Galaxy A52 vs Galaxy M51: câmeras melhores ou bateria gigante?

Por Diego Sousa | Editado por Wallace Moté | 06 de Maio de 2021 às 13h00
Renan da Silva Dores/Canaltech

As linhas Galaxy A e M dividem o posto de família mais atrativa no mercado de smartphones intermediários no Brasil, cada uma com seu diferencial: enquanto a primeira une design atraente e recursos de câmera mais chamativos, a segunda se destaca pela promessa de longa autonomia — não à toa, os modelos Galaxy A51 e M51 foram uns dos mais interessantes da Samsung no ano de 2020.

Para 2021, a coreana atualizou a linha Galaxy A com o A52, apostando em tela de maior qualidade, desempenho mais potente e câmeras mais ainda mais atraentes. No entanto, ele pode acabar decepcionando quem procura boa autonomia de bateria, já que não evoluiu muito em relação à geração passada. Nesse cenário, o Galaxy M51 está à venda no Brasil como o smartphone de maior capacidade de bateria da Samsung, mesmo que possua um conjunto inferior em outros pontos.

Mas, afinal, vale mais a pena apostar em um aparelho intermediário de 2021, que traz diversos recursos interessantes e uma bateria menor, ou em um modelo do ano passado com a maior bateria disponível no Brasil e configurações mais simples? Pensando em responder essa pergunta, colocamos o Galaxy A52 e o Galaxy M51 lado a lado para um duelo de especificações.

Construção e design

Como ambos os smartphones têm, aproximadamente, seis meses de diferença entre os lançamentos, suas inspirações mudaram conforme a Samsung apresentou novos aparelhos: o Galaxy M51 pega muitas semelhanças da linhas Galaxy S20 e Galaxy A71, com o módulo de câmeras em formato de "peça de dominó" (ou "cooktop") e o furo na tela para abrigar uma câmera frontal.

Galaxy M51 é idêntico ao Galaxy A71 (Imagem: Reprodução/Samsung)

Já o Galaxy A52 se inspira principalmente no design dos novos Galaxy S21, trazendo um conjunto fotográfico traseiro bem mais espaçoso, dando a impressão de que se trata de um smartphone com peças mais premium. Outra diferença está no próprio visual: enquanto o A52 tem uma tampa fosca com a mesma cor do módulo de câmeras, o M51 apresenta uma traseira brilhante que risca com facilidade.

Galaxy A52 é inspirado nos novos Galaxy S21 (Imagem: Divulgação/Samsung)

Ainda assim, é bom destacar que estamos falando de plástico como material principal nos dois aparelhos. Uma vantagem muito bem-vinda do celular mais novo é a construção resistente a água e poeira, cortesia da certificação IP67, que garante submersão em até um metro de profundidade em água doce por até 30 minutos. A geração de 2021 marca o retorno da funcionalidade à linha Galaxy A três anos depois.

Tela

  • Samsung Galaxy A52: 6,5 polegadas, Full HD+, 90 Hz, Super AMOLED;
  • Samsung Galaxy M51: 6,7 polegadas, Full HD+, 60 Hz, Super AMOLED.

Quando do assunto é tela, tanto o Galaxy A52 quanto o M51 são equipados com um painel Super AMOLED, característica bastante comum entre os intermediários da Samsung. Na prática, a tecnologia garante maior alcance de brilho e contraste perfeito com preto "de verdade". O A52 traz cerca de 33% mais brilho em relação aos modelos lançados em 2020, segundo a própria empresa.

Além disso, o celular de 2021 foi um dos primeiros das linhas Galaxy intermediárias com taxa de atualização mais alta, no caso, 90 Hz — quanto maior o número, mais fluida será a tela em conteúdos multimídia compatíveis, como jogos e navegação no sistema. Vale lembrar, no entanto, que Galaxy A52 tem um display menor quando comparado com o Galaxy M51: são 6,5 polegadas contra 6,7''. A resolução, independentemente do tamanho, continua Full HD+.

Câmeras

  • Samsung Galaxy A52: 64 MP (principal, f/1.8) + 12 MP (ultrawide, f/2.2) + 5 MP (macro, f/2.4) + 5 MP (profundidade, f/2.4) + 32 MP (frontal, f/2.2);
  • Samsung Galaxy M51: 64 MP (principal, f/1.8) + 12 MP (ultrawide, f/2.2) + 5 MP (macro, f/2.4) + 5 MP (profundidade, f/2.4) + 32 MP (frontal, f/2.0).

Se considerar apenas os números, tanto o Galaxy A52 quanto o M51 possuem câmeras idênticas, mas não é bem assim. Os dois têm quatro câmeras traseiras, com principal de 64 MP, ultrawide de 12 MP e duas auxiliares de 5 MP, sendo uma macro e outra de profundidade.

No entanto, a principal vantagem do celular mais novo é a presença da tecnologia de estabilização óptica de imagem na câmera principal, diferente da estabilização feita por software do modelo mais antigo. No dia a dia isso significa que o A52 pode gravar vídeo com tremedeiras reduzidas, além de fotos mais nítidas em ambientes de iluminação precária. Esse recurso é muito visto em smartphones premium, por isso é muito interessante ver no segmento intermediário.

