Publicidade

Invasão Secreta | Por que nova série da Marvel pode ser uma das melhores do MCU

Por| Editado por Jones Oliveira | 19 de Junho de 2023 às 18h35

Link copiado!

Marvel Studios
Marvel Studios
Tudo sobre Marvel

A nova série do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) chega com uma premissa bem diferente de todas as demais histórias desse universo. Invasão Secreta promete ser uma trama muito mais pé no chão e sóbria dentro do mundo de super-heróis, resgatando aquele tom de espionagem que a gente não vê desde Capitão América: Soldado Invernal. E isso parece ótimo.

Baseado em uma saga recente dos quadrinhos, o seriado vai finalmente transformar Nick Fury (Samuel L. Jackson) em protagonista depois de 15 anos de MCU e amarrar alguns pontos que pareciam estar soltos dentro desse universo. E o resultado é algo bem mais soturno e sombrio que pode ter, inclusive, grandes impactos nos próximos filmes e séries.

Continua após a publicidade

Por isso tudo, Invasão Secreta tem tudo para ser uma das melhores apostas da Marvel neste ano — principalmente em um momento em que a popularidade de seus personagens vem em queda após alguns lançamentos medianos nos cinemas. Assim, embora seja até injusto jogar a responsabilidade da retomada em cima da série, o simples fato de ser algo diferente da velha fórmula de Kevin Feige já faz com que a novidade mereça nossa atenção.

Qual é a história de Invasão Secreta?

O grande destaque de Invasão Secreta é mesmo esse tom mais sério da trama. Depois do clima caótico de Ms. Marvel e Mulher-Hulk e do humor pouco funcional de Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania, é bom lembrar que o MCU também tem espaço para histórias mais sóbrias e maduras.

E é isso o que devemos ver na primeira aventura protagonizada por Nick Fury. O antigo diretor da S.H.I.E.L.D. segue sendo uma figura influente neste novo momento do mundo e comanda uma nova agência global, a S.A.B.E.R, usando sua expertise de espião para gerenciar ações dentro e fora da Terra.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Só que, mesmo com todo seu aparato cósmico de inteligência, o caolho vai ser pego de surpresa com a grande conspiração skrulls. Isso porque, sem que ele ou qualquer outra autoridade global tenha se dado conta, os alienígenas verdes usaram suas habilidades transmorfas para assumir a identidade de heróis, agentes e figuras de poder sem que ninguém tenha se dado conta. Da noite para o dia, a Terra foi invadida e a grande dúvida é o que fazer quando você não pode confiar em ninguém.

É aí que as coisas ficam bem interessantes. Para começo de conversa, Invasão Secreta amarra algumas tramas que estavam soltas desde o fim da Fase 3 do MCU, principalmente relacionada ao destino de Fury e o papel dos skrulls.

Continua após a publicidade

Você deve se lembrar que, em Capitã Marvel, foi revelado que essa raça alienígena não era composta em sua maioria por vilões. Ao contrário dos quadrinhos, eles eram as vítimas da coisa toda, sendo perseguidos e exterminados pelos Krees. Tanto que, após perderem seu planeta nessa guerra, os ETs verdes acabam sendo recebidos na Terra — mais ou menos como refugiados planetários.

O filme se passa na década de 1990 e já mostrava Fury se aproximando dos skrulls ao prometer ajudá-los. Assim, é ele quem promete abrigo e diz que vai encontrar uma forma de dar aos alienígenas um novo lar. Pois bem, é a partir daí que as coisas se complicam em Invasão Secreta.

Isso porque, três décadas depois, a promessa de um novo planeta para os skrulls não foi cumprida. Assim, enquanto parte dos aliens usou suas habilidades metamorfas para assumir identidades humanas e viver de forma pacífica na Terra, há toda uma geração que cresceu revoltada com o descaso dos humanos e alimentados por esse ressentimento.

