Executivo do HBO Max revela como pretende vencer a Netflix

Por Claudio Yuge | 10 de Agosto de 2020 às 21h15

A HBO, que possui um catálogo invejável de produções de alto padrão, passou anos sem dar muita bola para o setor de streaming. Contudo, o grupo AT&T, controlador dos canais e também da WarnerMedia, decidiu impor uma estratégia bastante agressiva no mercado, principalmente porque ele precisa concorrer com a vasta videoteca do Disney+, além do Amazon Prime Video e da Netflix, consolidada na primeira posição do mercado. Agora, em entrevista ao Bloomberg News, o CEO da WarnerMedia, Jason Kilar, falou mais sobre como pretende chegar ao primeiro lugar em número de assinantes no setor.

Vale destacar que o HBO Max chega justamente em um momento em que o mercado está superaquecido. Nos últimos seis meses, os Estados Unidos receberam nada várias ofertas de peso, como os novos serviços Peacock, Disney +, AT&T TV Now, Quibi, AppleTV+, NBCUniversal, entre outros. Kilar, que ajudou o Hulu a chegar aos 30 milhões de assinantes em solo ianque, foi nomeado CEO do HBO Max no início de maio, pouco antes do lançamento da plataforma, no dia 27 do mesmo mês.

Jason Kilar (Reprodução/Lhuga/Flickr)

Segundo Kilar, sua primeira ordem foi demitir três vice-chefes e destinar mais recursos para o HBO MAX. Em seguida, vimos o anúncios de novas séries ligadas às propriedades da DC Comics, como Lanterna Verde e Liga da Justiça Sombria; juntamente com a adição de uma franquia que estava no DC Universe ao HBO Max, a exemplo de Doom Patrol. O Snyder Cut de Liga da Justiça, que vinha sendo desprezado pela Warner Bros, ganhou confirmação e injeção de verba justamente nesse período.

Qualidade em primeiro lugar

Kilar afirma que a orientação é oferecer ao consumidor o que a HBO já tem de melhor. "Qualidade. Quando entrei para a empresa, fiz um vídeo de introdução, da minha garagem, para dizer ‘olá’. O vídeo de dois minutos foi para me apresentar e explicar por que tomei a decisão de ingressar na empresa. A primeira coisa que disse foi 'barra de qualidade'", afirmou o executivo.

"Todos nós temos barras de qualidade. Quando penso em Casey Bloys [presidente de programação da HBO], Toby Emmerich [presidente da Warner Bros] e Peter Roth [presidente da Warner TV], o que é consistente entre suas equipes e seu pessoal é onde eles colocam a barra de qualidade, que eu diria que é apenas um corte acima", complementou.

Ou seja, a ideia é produzir os originais do HBO Max no nível superior de produções que a HBO já mantém — o que é uma boa notícia para os consumidores. Por enquanto, a plataforma de streaming da WarnerMedia só está disponível nos Estados Unidos, a US$ 14,99 (cerca de R$ 82 na cotação direta). Ainda não há previsão de preço e estreia no Brasil, mas a expectativa é de que chegue a um valor competitivo no mercado nacional, possivelmente no primeiro semestre de 2021.

Fonte: Bloomberg News  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.