Gradiente vs. Apple: afinal, quem fica com o nome "iPhone" no Brasil?

Por Redação | 18 de Dezembro de 2012 às 21h55
iphone da Gradiente

A Gradiente anunciou hoje (18) que vai começar a vender seus smartphones pertencentes a uma linha chamada 'iphone' — assim mesmo, com todas as letras — e que na verdade funciona com sistema Android. O 'Gradiente iphone', modelo Neo One, já está disponível para compra e custa R$ 599 na loja virtual da empresa.

Mas, como a Gradiente pode usar um nome tão conhecido do público (e da Apple) para intitular sua nova linha de smartphones? A companhia explicou isso de uma maneira bem simples por meio de um comunicado à imprensa: a IGB Eletrônica (nova denominação da Gradiente Eletrônica S.A.) é detentora exclusiva dos direitos de registro sob a marca iphone no Brasil.

Há 12 anos, a empresa entrou com pedido de registro da marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) e, "no dia 2 de janeiro de 2008, a companhia teve seu registro concedido pelo órgão federal e passou a deter os direitos exclusivos de produção e comercialização dessa marca até 2018", explica a IGB no comunicado.

A companhia explica que não havia utilizado a marca 'iphone' até agora porque estava focada em reestruturar a empresa e retornar às atividades, o que aconteceu em 2012 quando as marcas da Gradiente foram arrendadas e começaram a ser geridas pela Companhia Brasileira de Tecnologia Digital (CBTD).

Por meio da nota para a imprensa, a Gradiente deixou claro que pretende defender com unhas e dentes os direitos sobre a marca: "esta companhia adotará todas as medidas utilizadas por empresas de todo o mundo para assegurar a preservação de seus direitos de propriedade intelectual em nosso País".

O modelo 'Neo One', que já está disponível para vendas, possui sistema operacional Android 2.3.4, e um display de 3,7 polegadas com touch capacitivo que promete uma maior sensibilidade ao toque. A companhia também disponibiliza cerca de 30 mil aplicativos em sua loja virtual, a Gradiente Apps.

iphone da Gradiente

Imagem: Gradiente

De acordo com o Estadão, Eugênio Staub, fundador da Gradiente, diz que sua intenção não é iludir o consumidor e que o nome não é plágio, afinal, foi registrado muitos anos antes. Staub ainda critica a postura da Apple, relatando que houve desrespeito com o registro da Gradiente no Brasil. Para ele, a Apple ignorou a existência da patente do nome "iphone" e passou a vender o aparelho normalmente no país.

Porém, de acordo com o IDG Now!, a Apple pode barrar o "iphone" da Gradiente se for provada confusão para o consumidor. “Apesar desse registro, o iPhone tornou-se uma marca, uma expressão muito difundida, o que pode gerar confusão para o consumidor. A Gradiente está pegando essa regra da marca como se fosse absoluta, sendo que a função dela vai muito além disso. Possui uma função de garantia, para esses casos de confusão, por exemplo.

Por isso, acredito que a Apple teria boas chances em uma eventual disputa judicial com base nesse conceito”, explica Juliana Abrusio, advogada e professora de propriedade intelectual da Universidade Mackenzie.

Se a Apple conseguir provar que o aparelho da linha “iphone” da Gradiente está confundindo os consumidores aqui no Brasil, ela terá o direito de continuar comercializando seu smartphone. Levando em consideração o design dos dois aparelhos, parece haver mesmo uma certa semelhança entre eles:

iphones

Gradiente Neo One, da linha IPHONE, à esquerda, e Apple iPhone 4S. Semelhantes? (Imagem: IDG NOW!)

Entretanto, de acordo com uma informação dada ao Valor pela coordenadora geral de marcas do Inpi, Sílvia Rodrigues, a Apple pode perder o direito de usar o nome de seu smartphone no Brasil por ter feito o pedido de registro em 2006, seis anos após a Gradiente ter entrado com a solicitação no órgão.

“A lei brasileira de propriedade intelectual prevê que a primeira empresa que faz o depósito no Inpi para registro da marca é quem tem o direito de uso no território nacional”, afirmou Sílvia, explicando que a empresa tem cinco anos para fazer uso da marca. Como a autorização para a Gradiente saiu em 2008, a empresa tem até 2013 para usar o nome "iphone" em território nacional.

Dada a similaridade de design entre os smartphones, parece que teremos no Brasil um palco para mais uma sessão de processos da Apple. Vamos aguardar para conferir.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.