Facebook Watch cancela algumas séries e repensa sua estratégia no streaming

Por Claudio Yuge | 31 de Janeiro de 2020 às 15h00
Facebook
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Você é usuário frequente da plataforma de streaming do Facebook, o Facebook Watch? Bem, o serviço até conseguiu angariar mais seguidores no ano passado, quando exibiu partidas da Copa Libertadores da América e séries como Real Bros of Simi Valley. Mas, ao que parece, isso não tem sido suficiente para que a companhia continue investindo pesado em audiovisual, a exemplo de concorrentes como Netflix, Apple TV+ e Disney+.

De acordo com o site The Information, os bastidores da rede social indicam que a ideia é manter o projeto vivo, mas com uma direção diferente das rivais do concorrido setor de conteúdo por demanda. O orçamento subiu de US$ 1 bilhão, em 2017, para US$ 1,4 bilhão em 2019, mas o foco é apostar no que realmente deu retorno até agora.

Limetown, série com Jessica Biel, já foi cancelada (Imagem: Reprodução/Facebook Watch)

Segundo fontes internas, a grana deve ser direcionada para “talk shows e e outras atrações licenciadas de redes de TV, além de ligas esportivas". Além disso, a empresa estaria desistindo das altas cifras gastas com licenciamento de transmissões de partidas ao vivo, pelo menos por enquanto. Isso pode colocar em risco a transmissão, por exemplo, da Copa Libertadores em um futuro próximo. No entanto, pelo menos esse ano, nada muda e a competição segue sendo exibida normalmente na plataforma.

Mais parecido com o YouTube do que com a Netflix

Essa estratégia diferencia o Facebook da Netflix, Apple e Disney, que gastam vários bilhões de dólares por ano em produções exclusivas. A plataforma de Mark Zuckerberg fica mais próxima do modelo do YouTube, que tem a maior parte de sua programação baseada em conteúdo gratuito e mais curto, suportado por anúncios e criado por autores independentes. O serviço de streaming do Google até conta com algumas atrações próprias - como a bem sucedida Cobra Kai, um spinoff da saga cinematográfica Karate Kid - no seu YouTube Premium, mas esse material não é o core do seu modelo de negócios.

A ideia seria aplicar no Watch o mesmo plano de business intelligence da rede social, com análise dos dados de engajamento de usuários, para gerar receita com anúncios. A mudança não foi confirmada pela gigante de Mark Zuckerberg, mas já pode ser sentida no cancelamento das séries originais Limetown, que durou apenas uma temporada, e Sorry For Your Loss, que fecha as portas em seu segundo ano.

Fonte: CNET  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.