Pixel 4 | Tudo sobre os novos smartphones do Google

Por Rafael Arbulu | 15 de Outubro de 2019 às 14h10
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Pixel 4

Ficha técnica

*Em colaboração com Bruno Salutes

Enfim, a Google revelou nesta terça-feira (15) os novos Google Pixel, mostrando alguns recursos do seu novo smartphone e confirmando vários dos rumores que já vinham sendo divulgados há algumas semanas. Veja tudo que foi anunciado pela Google sobre os Pixel 4 e Pixel 4 XL.

Pixel 4: design e tela

Tanto o Pixel 4 quanto o Pixel 4 XL têm acabamento em vidro e módulo de câmera quadrado, ambos com duas lentes. Este ano, felizmente, nenhum dos modelos terá notch na tela, o que irá resultar em bordas frontais um pouco maiores, sobretudo na parte superior, onde ficarão os novos sensores de reconhecimento facial e de gestos.

Eis o visual do Google Pixel 4

Outra mudança dos novos modelos é a ausência do sensor biométrico físico na traseira usado pelo Google desde a primeira geração da série Pixel. Os Pixel 4, no entanto, irão contar com um sistema de reconhecimento facial aprimorado, que você confere em mais detalhes nos tópicos abaixo.

As telas dos novos Pixel terão tamanhos diferentes, sendo o Pixel 4 o modelo menor, com de 5,7 polegadas e resolução Full HD+, enquanto o Pixel 4 XL terá display Quad HD+ com 6,3 polegadas.

Pixel 4 tem módulo de câmera quadrado e acabamento em vidro

A Google também confirmou rumores passados e disse que ambos os modelos terão tela OLED com taxa de atualização de 90 Hz, chamados de Smooth Display. Ele é capaz de definir automaticamente qual padrão — entre 60 Hz e 90 Hz — será usado, a depender da compatibilidade do jogo ou aplicativo em execução. Essa novidade havia sido encontrada no código-fonte do Android 10, que, aliás, virá embarcado de fábrica nos novos aparelhos.

Pixel 4: segurança e privacidade

O Pixel 4 e Pixel 4 XL têm recursos de segurança e privacidade avançados, com destaque para o reconhecimento facial e o controle por gestos. Ambos os recursos funcionam graças a um conjunto de sensores que ficam alocados na parte frontal dos dispositivos.

A tecnologia de reconhecimento de gestos é desenvolvida pela equipe do ATAP (Advanced Technology and Projects), que pertence ao Google. Esses sensores haviam sido criados originalmente para smartwatches e funcionam com o apoio de um radar chamado Soli, que é capaz de reconhecer movimentos próximos ao aparelho.

Parte superior do Pixel 4 com sensores de reconhecimento facial e gestos 

O recurso terá o nome de Motion Sense e permitirá que o usuário controle mídias, adie ou cancele alarmes e atenda ou recuse chamadas, por exemplo. O LG G8 ThinQ é outro smartphone que utiliza uma tecnologia semelhante e com a mesma funcionalidade.

Com relação ao desbloqueio com o rosto, o Google confirmou que os Pixel 4 têm um projetor de pontos 3D e dois sensores infravermelho dedicados ao mapeamento e reconhecimento facial.

O radar Soli, usado para detectar movimentos, também irá ajudar no reconhecimento facial para torná-lo mais rápido, uma vez que esses sensores conseguirão detectar a presença do usuário mesmo com a tela bloqueada. Em um post em seu blog oficial, a empresa explicou como ele vai funcionar: “À medida que você aproxima a mão para pegar o Pixel 4, o Soli ativa de maneira proativa os sensores de desbloqueio facial, reconhecendo que você talvez queira desbloquear seu celular. Se os sensores e algoritmos reconhecerem você, o celular será desbloqueado enquanto você o pega, tudo em um só movimento".

Um dos destaques do Pixel 4 é a nova cor laranja
Um dos destaques do Pixel 4 é a nova cor laranja

O chip Titan M será o responsável por armazenar os dados do mapeamento facial e as demais informações de segurança do aparelho. Isso garante uma camada extra de segurança, ao fazer com que as informações do usuário fiquem armazenadas dentro do Pixel 4, e não em servidores.