Continua após a publicidade

Assim, o que a série faz é mostrar justamente como a inação de Fury e da própria humanidade para resolver a questão desses refugiados planetários se transformou em uma bomba-relógio que vai explodir na série. Isso porque, pelo que foi divulgado, as ações de personagens como Gravik (Kingsley Ben-Adir) e G’iah (Emilia Clarke) vão seguir um caminho mais radical de quem cansou de esperar por solução e vai tentar resolver com as próprias mãos.

Dessa forma, a tal invasão secreta do título começa quando uma facção radical dos skrulls decide que a única forma de ter um planeta para si é conquistando-o — e a Terra é o alvo perfeito para isso. Com suas habilidades de mudar de forma, começam a organizar um grande plano que envolve grandes atentados terroristas e que deve escalar para algo muito maior que o seriado pode mostrar.

A paranoia de Nick Fury

Paranoia é uma palavra que define bem Invasão Secreta, pois é um sentimento que permeia todo o material promocional e deve estar presente ao longo de toda a temporada. Afinal, com os aliens assumindo qualquer forma, é realmente impossível confiar em qualquer pessoa, já que pode ser um inimigo infiltrado.

Continua após a publicidade

Além disso, pesa também o fato de que Nick Fury nunca foi um personagem afeito a confiar em alguém. Desde sua primeira aparição no MCU, ele sempre foi rodeado de segredos e truques que reforçavam essa característica. Por isso mesmo, devemos ver as coisas alcançando um novo nível ao longo dos episódios.

Aliás, vale aqui uma aposta: ao longo desses 15 anos, nunca vimos Fury ir de fato para a ação. Ele sempre foi rodeado de pessoas muito capazes e, dessa vez, ele próprio vai entrar na briga para salvar a Terra. Parte disso é explicável pela dificuldade de confiar em seus agentes quando eles podem ser skrulls disfarçados, mas há algumas pistas que o seriado deve ir um pouco além.

Um dos trailers destaca que o personagem de Jackson quer brigar também por considerar a ação dos skrulls algo pessoal. Não fica claro o porquê dessa afirmação, o que abre espaço para especulação. Seria por ter sido enganado, algo que ele não está acostumado a ver? Ou por que acolheu os alienígenas apenas para ser traído por eles décadas depois?

Continua após a publicidade

É possível que a resposta seja outra. De acordo com o elenco divulgado pelo Marvel Studios, Invasão Secreta vai mostrar um pouco mais da vida do ex-agente da S.H.I.E.L.D para além da espionagem. A atriz Charlayne Woodard (Vidro) foi escalada para viver Priscila Fury, esposa do protagonista. Agora, junte os pontos.

Uma teoria é que o seriado deve mostrar que Priscila ou alguém relacionado à família do herói eram skrulls disfarçados — um filho, talvez? É o tipo de golpe que alguém como Nick Fury jamais deixaria passar batido.

Unindo os espiões do MCU

Continua após a publicidade

Outro ponto que podemos esperar de Invasão Secreta é uma ampliação desse foco de espionagem que andava meio escanteado no MCU. Capitão América: Soldado Invernal ainda é um dos melhores filmes da Marvel por causa desse tom mais sério e parte disso deve retornar.

E não apenas na figura de Fury. Além do protagonista, outros personagens ligados a esse mundo devem retornar, como Maria Hill (Cobie Smulders), Everett Ross (Martin Freeman) e o próprio Talos (Ben Mendelsohn), que vive um skrull que trabalha para o agente caolho — e chegou a assumir seu lugar algumas vezes, como Homem-Aranha: Longe de Casa revelou.

A Marvel confirmou ainda que outras agências de inteligência e espionagem vão estar representadas na série. Enquanto Fury e Hill representam a S.A.B.E.R — a sucessora da S.H.I.E.L.D. no MCU —, Ross é um ex-agente da CIA e veremos a ganhadora do Oscar Olivia Colman vivendo Sony Falsworth, uma veterana do MI6 e velha conhecida de Fury.

