Mercado de celulares cresce puxado por explosão de marcas chinesas

Mercado de celulares cresce puxado por explosão de marcas chinesas

Por Bruno Bertonzin | Editado por Wallace Moté | 30 de Julho de 2021 às 14h51
simonapilolla

Um novo relatório de análise do mercado publicado pela IDC reafirma o crescimento no número de vendas de celulares durante o segundo trimestre de 2021. Os dados divulgados pela empresa vão ao encontro dos que já tinham sido revelados por outras companhias, como a Canalys e a Counterpoint.

Segundo os números mostrados pela IDC, houve um aumento de 13,2% no total de envios de smartphones durante o período que equivale aos meses de abril a junho. Nesse intervalo, foram vendidas mais de 313,2 milhões de unidades de celulares. Como efeito de comparação, no segundo trimestre do ano passado foram comercializados cerca de 276,6 milhões de aparelhos.

Fabricante Vendas no 2º trimestre de 2021 (em milhões) Participação de mercado no 2º trimestre de 2021 Vendas no 2º trimestre de 2020 (em milhões) Participação de mercado no 2º trimestre de 2020 Crescimento anual
Samsung 59,0 18,8% 54,0 19,5% +9,3%
Xiaomi 53,1 16,9% 28,5 10,3% +86,6%
Apple 44,2 14,1% 37,6 13,6% +17,8%
Oppo 32,8 10,5% 24,0 8,7% +37,0%
Vivo 31.6 10.1% 23.7 8.6% +33.7%
Outras 92,4 29,5% 109,0 39,4% -15,2%
Total 313,2 100% 276,6 100% +13,2%

A análise também conclui que a China foi a única região a contribuir negativamente com o setor durante este ciclo de três meses. Um dos principais fatores para isso pode ser a queda no desempenho da Huawei — que antes era a principal fornecedora de smartphones do país e agora amarga o fato de não aparecer nem entre as cinco maiores em sua terra natal — e a quantidade relativamente baixa de aparelhos topos de linha lançados nos últimos 90 dias.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Além disso, a IDC aponta, também, que o mercado de smartphones teve ainda mais sucesso do que outros setores populares, como o de computadores, automotivos e das indústrias de displays. Isso pode ser considerado uma surpresa, se levarmos em conta a crise no fornecimento de semicondutores para a fabricação dos dispositivos.

Samsung segue na liderança e Xiaomi se firma em segundo

Esse não é o primeiro relatório de análise do mercado que aponta este mesmo dado: a Samsung segue na liderança entre as maiores fabricantes de celulares do mundo, enquanto a Xiaomi assume a segunda posição no lugar da Apple.

(Imagem: Reprodução/Rawpixel - Envato)

A fabricante sul-coreana está no topo do pódio, com uma fatia de 18,8%¨do mercado. Ela é seguida pela Xiaomi, com 16,9% e pela Apple, com 14,1%. A lista das cinco maiores fornecedoras de smartphones do mundo é completada por outras duas chinesas, a OPPO — que fica em quarto, com participação de 10.5% — e a Vivo, com 10,1%.

Apesar das possíveis diferenças em alguns números finais, essa é a mesma ordem levantada pelas análises da Counterpoint e da Canalys. No entanto, é válido destacar que as empresas fazem os estudos de forma independente, portanto outras companhias podem apontar resultados diferentes.

Fonte: GSMArena

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.