O Google ainda garante que será possível usar o reconhecimento facial a partir de qualquer orientação do celular ou condição de iluminação ambiente. Apesar disso, há indícios de que uma brecha no reconhecimento do aparelho torne possível que ele seja desbloqueado até mesmo se o usuário estiver de olhos fechados ou dormindo.

Pixel 4: nova navegação Motion Sense

Umas das grandes mudanças que o Google anunciou para o Pixel 4 é uma função chamada pela empresa de Motion Sense, que permite que o smartphone reconheça gestos de navegação (ou seja, permite ativar comandos no smartphone sem a necessidade de tocar na tela) que, ao invés de usar imagens da câmera (que é passível a muitos erros) utiliza um sistema de localização dos gestos por radar.

E, pela primeira vez, a empresa mostrou como esse sistema irá realmente funcionar: a navegação gestual integra-se a praticamente todas as funções do smartphone, permitindo desde a navegação de menus e o controle de músicas em serviços de streaming como o reconhecimento de proximidade do usuário, acionando a tela quando você chegar perto e desligando-a quando você se afastar.

Mais além, o sistema Soli de radar aplicado na tecnologia Motion Sense é capaz de determinar, por meio de inteligência artificial, o que o Google chamou de “intenção do usuário”: em um vídeo exibido na conferência, a empresa explicou que o sistema será capaz de identificar um comando no gesto de passar a mão por cima da tela, por exemplo, com a mesma passada de mão tendo outro objetivo alheio ao smartphone, como passar um objeto a outra pessoa ou uma xícara de café por cima da tela do aparelho, evitando, assim, acionamentos desnecessários.

Pixel 4: novos recursos

Google Assistente

O Android 10 que roda nos Pixel 4 irá trazer algumas novidades exclusivas para os modelos, e o Google Assistente é uma delas. O Google confirmou que o assistente virtual que acompanha o Pixel 4 é uma versão evoluída do que aquele que conhecemos hoje.

Segundo a empresa, foram feitos alguns ajustes na interface do aplicativo, começando com um painel mais compacto e transparente. Ao chamar "Ei, Google" ou pressionar as bordas laterais do aparelho com o Active Edge, uma barra de luz colorida preenche os lados da tela e a parte inferior. As cores se movem na tela enquanto você fala algum comando.

Outro destaque do novo Assistente é o recurso Continued Conversation, que permite dar novos comandos de voz sem usar o comando "Ok, Google" para isso. Durante a demonstração, foi exibida uma pesquisa de show de uma artista, o compartilhamento de horários e locais com um contato da agenda, o acesso e a aquisição de ingressos para dito show — tudo por comandos de voz continuados, sem interrupções. A ideia do Google com essa função é tornar a comunicação mais dinâmica e rápida, visto que todas as informações trocadas entre o usuário e o assistente serão armazenadas no chip Titan M, responsável por criptografar e salvar informações sigilosas e de segurança do usuário.

Esse processo de armazenamento de dados no Titan M eliminará a dependência de conexão entre servidores do Google, visto que, atualmente, os comandos de voz do usuário são enviados para a empresa remotamente. Com isso, o Assistente deve ficar até 10 vezes mais rápido.

Recorder

O evento do Google também serviu para mostrar um novo recurso, direcionado a quem gosta de produzir anotações em áudios de seus projetos, ou mesmo para quem conduz entrevistas: o Recorder. Ele é um app nativo do Pixel 4 e Pixel 4 XL que promove a gravação do que está sendo capturado, ao mesmo tempo em que transcreve o material.

O charme do app é que ele não somente promove a transcrição em tempo real, mas faz isso localmente, sem enviar dado nenhum à internet (funcionando até em Modo Avião), além de trazer anotações de tempo que facilitam a localização de partes específicas — algo extremamente útil em gravações mais longas.

Recorder não somente promove a transcrição em tempo real, mas faz isso localmente (Captura de tela: Rafael Arbulu)

Safety App

Um recurso que já era alvo de rumores também foi confirmado pela Google: o mesmo sistema inteligente implementado nas câmeras também será útil na detecção de acidentes de carro, por meio do chamado Safety App.

