Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

4 sinais de que você comprou um iPhone falso

Por| Editado por Léo Müller | 28 de Junho de 2022 às 15h10

Link copiado!

Ivo/Canaltech
Ivo/Canaltech

A marca Apple se tornou sinônimo de status e também poder aquisitivo. Por isso, muitos desejam possuir um de seus aparelhos, principalmente o iPhone Original. Pensando nisso, vários oportunistas vendem versões falsificadas dos iPhone, com o objetivo de enganar o consumidor mais leigo e despreparado.

Assim, criei esta lista com dicas de como identificar se o aparelho que você está comprando é falso ou não.

iPhone falso não tem acabamento premium

Continua após a publicidade

Um dos primeiros pontos que você pode analisar para evitar adquirir um iPhone falso é o acabamento externo. A Apple preza muito pela qualidade dos materiais envolvidos na fabricação de seus modelos.

Por isso, se não estiver com uma tampa de vidro bem polida, laterais bem encaixadas, sem manchas ou riscos, ou então, uma tela com qualidade boa, já comece a desconfiar.

Atente-se também ao módulo de câmeras, e confira se as lentes realmente estão instaladas. Muitas vezes, você pode achar que possui os 2 ou 3 sensores, mas no fim era apenas uma imitação.

Ainda relacionado à construção do iPhone, é importante experimentar o Touch ID ou Face ID (dependendo do modelo). Essas tecnologias são marca registrada da Apple, que garante em um funcionamento preciso e rápido.

Dessa forma, procure em “Ajustes” → Touch ID/Face ID e tente cadastrar sua digital ou face. Se estiver funcionando normalmente, é sinal de que o aparelho possivelmente é original.

iPhone falso tem IMEI e número de série inválidos

Essa dica é uma das mais garantidas para se certificar que o aparelho em mãos é original ou não. Você deve conferir na caixa do celular ou então digitar no discador *#06#.

Continua após a publicidade

Em seguida, acesse “Ajustes”→ Geral → Sobre, se ambos os números forem iguais, é um iPhone original. Caso esse número não apareça em algum desses locais, é possível que o aparelho seja falsificado.

A mesma coisa pode ser feita para o número de série. Mas, para conferir, você deve encontrá-lo no “Sobre” (caminho descrito acima) e pesquisar no site oficial da Apple. Lá, você encontrará diversas informações a respeito do smartphone, inclusive se é original ou não. Nessa página, você consegue descobrir quando o aparelho foi ativado e se ele ainda está na garantia.

Se a Siri não funcionar, seu iPhone não é original

Continua após a publicidade

A Siri é a assistente virtual da Apple que estreou junto com o iPhone 4s. É outra marca registrada da linha. Assim sendo, se o produto que tiver em mãos não possuir esse recurso, pode ser um iPhone falsificado.

Por isso, tente acioná-la e experimentar seus diversos comandos. Porém, vale ressaltar que ela pode ser desativada nas configurações do celular.

Portanto, procure nos Ajustes a opção “Siri” e veja se é o seu caso. Ainda assim, fica um alerta se ela já estiver desativada, pois não é um hábito frequente que os usuários praticam.

iPhone falso não possui App Store e pode ter outras lojas

Continua após a publicidade

Outros detalhes importantes para se atentar também são: o sistema operacional, App Store e as opções de armazenamento disponíveis.

O único sistema operacional que roda nos iPhones é o iOS. Assim, ao ligar o dispositivo, caso você se depare com uma tela de inicialização diferente ou sem as marcas registradas da Apple, significa que o que tem nas mãos é um iPhone falso.

A App Store também entra nessa verificação, visto que, em aparelhos paralelos, você pode ter acesso à Play Store, Aptoide ou qualquer outra que não exista para iOS.

Continua após a publicidade

Por fim, atualmente, a Apple oferece aparelhos com armazenamento padrão (32, 64, 128, 256 GB)]. Se o anúncio falar em números como 7 GB ou opções muito baixas como 8 ou 16 GB, desconfie imediatamente. Isso porque elas acontecem apenas em modelos muito antigos ou que sequer existem.

iPhone falsificado pode ser prejudicial à saúde

Por se tratar de um aparelho que não passou pelas homologações e certificações, tanto do fabricante quanto da Anatel, nada garante que ele não possua materiais perigosos.

Isto é, ele pode conter metais pesados ou mesmo substâncias tóxicas em sua composição. Assim, comprometendo o funcionamento, já que está utilizando peças desconhecidas e impróprias.

Continua após a publicidade

Isso pode significar, ainda que com chances pequenas, explosões ou então derretimentos e deformações na carcaça, principalmente na hora de carregar a bateria.

Por fim, a última dica é conferir a nota fiscal, garantindo que a compra foi realizada em uma loja regulamentada e que seguiu padrões de venda e compra do aparelho em questão.

Caso não seja possível verificar a nota, sempre desconfie da origem do iPhone em questão, já que isso abre margem para estarem te vendendo uma versão falsificada.