Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

7 desenhos baseados em filmes que não eram para crianças

Por| Editado por Jones Oliveira | 18 de Setembro de 2023 às 20h00

Link copiado!

Reprodução/Hasbro, Ruby-Spears Prod., Marvel Productions
Reprodução/Hasbro, Ruby-Spears Prod., Marvel Productions

Os anos 1980 foram uma doideira. Não existe um jeito melhor de começar a falar sobre uma década que até mesmo quem a viveu intensamente não conseguiria defini-la de um jeito melhor. Os anos 1990 não foram muito melhores, mas essa dobradinha geracional proporcionou algumas decisões um tanto esquisitas, como a ideia de adaptar filmes violentos em desenhos infantis.

Essa ideia é bastante fácil de ser compreendida quando você pensa que o objetivo dos produtores e detentores dos direitos desses filmes era ganhar dinheiro com bonequinhos. Não era difícil encontrar, no final dos anos 1980 e começo dos anos 1990, crianças com bonecos do Sylvester Stallone (Creed 2) segurando uma metralhadora imensa como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Isso sem falar que boa parte dos moleques pedia a faca do Rambo de presente de Natal.

Pensando nessa completa insanidade, reunimos sete desenhos clássicos baseados nesses filmes para adultos. Obviamente, eles não eram tão violentos como suas versões do cinema, mas nem por isso deixam de ser bastante errados.

Continua após a publicidade

7. Loucademia de Polícia

Loucademia de Polícia é um filme com uma premissa assustadora por si só, contando a história de uma cidade em que a criminalidade chegou a um nível alarmante, fazendo com que a prefeita decida que o departamento de polícia aceite todos os recrutas voluntários. Independente de gênero, tipo de corpo, idade, era só inscrever que entrava para a polícia local.

Como uma comédia meio absurda, essa trama funciona e tem momentos engraçados para época, sendo alguns bem problemáticos para os dias de hoje. Alguém resolveu transformar a ideia de pessoas comuns se tornando policiais com pouquíssimo preparo em um desenho infantil.

Continua após a publicidade

Obviamente, o tom é bastante infantil, mas considerando, que durante toda a franquia, as piadas foram se tornando cada vez mais aceitáveis para famílias, é possível falar que faz um pouco de sentido. Só um pouco.

Ainda assim, não deixa de ser um pouco perturbador pensar que muitas crianças que gostavam do desenho foram conferir o filme, que é repleto de nudez e piadas que certamente não era para a idade delas.

6. Highlander

Continua após a publicidade

Highlander é uma franquia em que o primeiro filme é realmente bom, com algumas sequências ruins e uma série de TV que expande sua ideia e é bastante ok. A trama do filme é excelente, mostrando um imortal escocês chamado Connor MacLeod que deve lutar contra outros imortais pelo prêmio da mortalidade. O filme tem trilha do Queen, Sean Connery (007 contra o Dr No) com um imortal chamado Ramirez que nasceu no Egito e tem uma katana — mais um exemplo de como os anos 1980 não faziam sentido algum.

A única forma de eliminar um imortal seria cortando a sua cabeça e absorvendo seu conhecimento, algo que não parece muito apropriado para um desenho para crianças, mas ninguém se importou quando Highlander: A Série Animada foi ao ar no começo dos anos 1990

Com uma trama no século 27, o desenho acompanha um descendente de Connor, um jovem chamado Quentin, que descobre ser imortal e o último dos MacLeod. Quentin está no centro de uma profecia de um guerreiro que surgiria para acabar com a tirania de um imortal que dominou o mundo.

5. Mortal Kombat

Continua após a publicidade

Desde que foi lançado nos arcades e consoles, Mortal Kombat esteve no centro de polêmicas, principalmente pela violência absurda do game. Em 1995, foi lançado o primeiro filme baseado no jogo, que fez bastante sucesso entre os fãs. Aproveitando o lançamento e o potencial de ganhar dinheiro, foi criado um desenho chamado Mortal Kombat: Os Defensores da Terra.