Câmeras do Galaxy A52 (Imagem: Divulgação/Samsung)

Uma ligeira vantagem do Galaxy M51 está na câmera frontal: os dois trazem 32 MP para selfies, mas o modelo de 2020 tem uma abertura maior, o que tende a melhorar a qualidade das fotos em cenários noturnos.

Processamento e memória

  • Samsung Galaxy A52: Qualcomm Snapdragon 720G Octa-core (2x2.3 GHz Kryo 465 Gold & 6x1.8 GHz Kryo 465 Silver);
  • Samsung Galaxy M51: Qualcomm Snapdragon 730G Octa-core (2x2.2 GHz Kryo 470 Gold & 6x1.8 GHz Kryo 470 Silver).

Tanto o Galaxy A52 quanto o M51 usam uma combinação de CPUs que incluem dois núcleos de alto desempenho e seis núcleos de baixo consumo. O Snapdragon 720G presente no A52 é mais veloz, pois suas CPUs Kryo 465 Gold (baseada no Cortex-A76) operam a 2,3 GHz, mas elas são menos poderosas em termos de processamento que a Kryo 470 Gold do Snapdragon 730G, que trabalha com menos frequência e, ainda assim, entrega melhor desempenho.

Em relação à GPU, os dois utilizam a Adreno 618, porém o Snapdragon 730G tem frequências ligeiramente mais altas — na prática, no entanto, a diferença entre os dois não deve ser muito significativa. Por ser mais atual, o Snapdragon 720G traz um processador de sinal mais atual, além de suporte para Bluetooth 5.1, contra 5.0 do 730G.

(Imagem: Divulgação/Samsung)

No Brasil, os dois smartphones podem ser encontrados em apenas uma versão de memória, com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno, ambos com suporte para expansão via cartão de microSD.

Bateria e recursos

Se o Galaxy A52 se mostrou superior ao modelo de 2020 em tela, construção e câmeras, na autonomia de bateria o jogo vira para o lado do Galaxy M51. Característica principal da linha Galaxy M, ele é equipado com uma bateria de 7.000 mAh, capacidade mais alta entre os smartphones à venda no Brasil. O Galaxy A52, por sua vez, tem um tanque de 4.500 mAh, o que é considerado ok para os padrões de hoje, mas abaixo de grande parte dos intermediários disponíveis por aqui.

A bateria grande do M51 não só garante mais tempo longe da tomada, como também possui a função de dividir sua energia para outro smartphone através do Reverse Charging. Uma semelhança dos dois é o suporte ao carregamento rápido de 25 W, mas proporcionalmente o A52 deve conseguir recarregar sua bateria mais rápido. Vale destacar que ambos trazem tecnologia de aproximação NFC e rádio FM.

Galaxy A52 tem bateria inferior a muitos intermediários (Imagem: Divulgação/Samsung)

Uma vantagem do Galaxy A52 — que não víamos em um celular intermediário da Samsung há anos — é a resistência contra água e poeira, cortesia da certificação IP67, que garante submersão em até um metro de profundidade em água doce por até 30 minutos. O celular mais recente também se destaca na presença de som estéreo, enquanto o M51 tem apenas um alto-falante na parte de baixo para som mono.

Conjunto melhor ou bateria gigante?

O Galaxy A51 foi um dos grandes smartphones intermediários à venda no Brasil em 2020 e o seu sucessor tem tudo para manter a sua tradição: ele tem tela mais fluida, melhor desempenho para jogos, design mais interessante e câmeras mais premium, sem falar da presença do IP67 para proteção contra água e poeira.

No entanto, assim como seu antecessor, ele pode acabar decepcionando na bateria, e é aí que o Galaxy M51 entra. Seu tanque de 7.000 mAh é suficiente para passar mais de um dia tranquilo longe da tomada, coisa que muitos celulares hoje não conseguem. Não só isso, ele traz ainda desempenho mais robusto que o Galaxy A52 e não deixa muito a desejar em câmeras, o que deixa a escolha basicamente no preço de cada um e no quão importante é a experiência de consumo de mídia para você.

No final, o que deve pesar na hora de escolher entre o Galaxy A52 e o Galaxy M51 é o que você mais preza em um smartphone atualmente: conjunto levemente inferior, mas bateria gigante (Galaxy M51); ou conjunto levemente superior, mas bateria que pode não ser suficiente para o seu uso (Galaxy A52).

E aí, qual dos dois é o melhor para você? Conte-nos abaixo, no campo dos comentários! Independentemente da escolha, deixaremos links confiáveis abaixo com as melhores ofertas dos dois aparelhos! Aproveite!

Galaxy A52 vs. Galaxy M51: ficha técnica

Galaxy A52 Galaxy M51
Tela

6,5 polegadas

Full HD+ Super AMOLED

90 Hz

6,7 polegadas

Full HD+ Super AMOLED

60 Hz

Chipset Qualcomm Snapdragon 720G Qualcomm Snapdragon 730G
RAM 6 GB 6 GB
ROM 128 GB 128 GB
Câmera traseira 64 MP + 12 MP + 5 MP + 5 MP 64 MP + 12 MP + 5 MP + 5 MP
Câmera frontal 32 MP 32 MP
Bateria 4.500 mAh 7.000 mAh
Recursos extras recarga de 25 W, NFC, som estéreo, IP67, 4G, BT 5.0 recarga de 25 W, Reverse Charging, NFC, 4G, BT 5.0

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.