Conheça os smartphones mais caros do mundo do primeiro semestre de 2019

Por Pedro Cipoli | 10 de Agosto de 2019 às 19h00

Graças à internet podemos ver análises, fotos e vídeos sobre os smartphones que provavelmente nunca estarão em nossas mãos (justamente por custarem pequenas fortunas), tudo isso sem pagar um centavo para admirar estes itens com preços exorbitantes.

Confira alguns dos smartphones mais caros do mercado até julho de 2019, incluindo modelos que não foram lançados exatamente neste ano ou que ainda estão por vir, mas que já foram anunciados no semestre em questão. Note que (assim como os preços) as conversões de dólar para real também são referentes a esse período (além de serem apenas para fins ilustrativos).

Huawei Mate X

A tendência do momento são os smartphones dobráveis (e novidades cobram caro justamente por serem algo inédito). A ideia do Mate X (não confundir com o Matx 20 X) é possuir um aparelho de 6,6 polegadas de tela no bolso para que quando o usuário precisar de um tablet (ou seja, a qualquer momento) possa desdobrar o modelo num aparelho de 8 polegadas. Simples assim.

Além deste truque 2-em-1, a Huawei promete para o Mate X velocidade e rendimento topo de linha (algo que sempre custa mais caro) com suporte 5G, unificando a novidade dobrável (que por si só já cobraria seu preço) com a tendência da “conectividade do futuro” (dando mais outro acréscimo nos valores). O sistema “Leica” de câmeras na lateral do aparelho também faz parte da enorme conta para chegar ao valor do Mate X.

Esse é um bom aparelho para acompanhar (através da internet); afinal, seu custo é imenso (e parte do atrativo “5G” ainda nem tem data exata para chegar nas operadoras do Brasil).

Preço estimado para o lançamento: € 2300 (± R$ 10.200)

Samsung Galaxy Fold

Mesma ideia por trás de qualquer aparelho dobrável da tendência atual: possuir um telefone no bolso que pode desdobrar-se num tablet sempre que necessário. O Galaxy Fold começa com 4,3” de tela fechado e vai para 7,3” ao ser aberto.

A proposta do modelo é oferecer um modo especial de multitarefa e algumas adaptações do Android como feito pela Samsung em seus modelos, porém com foco na dupla tela que acaba sendo entregue pelo formato do aparelho.

Vale pontuar que as primeiras impressões do Fold foram catastróficas na imprensa internacional devido a mal entendidos com a película/tela do modelo, além de casos onde houve falha do display mesmo sem sinais de mau uso ou enganos.

Preço estimado para o lançamento: US$ 2000 (± R$ 7.800)

iPhone XS Max

Indo para os smartphones em formato “barra” e deixando dobras de lado, chegamos naturalmente ao reino dos iPhones, parte inegável da tecnologia mais cara do nosso tempo. Se o preço é justificável ou não, isso é outra história (nosso trabalho é meramente apontar o quanto é custoso adquirir um desses).

Naturalmente, o maior da família leva o posto de “caro além da imaginação”, principalmente ao levar em conta os preços da loja oficial da Apple, entregando as melhores opções da fabricante em potência, tela e desempenho fotográfico.

Como tradicional na linha de produtos iPad/iPhone, escolher por mais espaço interno aumenta consideravelmente os preços; afinal, é a única forma de aumentar o espaço de trabalho nos modelos que não contam com suporte a memórias externas.

Preço na loja oficial: R$ 9.999 (com 512 GB)

Samsung Galaxy S10+

Ao chegar ao S9, a Samsung introduziu um novo método de fotografia para seus aparelhos (entregando abertura variável na câmera principal), mantendo isso para o S10+ e acrescentando mais câmeras para aumentar a versatilidade do aparelho nas capturas. Todo o desempenho topo de linha também faz parte do KIT.

O ponto mais marcante talvez seja a entrada da fabricante com o S10+ na “guerra ao entalhe” presente nas telas desde o lançamento do primeiro iPhone com “tarja preta” sobre o display; na linha S10, a Samsung passa a literalmente perfurar a tela com a câmera frontal, uma solução que resolve um problema (criando outro).

Preço na loja oficial: R$ 8.999 (com 1TB + 12 GB RAM)

iPhone XR

Ironicamente este foi lançado como uma alternativa (minimamente) “acessível” aos iPhones mais poderosos da Apple (quase como um telefone mais “básico”, porém compartilhando boa parte dos itens que os topos da linha oferecem).

O principal ponto “fraco” do iPhone XR em comparação aos outros X é justamente a tela menos empolgante presente no aparelho. A contrapartida é sua bateria, claramente superior a todos os demais iPhones do momento (ou seja, esse fica bem mais tempo longe da tomada, mesmo sendo “mais barato”).

Preço na loja oficial: R$ 5.999 (256 GB)

Huawei P30 Pro

Como renovação do aclamado P20 Pro, temos o P30 Pro. Literal como indicado nos nomes.

De certa forma, o P30 Pro melhora todos os aspectos que deram críticas favoráveis ao P20 no passado, fortalecendo o modo noturno e a qualidade das capturas em geral. A novidade fica por conta da câmera de zoom óptico (5x) com estabilização óptica, utilizando um periscópio interno para buscar imagens com distância considerável sem a necessidade de apoiar o aparelho num tripé, tampouco sem cortar a imagem digitalmente, criando uma captura real em zoom estável. Carregamento sem fio reverso, resistência a água e demais itens topo de linha estão inclusos.

Preço médio no exterior: $1000 (± R$ 3.900) 256 GB + 8 GB RAM

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.