Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Apple leva golpe de R$ 63 milhões com trocas de iPhone falso

Por| Editado por Wallace Moté | 05 de Junho de 2024 às 08h04

Link copiado!

Apple
Apple
Tudo sobre Apple

A Apple tomou um prejuízo de US$ 12 milhões (cerca de R$ 63 milhões em conversão direta) com um golpe que incluía a troca de modelos falsos de iPhone e iPad. O caso foi registrado no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. 

No total, cinco homens chineses foram acusados pelo golpe. Eles levavam aparelhos falsos para unidades da Apple Store, alegando que estariam quebrados e precisariam de reposição. 

Continua após a publicidade

Os modelos falsos não apresentavam qualquer sinal de funcionamento, e continham números de identificação oficiais, roubados de aparelhos que estavam dentro do prazo de garantia — por isso, os funcionários da Apple eram enganados de forma frequente. 

A investigação aponta que a fraude já era realizada há quase dez anos, entre os meses de dezembro de 2015 e março de 2024. Cerca de 16 mil produtos falsos foram trocados por verdadeiros, em mais de dez lojas Apple Store na Califórnia. 

Agora, os cinco homens são acusados de crimes como falsidade ideológica agravada, tráfico de produtos falsos, conspiração de fraude eletrônica e de correio. Eles foram detidos na semana passada. 

De acordo com o procurador Martin Estrada, as empresas “não devem ser vitimizadas e ludibriadas por atenderem às necessidades de consumidores”. 

Ele ainda apontou que “estas acusações passam uma mensagem de que ações decisivas serão tomadas contra quem comete fraude”. 

Uma situação semelhante foi descoberta em 2019, quando três irmãos foram acusados de importar 10 mil unidades falsas de iPhones e iPads da China, e trocá-las em lojas da Apple nos EUA e Canadá. 

Neste caso, estima-se que o golpe deu um prejuízo de US$ 6,1 milhões (cerca de R$ 32 milhões em conversão atual) para a Apple. Dois dos três irmãos foram condenados a 41 meses de prisão, enquanto o terceiro foi considerado mandante da fraude, e teve uma sentença de 51 meses de prisão. 

Continua após a publicidade

Fonte: U.S. Attorney's Office