O desenho servia como uma espécie de continuação não oficial do filme, trazendo seus personagens para aventuras que trazem elementos de Mortal Kombat 3. Por ser um desenho para crianças, toda a violência característica da franquia sumiu, ficando só um monte de personagens lutando em um desenho mal animado. Só que, mais uma vez, era a porta de entrada da criançada para um mundo em que Fatality é a lei.

4. Conan: O Aventureiro

Continua após a publicidade

A pessoa que viu qualquer história de Conan e pensou que daria em um bom desenho animado para crianças deveria ser analisada com bastante cuidado. Conan é uma história em quadrinhos bastante violenta e adulta, que acabou se tornando filmes estrelados por Arnold Schwarzenegger (Fubar), que também são bastante violentos e adultos.

Cheios de sangue, desmembramentos e nudez, os longas acabaram dando a ideia de levar as histórias do guerreiro cimério para a TV, na forma de uma animação. Conan: O Aventureiro era bastante focado no público jovem, retirando toda a violência e temas mais adultos por motivos óbvios. Mesmo assim, as histórias dos episódios eram consideravelmente fieis ao trabalho de Robert E. Howard, o que agradou bastante os fãs.

Continua após a publicidade

3. Robocop

Robocop é um dos filmes mais violentos dos anos 80, o que é algo que tem que ser levado em consideração aqui. A ideia de levá-lo para a TV na forma de um desenho para crianças pode parecer uma loucura (e realmente é), mas o mais impressionante é que ele foi produzido pela Marvel Productions.

Com várias alterações, por motivos óbvios, a história ainda é baseada na criação de um robô meio humano, meio máquina, lutando contra o crime na cidade de Detroit. Tem o policial Murphy sendo assassinado na abertura do desenho. Nada faz sentido.

Continua após a publicidade

Uma curiosidade interessante é que a série animada do Robocop deveria ter 13 episódios, mas acabou tendo apenas 12. O motivo é que a Marvel resolveu usar o orçamento do décimo terceiro episódio para financiar o piloto da animação dos X-Men. Sim, aquela animação.

2. Toxic Avenger

Toxic Avenger é um filme trash produzido pela Troma Entertainment que conta a história de um faxineiro em um clube que, após ser humilhado constantemente pelos membros do local, acaba sendo jogado dentro de um barril com lixo tóxico. Tendo seu corpo praticamente destruído, ele ressurge como um ser mutante poderoso, usando o nome de Vingador Tóxico.

Continua após a publicidade

O filme é bastante trash, com violência, nudez e situações bem caóticas, colocando o personagem principal como uma espécie de super-herói lutando contra bandidos e a corrupção na cidade.

Com isso em mente, foi criada uma animação chamada Toxic Crusaders, que aliviava bastante o tom do filme original, colocando o Vingador Tóxico lutando contra mutantes alienígenas que tentavam causar caos no meio ambiente.

1. Rambo

Continua após a publicidade

Considerado o primeiro desenho baseado em filme indicado para maiores de idade, Rambo foi um desenho que, na sua criação, já era bastante equivocado. O filme original contava a história de John Rambo, um veterano da Guerra do Vietnã que viaja para encontrar um velho companheiro e acaba envolvido em uma caçada humana.

O filme tratava de temas como a maneira como os Estados Unidos lida seus veteranos, além de problemas como transtorno pós-traumático. Então o desenho não fala absolutamente nada disso e só coloca John Rambo como membro de uma unidade especial do exército que luta contra terroristas de uma organização paramilitar.

O desenho foi bastante criticado no seu lançamento, fazendo com que órgão reguladores dos Estados Unidos acompanhassem sua produção para evitar que temas mais fortes chegassem a um desenho para crianças. Na época, Sylvester Stallone comentou que se sentia incomodado que o personagem foi transformado em um desenho infantil — o que não o impediu de adotar o mesmo tom em Rambo 2 e Rambo 3.