Com ele, caso você se envolva em algum acidente automobilístico, o Pixel 4 poderá automaticamente acionar os serviços de socorro. Segundo o Google, o recurso (que, por ora, está disponível apenas nos EUA) não deve ser acionado em caso de engavetamentos ou batidas menores, mas funcionará de forma precisa em situações de maior risco.

Pixel 4: câmeras

Pela primeira vez na marca, o Google implementou um esquema de câmera dupla, com destaque para dois fatores: o primeiro é a inclusão de uma lente teleobjetiva, que traz zoom híbrido entre padrão óptico e digital de até duas vezes. As câmeras também contam com aprimoramentos via software, contando com recursos novos, como o Live HDR+, que permite que você veja o resultado da foto em modo HDR antes mesmo de tirá-la; uma evolução do modo Night Sight, que agora conta com uma função de exposição de longo prazo para imagens de estrelas e da lua; e controle duplo de contraste e brilho, feito separadamente por dois controladores deslizantes na tela.

Nas especificações técnicas, o sensor principal conta com 12 megapixels e abertura f/1.7 para imagens abertas — o mesmo tipo encontrado no Pixel 3. Já a câmera teleobjetiva traz 16 megapixels, abertura de f/2.4 e, como já falamos, zoom híbrido de duas vezes.

Pixel 4 e Pixel 4 XL têm duas câmeras e um sensor de apoio

Este conjunto deve ser capaz de oferecer a função de zoom aprimorado de até 20x, que foi confirmado no Twitter por Claude Zellweger, diretor de design do Google, em resposta a um usuário da rede social.

O chip dedicado ao processamento de fotos e vídeos, o Pixel Neural Core, ganhou uma nova versão, que agilizará capturas de vídeos em 4K e será capaz de otimizar alguns tipos de cenas, como imagens feitas a noite e do céu. O aplicativo de câmera do Pixel 4 também deve contar com o recurso de ajuste de exposição e contraste simultâneo.

Pixel 4: ficha técnica

Os Google Pixel 4 não são tão diferentes entre si, exceto pelo tamanho de tela e da bateria. Ambos possuem processador Snapdragon 855, 6 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno na versão mais básica.

A bateria acompanha o tamanho da tela de cada modelo, sendo de 2800 mAh no Pixel 4, e 3700 mAh no Pixel 4 XL. A ficha técnica é a seguinte:

  • Tela: OLED 5,7" Full HD+ (Pixel 4), 6,3" Quad HD+ (Pixel 4 XL), Smooth Display de 90 Hz em ambos;
  • Software: Android 10 com novo Google Assistente
  • Processador: Snapdragon 855;
  • RAM: 6 GB;
  • Armazenamento: 64 GB, 128 GB, 256 GB;
  • Câmera principal: 16MP + 12 MP (telefoto), grava em 4K;
  • Câmera frontal: 8MP, grava em Full HD;
  • Bateria: 2800 mAh (Pixel 4), 3700 mAh (Pixel 4 XL);
  • Autenticação: Face Unlock

Pixel 4: preço e disponibilidade

A pré-venda do Pixel 4 e do Pixel 4 XL começou junto do evento de anúncio dos aparelhos, ou seja, em 15 de outubro. O lançamento do aparelho está previsto para o dia 24 de outubro. Atualmente, os preços variam de acordo com a versão adquirida: US$ 799 (R$ 3315,93) para o modelo com 64 GB de armazenamento e US$ 899 (R$ 3730,94) para a versão com 128 GB. Ambos os modelos estão disponíveis nas cores preta (Just Black), branca (Clearly White) e laranja (Oh So Orange), esta uma edição limitada.

Preço inicial dos Google Pixel 4
Preço inicial dos Google Pixel 4 (Captura de tela: Rafael Arbulu)

E se você quer acompanhar todos os detalhes e a cobertura completa do lançamento da linha Pixel 4, fique ligado aqui no Canaltech.

E aí, ansioso pela chegada dos novos Pixel 4?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.