Huawei adia lançamento do Mate X para realizar mais testes

Por Rafael Arbulu | 14 de Junho de 2019 às 10h35
Cars and Gadgets
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Huawei Mate X

Ficha técnica

A Samsung está enfrentando uma nova crise comercial e de relações públicas com os problemas enfrentados pelo Galaxy Fold. A lógica dita, então, que o usuário que desejasse um smartphone de tela dobrável levasse o seu dinheiro para a Huawei, que previa o lançamento de seu dobrável Mate X para este mês de junho.

Não mais. Devido aos problemas enfrentados pela Samsung e seu aparelho, a fabricante chinesa achou melhor adiar o lançamento de seu próprio smartphone dobrável, encomendando novos testes de segurança a fim de assegurar a qualidade final do produto.

Agora com lançamento marcado para setembro deste ano, o Huawei Mate X passará por novas baterias de testes com o objetivo de garantir que o produto que chegar às prateleiras do varejo não apresente nenhuma (ou, pelo menos, nenhuma igual às da Samsung) falha.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Um porta-voz da Huawei disse à CNBC que a intenção da empresa é lançar o Mate X globalmente, com foco especial em países emergentes onde a conexão 5G está em vias de ser implementada. O “pequeno dobrável” tem suporte à nova velocidade de conexão móvel. A compatibilidade do aparelho com as conexões das operadoras, bem como a integridade e funcionamento dos aplicativos desenvolvidos por empresas especificamente para a tela dobrável do smartphone, também estão sendo testadas.

O Huawei Mate X, smartphone de tela dobrável da chinesa e concorrente direto do Samsung Galaxy Fold, deve chegar às prateleiras apenas em setembro deste ano

O porta-voz também confirmou a postura mais cautelosa da Huawei, admitindo que o adiamento tem relação com os problemas enfrentados pela Samsung: inicialmente previsto para lançamento em maio, o Galaxy Fold apresentou problemas extensos, como quebras totais e parciais da tela dobrável de aparelhos enviados à imprensa para avaliação. A Samsung recolheu os aparelhos e está atualmente testando o Fold, sem informar data de lançamento definitiva.

Mais além, pré-vendas já adquiridas do Galaxy Fold estão sendo canceladas não apenas pela Samsung, mas também por operadoras que desenvolveram planos de compra amarrada para seus clientes.

“Não queremos lançar um produto que vá destruir a nossa reputação”, disse o porta-voz da Huawei à CNBC.

Mas e aquele ban, hein?

O porta-voz da empresa também elucidou detalhes relacionados ao banimento dos negócios da Huawei com empresas dos EUA, esclarecendo que o Mate X virá com sistema operacional Android em pleno funcionamento por ter sido anunciado antes da emissão de ordem executiva assinada pelo presidente Donald Trump, no mês de maio. A ordem efetivamente proíbe quaisquer relações comerciais entre a chinesa e empresas dos EUA — Trump crê que a Huawei está usando seus fortes laços com o governo chinês para espionar as empresas da indústria tecnológica americana.

A Huawei assegurou que o Mate X virá com o Android em funcionamento pleno e o banimento de suas relações com empresas americanas não trará impacto algum ao aparelho

A dúvida remete à revogação de uso do Android, detida pela Huawei e promovida pela Google, dona do sistema operacional. Ao ter sua licença revogada, a Huawei até pode continuar usando o sistema em seus dispositivos, mas não teria acesso às atualizações quase mensais de segurança, nem à loja de aplicativos Play Store. Softwares desenvolvidos pela própria Google, como Maps, YouTube ou Gmail, por exemplo, também seriam inacessíveis em aparelhos da gigante chinesa.

A medida, segundo analistas, deve trazer um impacto negativo e severo aos negócios da Huawei: atualmente, a empresa é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, atrás apenas, veja você, da Samsung. A ambição da empresa era de se tornar a principal do setor em poucos anos, mas após a emissão da ordem executiva presidencial, a chinesa reconhece que o objetivo deve demorar um pouco mais para ser cumprido.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.