diz pesquisa

Apple deixa de faturar quase R$ 17 bilhões com cópias do AirPods, diz pesquisa

Por Victor Carvalho | Editado por Wallace Moté | 20 de Julho de 2021 às 07h45
Apple

O mercado de réplicas de fones de ouvido sem fio da Apple, os AirPods, foi responsável por fazer a empresa perder aproximadamente US$ 3,2 bilhões. A estimativa é da agência governamental dos Estados Unidos Customs and Border Protection (CBP).

No estudo divulgado pelo jornal The Information, foi revelado que as apreensões de fones de ouvido falsificados da Apple passaram de US$ 3,3 milhões durante todo o ano de 2019 para US$ 62,2 milhões desde outubro de 2020.

AirPods e AirPods Pro dominaram vendas de fones sem fio em 2020 apesar das réplicas (Foto: Canaltech)

Com isso, o mercado de réplicas de AirPods pode representar uma perda de US$ 3,2 bilhões à Apple, uma vez que potenciais consumidores dão preferência por adquirir uma cópia falsificada do que um modelo original de maior qualidade geral, mas com preço muito superior.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vale lembrar que esta é uma estimativa apenas da Câmara de Comércio dos EUA. De acordo com os dados, a perda de US$ 3,2 bilhões desde 2016 representaria apenas 2,5% da falsificação em nível global.

Terceira geração do AirPods deve ser apresentada pela Apple ainda em 2021 (Foto: Canaltech)

E ainda assim, é pouquíssimo provável que o mercado de fones paralelos deixe de existir nos próximos anos, uma vez que a Apple deve atualizar o AirPods ainda este ano com a chegada da terceira geração do modelo base oferecendo um novo design herdado do AirPods Pro.

Vale destacar que a Apple ainda lidera o segmento de fones de ouvido sem fio. Segundo a Counterpoint, a marca fechou o ano de 2020 com 29% de participação no cenário global, deixando Xiaomi e Samsung muito para trás com 13% e 5%, respectivamente.

Fonte: The Information

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.