Continua após a publicidade

Refletindo o presente

Só que o que torna Invasão Secreta realmente promissor não é só essa intrínseca trama de segredos e paranoias que se desenha ao longo da temporada. Isso também, mas é o discurso por trás da ação dos super-heróis que realmente chama a atenção.

Pelo que foi mostrado até agora, a abordagem que a série dá aos skrulls e a esse levante que resulta no surgimento dessa facção mais radical tem paralelos bem diretos com o mundo real. Toda a questão dos refugiados pelo mundo todo e como os grandes países lidam com essa população refletem bem o que o MCU parece estar fazendo com os skrulls.

Continua após a publicidade

A Marvel tem a grande oportunidade de usar a fantasia para discutir assuntos reais e bastante pertinentes para o agora. Afinal, o quanto os grandes governos são responsáveis pelo surgimento desses grupos radicais à medida em que simplesmente dão as costas para suas necessidades? E, mais importante: como solucionar esse tipo de impasse?

São questões que pairam ao longo do trailer e dentro da própria premissa da série. E embora a ficção seja muito mais simples de resolver do que a realidade, a temática é algo que pode fazer com que Invasão Secreta ganhe um peso que muitos não esperavam.

Até porque o caminho que o seriado segue é bem diferente das HQs. Nos quadrinhos, a invasão também está relacionada a um grupo radical de skrulls, mas muito mais ligada a um viés religioso com um grupo que vê o planeta como terra prometida e coisas do tipo. Assim, se a decisão foi tornar a coisa muito mais política do que nos gibis, que seja para dar a profundidade merecida.

Conexão com o futuro

Continua após a publicidade

Mas se você é do tipo que está mais interessado nas conexões do MCU e como ele segue se expandindo, há grandes suspeitas de que Invasão Secreta pode mexer de forma drástica nesse universo, criando mudanças que vão refletir em alguns dos filmes vindouros.

A gente sabe que a série vai colocar os skrulls em diferentes pontos de poder e que é impossível saber em quem confiar. Pelo que foi apresentado da trama, o grande plano deles está em assumir o papel de líderes de grandes potências para conseguirem conquistar a Terra de uma vez por todas. Tanto que vimos algumas cenas com políticos, incluindo com o Máquina de Combate (Don Cheadle).

E o que isso quer dizer? A Marvel confirmou que devemos ver o presidente dos Estados Unidos em algum dos episódios e que ele será vivido pelo ator Dermot Mulroney (Pânico 6) e pode ser que ele esteja envolvido em uma grande reviravolta.

Continua após a publicidade

Há poucos meses, surgiu um rumor de que a entrada de Harrison Ford no papel de General Ross em Thunderbolts — substituindo William Hurt, falecido em 2022 — estaria relacionada a uma mudança na importância do personagem no MCU. Na época, falava-se que ele deixaria de ser apenas um militar para se tornar o novo presidente dos EUA.

Caso isso seja verdade, não é estranho imaginar que Invasão Secreta traga uma atuação tão meticulosa dos skrulls em que o próprio chefe da Casa Branca seja um alienígena verde ou que acabe sendo morto por um.

É o tipo de conclusão tão chocante que justificaria como alguém como Ross, que sempre teve uma visão completamente avessa aos super-heróis, adotasse um discurso ainda mais paranoico sobre as ameaças que o país e o mundo enfrentam e usasse isso para chegar ao poder. E seria a deixa perfeita para ele criar um grupo de poderosos sob seu controle — os próprios Thunderbolts —, que poderia ser usado para missões menos heróicas e mais estratégicas, como roubar vibranium de wakanda ou algo que o valha.

Ainda assim, tudo isso é meramente especulativo. Contudo, mostra o potencial de Invasão Secreta de conter grandes histórias que exploram um lado muito rico do MCU, que discutem questões para além dos super-heróis e ainda reverbera para o futuro da saga. Em resumo, tudo o que a gente espera de uma boa produção.

Invasão Secreta estreia no Disney+ no dia 21 de junho.