Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

iPhone 15 Pro: Apple pode ter desistido de remover botões físicos

Por| Editado por Wallace Moté | 12 de Abril de 2023 às 17h35

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr/ Canaltech
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Neste ano a Apple apresentará a linha iPhone 15, mais uma vez composta por quatro aparelhos. Ainda que iPhone 15 Pro e iPhone 15 Pro Max se destaquem por trazer as maiores novidades, pode não ser dessa vez que a empresa de Tim Cook conseguiu remover todos os botões físicos de seus celulares.

O informante Ming-Chi Kuo trouxe algumas novas informações sobre os chamados botões de estado sólido, sensíveis à pressão, que segundo rumores anteriores seriam uma das principais novidades da nova geração. Ele revela em uma publicação que problemas técnicos não resolvidos podem fazer com que os novos modelos sejam apresentados com os mesmos botões físicos usados há anos pela Apple.

Continua após a publicidade

Assim, não teríamos botões capacitivos funcionando de maneira semelhante ao botão Home encontrado no iPhone desde iPhone 7 e usado ainda no iPhone SE de segunda e terceira geração. Caso a informação se confirme, alguns problemas surgem, com o principal deles relacionado aos fornecedores que já teriam recebido pedidos relacionados aos novos botões hápticos, como a Cirrus Logic e a AAC Technologies — sendo a primeira a fabricante de um microprocessador dedicado aos botões, e a segunda a fabricante do Taptic Engine, que daria a resposta vibratória simulando o clique.

Ainda que os iPhone 15 Pro e iPhone 15 Pro Max já estejam em um estágio avançado de desenvolvimento, a troca para os botões comuns não deve ser um problema, já que a empresa poderia adaptar peças dos atuais iPhone 14 Pro e iPhone 14 Pro Max para suprir a demanda caso necesário.

De qualquer modo, os novos celulares da Apple são esperados para o segundo semestre do ano, com janela de apresentação geralmente entre setembro e outubro. Assim, algumas decisões ainda podem ser tomadas, e rumores a seu respeito ainda podem surgir até sua oficialização.

Fonte: Medium