MediaTek se torna a maior fabricante de processadores mobile na China

Por Rubens Eishima | 21 de Janeiro de 2021 às 10h15
Divulgação/MediaTek
Tudo sobre

MediaTek

Saiba tudo sobre MediaTek

Ver mais

A empresa taiwanesa de processadores MediaTek ultrapassou as rivais Qualcomm e Huawei/HiSilicon no mercado chinês de celulares no segundo semestre de 2020. Os números foram revelados pela consultoria CINNO Research, que identificou ainda uma queda de 20,8% no suprimento do componente no país, na comparação com 2019.

A virada teve como pano de fundo muito mais do que apenas a pandemia da COVID-19, com impacto também das sanções impostas pelos Estados Unidos à China. Além de afetar o fornecimento de processadores da HiSilicon — em grande parte produzidos em Taiwan pela TSMC —, elas podem ter provocado uma reação indireta dos chineses, que consumiram 48,1% menos chips da norte-americana Qualcomm.

A grande beneficiada pelos atritos entre as duas superpotências foi a MediaTek, que aumentou o volume de vendas para as fabricantes chinesas Oppo, Vivo e Xiaomi. Por isso, a participação de mercado da Qualcomm caiu de 37,9% em 2019 para 25,4% em 2020.

Taiwanesa aproveitou a guerra comercial entre EUA e China (Imagem: reprodução/CINNO)

O risco de sofrerem as mesmas sanções impostas à Huawei levou as marcas chinesas a diversificarem sua cadeia de fornecedores, segundo a consultoria, beneficiando a MediaTek e seus processadores Dimensity.

A linha de chips aproveitou a alta demanda por celulares 5G, ajudando a empresa a tomar mercado das rivais. Os analistas de outra consultoria, a Counterpoint, avaliam, porém, que o lançamento de chips básicos e intermediários da rival norte-americana — Snapdragon 480 e 690, respectivamente — pode frear o crescimento da MediaTek no gigante asiático.

Fonte: ITHome

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.