Nada de Apple: no Brasil, iPhone agora é da Gradiente

Por Redação | 02.02.2013 às 22:24 - atualizado em 06.02.2013 às 11:11
photo_camera IDNES

Depois de muita discussão gerada em torno do assunto, a Apple não poderá mais utilizar o nome "iPhone" em celulares ou produtos de áreas próximas à telefonia móvel no Brasil. Isso porque a Gradiente venceu a empresa de Cupertino na disputa pelo nome perante o INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

A informação partiu do jornal O Globo, que afirma que a decisão será divulgada na próxima terça-feira (05) na edição da Revista da Propriedade Industrial - órgão oficial do INPI. A Apple foi derrota pois, em janeiro de 2008, a IGB Eletrônica, da Gradiente, conseguiu o direito sobre telefones com o nome "iphone".

A entrada no pedido de uso exclusivo foi realizada em 2000, e o iPhone da empresa da maçã apareceu apenas em 2007. Apenas a partir de 2006 a Apple entrou com pedido no INPI sobre o direito da marca iPhone em diferentes segmentos da indústria.

Ainda existem chances da empresa de Tim Cook conseguir a propriedade do nome para outros segmentos que não sejam associados à telefonia móvel, porém, ainda não foram divulgadas muitas informações a respeito do assunto.

Nos Estados Unidos, a Apple também não foi a primeira a adotar o nome "iPhone", que era propriedade da Cisco. Após um processo contra a empresa, as duas entraram em um acordo.

No Brasil, a polêmica foi levantada após a Gradiente lançar um smartphone que levava o nome do conhecido aparelho da Apple, no final do ano passado.

E nesta terça-feira (5), a agência de notícias Reuters informou que, citando fontes ligadas ao caso, o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) deverá anunciar a sua decisão sobre os direitos da marca 'iphone' no Brasil no dia 13 de fevereiro, e que a Apple poderá contestar da determinação.

Leia também: Gradiente vs. Apple: afinal, quem fica com o nome "iPhone" no Brasil?